UMA AÇÃO DE CONTRACONDUTA NO CURRÍCULO PARA O ENFRENTAMENTO À DISTORÇÃO IDADE-SÉRIE EM TEMPOS DE NEOLIBERALISMO: O PROJETO TRAJETÓRIAS CRIATIVAS

Clarice Salete Traversini, Kamila Lockmann, Ligia Beatriz Goulart

Resumo


O artigo objetiva analisar possíveis ações de contraconduta operacionalizadas no currículo escolar, frente ao contexto neoliberal que estamos vivenciando do Brasil. Para isso, discute-se brevemente as tendências neoliberais atuais do contexto brasileiro e analisa-se alguns movimentos de contraconduta desenvolvidos numa escola que adere ao Projeto Trajetórias Criativas. Tal Projeto pode ser caracterizado como uma invenção curricular para o enfrentamento à distorção idade-série e acolhe estudantes de 15-17 anos dos Anos Finais do Ensino Fundamental. Teoricamente o texto utiliza as discussões contemporâneas de Dardot e Laval acerca do que denominam a nova razão-mundo e do princípio político do comum. Opera-se ainda com o conceito de contraconduta dos estudos foucaultianos. A empiria abrange observações de atividades com estudantes e reuniões de planejamento com professores em uma das escolas, registradas em diário de campo. Como resultado da pesquisa destaca-se a força das propostas que emanam dos estudantes e inventam um currículo em movimento que fissura o currículo tradicional, incluindo outras possibilidades de produzir o aprender. O movimento do dobrar e redobrar as propostas pedagógicas engendra forças que agem sobre elas mesmas, para criar múltiplos caminhos, ações abertas, constituindo singularidades. Compreende-se que esse movimento fortalece o princípio político do comum e funciona como contraconduta dos professores porque se afastam do esperado, como a conduta do ensinar e aprender nesses tempos neoconservadores. Em síntese: ao recusar serem governados dessa forma colocam-se junto aos estudantes para inventar outros currículos que os tornem aprendentes e, nesse movimento, criam trajetórias próprias para aprender.

Palavras-chave


Currículo; Distorção idade-série; Contraconduta; Neoliberalismo; Projeto Trajetórias Criativas.

Texto completo:

PDF

Referências


BECK, Ulrich. A metamorfose do mundo: novos conceitos para uma nova realidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Trajetórias Criativas: jovens de 15 a 17 anos no ensino fundamental: uma proposta metodológica que promove autoria, criação, protagonismo e autonomia: caderno 1: proposta [organizadores, Italo Modesto Dutra ... et al.]. Brasília, 2014. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16320-seb-traj-criativas-caderno1-proposta&Itemid=30192. Acesso em: 27 maio 2018.

CASTELS, Manuel. Ruptura: A crise da democracia liberal. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

COSTA, Helrison. O Lugar das Contracondutas na Genealogia Foucaultiana do Governo. Revista de Filosofia Moderna e Contemporânea. Brasília: UNB, v.7, n.1, p. 61-78. Abr. 2019. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/fmc/article/view/20767/21829. Acesso em: 30 jul. 2019.

DARDOT, Pierre; LAVAL - O Comum é a revolução, dizem Dardot e Laval. IHU on line. UNISINOS: São Leopoldo, 26 out. 2017. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/573045-o-comum-e-a-revolucao-dizem-dardot-e-laval. Acesso em: jun. 2018.

DARDOT, Pierre; LAVAL. Anatomia do novo neoliberalismo. Artigo de Pierre Dardot e Christian Laval. IHU on line. UNISINOS: São Leopoldo, 25 jul. 2019. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/591075-anatomia-do-novo-neoliberalismo-artigo-de-pierre-dardot-e-christian-laval. Acesso em: 02 jun. 2019.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova Razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DIAS, Karina de Araújo. A formação continuada de profissionais da Rede Municipal de Florianópolis: governamento e constituição de subjetividades docentes. Florianopolis: UFSC, 2017. Tese (Programa de Pós Graduação em Educação). Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/180702. Acesso em: 20 ago. 2019.

FOUCAULT, M. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault: uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995. p. 231-278.

FOUCAULT, M. Qu’est-ce que la critique? Critique et Aufklärung. Bulletin de la Société française de philosophie, v. 84, n. 2, p. 35- 63, avril/juin 1990 (Conferência proferida em 27 de maio de 1978). Disponível em: http://www.filoesco.unb.br/foucault. Acesso: 26 maio 2010.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território, população: Curso no Collège de France (1977-1978). 1 Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008. 572p.

GALLO, Silvio. Educação: entre a subjetivação e a singularidade. Educação. Santa Maria, v. 35, n. 2, p. 229-244, maio/ago. 2010. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/2073. Acesso em: 30 jun.2019.

GOULART, L. B.; SAENGER, L.. Trajetórias Criativas: abordagem metodológica para inserção de estudantes em processo de exclusão escolar. In: XIII Congresso do SPCE, 2016, Viseu - Portugal. XIII SPCE: fronteiras, diálogos e transições na educação. Viseu: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Educação, 2016. p. 469-478.

GRABOIS, P. F.. Resistência e revolução no pensamento de Michel Foucault: contracondutas, sublevações e luta. Cadernos de Ética e Filosofia Política (USP), v. 19, n. 2, p. 7-27, 2011. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/cefp/article/view/55736. Acesso em: 15 ago. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP. Painel Educacional, Brasília, 2018. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/painel-educacional. Acesso em: 25 jun.2019.

LAVAL. Christian. Os Estados construíram o atual sistema neoliberal. Entrevista com Christian Laval. IHU on line. UNISINOS: São Leopoldo, 24 mar. 2013. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/518704-os-estados-construiram-o-atual-sistema-neoliberal-entrevista-com-christian-laval. Acesso em: 02 jun. 2019. LOCKMANN, Kamila. A BNCC e os processos de in/exclusão: novas reconfigurações? Mesa redonda: BNCC e as políticas de inclusão na Educação Básica no Brasil. Colóquio Internacional de Educação Especial e Inclusão Escolar- UDESC. Florianópolis- SC, 25 a 27 de junho de 2019.

LORENZINI, Daniele. Foucault, la contro-condotta e l’atteggiamento critico - Materiali Foucaultiani, v. IV, n. 7-8, pp. 137-147. Gennaio-dicembre 2015. Disponível em: https://issuu.com/materialifoucaultiani/docs/materiali_foucaultiani_iv_7-8. Acesso: 31 jul. 2019.

MARÍN-DÍAZ, Dora Lília. A antropotécnica que molda o indivíduo pela educação. IHU On Line. São Leopoldo-RS: UNISINOS, n. 472, ano XV, 14/09/2015, p. 33-37. Disponível em: http://www.ihuonline.unisinos.br/edicao/472. Acesso: 21 ago. 2019.

PARAÍSO, M.; CALDEIRA, M. C. Currículos, gêneros e sexualidades para fazer a diferença. Pesquisas sobre currículos, gêneros e sexualidades. (Orgs.). Belo Horizonte: Mazza, 2018, p.13-22.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Colégio de Aplicação. Programa jovens de 15 a 17 anos no Ensino Fundamental/MEC. Relatório final 2014 - 2018. Porto Alegre, 2018.

VEIGA-NETO, Alfredo. Águas claras, águas turvas. In: XI Colóquio Internacional Michel Foucault: Foucault e as Práticas de Liberdade, 2018, Florianópolis: UFSC, 2018.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i4p1566-1586

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais