INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS DE REDE AO CURRÍCULO: O PROTAGONISMO DOCENTE NO CICLO DA POLÍTICA

Ana Claudia Pereira Rubio, Ozerina Victor de Oliveira

Resumo


Este artigo problematiza a integração das Tecnologias Digitais de Rede (TDR) ao currículo escolar, com o propósito de identificar e expor o ciclo político deste currículo e seus contextos, frente às políticas públicas de currículo para o uso das TDR.  Destaca-se o protagonismo docente na constituição de discursos que dão sustentação a esta integração em uma escola pública do estado de Mato Grosso. A pesquisa encontra-se teórica e metodologicamente orientanda pela compreensão de discurso de Laclau e Mouffe (1985), de currículo como discurso (Lopes e Macedo, 2011) e de ciclo de política (Ball, 1994). Em decorrência destas escolhas, realizam-se estudo bibliográfico, documental e coleta de dados em campo. Os procedimentos para referida coleta envolve a realização de entrevistas com nove professores que atuam em um dos ciclos dos anos finais do ensino fundamental de uma escola pública e a observação participante em suas aulas. Considerando o movimento cíclico entre os contextos da política de currículo em análise, compreende-se que a possibilidade de integração das TDRs ao currículo está em reconhece-las como prática social, que se realiza, mesmo que provisoriamente, quando há protagonismo dos atores radicalmente envolvidos do currículo; quando as TDRs configuram mediações pedagógicas entre a vida de docentes e de discentes; e quando há presença das TDR em processos epistemológicos que configuram um currículo escolar. 


Palavras-chave


Tecnologias Digitais de Rede; Currículo do Ensino Fundamental; Protagonismo Docente.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Aparecida Maria Costa de. Integração do laboratório de informática ao currículo: práticas numa escola municipal de Fortaleza. 2011. Orientador: José Aires de Castro Filho. Dissertação (Mestrado em Educação Brasileira) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011.

ARAUJO, Jair Jonko. A complexa construção de sentidos no cotidiano escolar: o caso da área de design do campus Pelotas do Instituto Federal Sul-rio-grandense. Revista Currículo sem Fronteiras, v. 14, n. 3, p. 208-229, set./dez. 2014.

BALL, Stephen John. Education reform: a critical and post-structural approach. Buckingham: Open University Press, 1994.

BALL, Stephen John; BOWE, Richard. Subject departments and the “implementation” of National Curriculum policy: an overview of the issues. Journal of Curriculum Studies, v. 24, n. 2, p. 97-115, 1992.

BRASIL. Decreto Nº 6.300, de 12 de dezembro de 2007. Dispõe sobre o Programa Nacional de Tecnologia Educacional - ProInfo. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, [2007]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2007/Decreto/D6300.htm. Acesso em: 20 jan. 2020.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, [1996]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 20 jan. 2020.

BRASIL. Lei Nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 120-A, edição extra, p. 1-7, 26 jun. 2014.

BRAZÃO, Paulo. A prática social, a tecnologia e a construção do currículo. In: MENDONÇA, A.; BENTO, A. (Orgs.). Educação em tempo de mudança. Funchal: CIE – Uma, 2008. p. 107-113.

BUZATO, Marcelo El Khouri. Letramentos digitais e formação de professores. Portal Educarede, São Paulo, 2006. Disponível em: https://www.academia.edu/1540437/Letramentos_Digitais_e_Forma%C3%A7%C3%A3o_de_Professores. Acesso em: 5 set. 2015.

BUZATO, Marcelo El Khouri. Inclusão digital como invenção do quotidiano: um estudo de caso. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 13, n. 38, p. 325-342, maio/ago. 2008.

CAMPOS, Flavio Rodrigues. Diálogo entre Paulo Freire e Seymour Papert: a prática educativa e as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação. 2008. Orientadora: Maria Lúcia Marcondes Carvalho Vasconcelos. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2008.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTRO, Márcia Ferreira de. A organização escolar para a integração das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação ao processo de ensino e aprendizagem. 2015. Orientador: Sebastião de Souza Lemes. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2015.

COSTA, Rosana Soares Gomes. Educação inclusiva digital: novas ferramentas curriculares para a aprendizagem na educação básica. 2012. Orientadora: Sandra Vidal Nogueira. Dissertação (Mestrado em Teologia) –Escola Superior de Teologia, São Leopoldo, 2012.

CUNHA, Kátia Silva. A teoria do discurso como abordagem teórica e metodológica no campo das políticas públicas em educação. Revista Estudos Políticos, Niterói, v. 2. n. 7, p. 257-276, 2013.

CYSNEIROS, Paulo Gileno. Gestão escolar: parâmetros curriculares e novas tecnologias na escola. In: RAMOS, Edla Maria Faust; ROSATELLI, Marta Costa; WAZLAWICK, Raul Sidney (Orgs.). Informática na escola: um olhar multidisciplinar. Fortaleza: Editora da UFC, 2003. p. 11-24.

DUQUE, Tiago. Gêneros incríveis: identificação, diferenciação e reconhecimento no ato de passar por. 2013. Orientadora: Karla Adriana Martins Bessa. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

EZPELETA, Justa; ROCKWELL, Elsie. Pesquisa participante. São Paulo: Cortez, 1986.

FACIOLI, Lara Roberta Rodrigues. Conectadas: uma análise de práticas de ajuda mútua feminina na era das mídias digitais. 2013. Orientador: Richard Miskolci. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013.

FANTIN, Monica. Dos consumos culturais aos usos das mídias e tecnologias na prática docente. Revista Motrivivência, Florianópolis, ano XXII, n. 34, p. 12-24, jun. 2010.

FARIAS, Cardoso Lívia. Discursos sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação (TIC) na educação: uma análise das políticas de currículo Iberoamericanas. 2014. Orientadora: Rosanne Evangelista Dias. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

FARIAS, Cardoso Lívia; DIAS, Rosanne Evangelista. Discursos sobre o uso das TIC na educação em documentos ibero-americanos. Linhas, Florianópolis, v. 14, p. 83- 104, 2013.

FERREIRA, Jalmelice da Luz. Os usos das tecnologias de comunicação e informação no desenvolvimento da leitura e escrita no Ensino Fundamental. 2012. Orientador: José de Sousa Miguel Lopes. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

IPIRANGA, Lucilia Collares. Projetos cooperativos de aprendizagem mediados por tecnologia de comunicação digital na promoção da aprendência. 2006. Orientador: Edel Ern. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

JUNQUEIRA, Eduardo Santos. Como alunos percebem as tecnologias digitais no laboratório da escola: problemas de aprendizagem e os caminhos apontados pela teoria da prática. UFC: Editora Universidade Federal do Ceará, 2009.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e ensino presencial e a distância. 7. ed. Campinas: Papirus, 2009.

KRETZER, Suleica Fernanda Biesdorf. A prática educativa em um processo de incorporação das tecnologias móveis na escola. 2013. Orientadora: Monica Fantin. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemony and socialist strategy: towards a radical democratic. London: Verso, 1985.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemonía y estrategia socialista: hacia una radicalización de la democracia. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica de Argentina, 2004.

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

LUCENA, Marisa. Liderança, gestão e tecnologia: para melhoria da educação no Brasil. In: ALMEIDA, Fernando José de; ALMEIDA, Maria Elizabeth B. B. de (Coords.). Integração das tecnologias na gestão escolar do livro. São Paulo: Microsoft/PUC-SP, 2006. p. 27-31.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 2011.

MATHEUS, Danielle dos Santos. O discurso da educação de qualidade nas políticas de currículo. 2013. Orientadora: Alice Ribeiro Casimiro Lopes. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

MATO GROSSO. Lei No 10.232, de 29 de dezembro de 2014. Torna defeso, para fins não pedagógicos, o uso de aparelhos eletrônicos em sala de aula do ensino fundamental e médio do Estado de Mato Grosso. Cuiabá: Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, [2014]. Disponível em: http://www2.seduc.mt.gov.br/documents/8501214/0/29.12.14+Lei+10232+Torna+defeso+o+uso+de+aparelhos+eletr%C3%B4nicos+em+sala+de+aula.pdf/d0fe8b1f-8b21-8e5f-0730-abfd59b01 94f. Acesso em: 20 jan. 2020.

MENDONÇA, Daniel. Como olhar “o político” a partir da teoria do discurso. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 1, p. 153-169, jan./jun. 2009.

MENDONÇA, Daniel; RODRIGUES, Léo Peixoto. Do estruturalismo ao pós-estruturalismo: entre fundamentar e pós-fundamentar. In: MENDONÇA, Daniel; RODRIGUES, Léo Peixoto. Pós-estruturalismo e Teoria do Discurso: em torno de Ernesto Laclau. 2. ed. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2014. p. 27-45.

MILANI, Débora Raquel da Costa. Contemporaneidade e educações: mídias digitais nas culturas juvenis. 2012. Orientadora: Sueli Aparecida Itman Monteiro. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2012.

MILLER, Peggy Jo; GOODNOW, Jacqueline Jarrett. Cultural practices as contexts for development. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1995.

OLIVEIRA, Ozerina Victor de. Movimento comutativo da política de currículo: o caso da Escola Sarã. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 17, n. 33, p. 13-24, jan./abr. 2008.

OLIVEIRA, Ozerina Victor de; RUBIO, Ana Claudia Pereira. Campo do currículo e estudos de Teoria do Discurso de Laclau e Mouffe: apropriações. In: SIMPÓSIO PÓS ESTRUTURALISMO E TEORIA SOCIAL: O LEGADO TRANSDISCIPLINAR DE ERNESTO LACLAU, 1., 2015, Pelotas. Anais eletrônicos [...]. Pelotas: UFPel, 2015. Disponível em: https://wp.ufpel.edu.br/legadolaclau/files/2015/07/ozerina-de-oliveira.pdf. Acesso em: 25 jan. 2020.

QUADROS, Amanda Maciel de. Práticas educativas e tecnologias digitais de rede: novidade ou inovação? 2013. Orientadora: Tania Beatriz Iwaszko Marques. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

RIBEIRO JUNIOR, Djalma. O Audiovisual na Escola: dominação ou transformação. Revista Universitária do Audiovisual, 15 mar. 2011. Disponível em: http://www.rua.ufscar.br/o-audiovisual-na-escola-dominacao-ou-transformacao/. Acesso em: 20 jan. 2020.

ROSSARI, Marilusa; VOSGERAU, Dilmeire Sant’Anna Ramos. O Projeto Político Pedagógico e a integração das tecnologias. In: SÁ, Ricardo Antunes de (Org.). Tecnologias e mídias digitais na escola contemporânea: questões teóricas e práticas. Curitiba: Appris, 2016. p. 37-68.

SANTOS, Cláudia Tavares Barbosa. O portal do professor e projetos de trabalho: uma proposta de construção de um ambiente de aprendizagem matemática no Ensino Fundamental. 2011. Orientador: Klaus Schlünzen Júnior. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2011.

SANTOS, Jocilene Barboza dos; RUBIO, Ana Claudia Pereira. Políticas de currículo e tecnologias digitais de rede. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL DE POLÍTICAS E PRÁTICAS CURRICULARES, 7., 2015. Anais [...]. João Pessoa: UFPB, 2015. p. 3179-3192.

Maximiliana Batista Ferraz dos. Laptops na escola: mudanças e permanências no currículo. 2010. Orientadora: Martha Kaschny Borges. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

SAUL, Ana Maria. Considerações a respeito do currículo. In: SEMINÁRIO TENDÊNCIAS E PRIORIDADES DE CURRÍCULO NA REALIDADE BRASILEIRA. São Paulo: PUC-SP, 1985.

SENTANIN, Elisângela Ferreira. Viabilidade da implementação de computadores na primeira etapa da Educação Básica em uma rede pública municipal do interior de São Paulo. 2012. Orientador: Cláudio Benedito Gomide de Souza. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara, 2012.

SILVA, Ângela Carrancho da. Educação e tecnologia: entre o discurso e a prática. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. Rio de Janeiro, v. 19, n. 72, p. 527-554, jul./set. 2011.

SILVA, Tomaz Tadeu da. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2006.

SILVA, Josilda França da; SANTOS, Eliete Correia dos. O uso do celular na escola. In: SANTOS, Eliete Correia dos; SOUZA, Fábio Marques de; SOUSA, Kelly Cristina Trajano de (orgs.). Tecnologias educacionais e inovação: diálogos e experiências. Curitiba: Appris 2016. v. 2. p. 149-172.

VIEIRA PINTO, Álvaro. O conceito de tecnologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005. v. 2.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i1p85-110

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais