Erros e obstáculos em torno dos objetos ostensivos de taxas de variação: autoanalises dos discentes da engenharia civil do IFBA – Eunápolis
Errors and obstacles around ostentatious objects of variation rates: self-analysis of IFBA civil engineering students - Eunápolis

Celso Eduardo Brito, Luiz Marcio Santos Farias

Resumo


Este trabalho traz a análise de erros e obstáculos como proposta de aprendizagem de objetos matemáticos referentes ao Cálculo Diferencial e Integral I. O objetivo principal é investigar e analisar os erros e obstáculos, detectando sua alocação junto aos registros de representação semiótica (Duval, 2011), através da autoanalise do estudante, para turmas do Curso de Engenharia Civil do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Bahia – Campus Eunápolis, nos anos letivos de 2016 e 2017, em relação a sua aprendizagem dos objetos ostensivos e não-ostensivos de taxas de variação e relacionadas para funções com uma variável real. Se baseando nas análises das produções escritas dos estudantes, ancoradas em uma categorização prévia de erros indicada pelo docente dessa disciplina, e utilizando uma abordagem quanti-qualitativa, foi possível verificar as dificuldades que os discentes encontravam relativas aos erros e obstáculos, bem como classifica-los nos registros semióticos, e elencar os objetos ostensivos e não-ostensivos, com vistas a interferências futuras, no trabalho de doutoramento que pretende investigar o uso de tecnologias digitais, em relação aos problemas de taxas de variação e relacionadas. Por fim trazemos nas conclusões, os resultados positivos proporcionados pela metodologia, bem como a visão discente desse processo.


Palavras-chave


Erros e Obstáculos; Registros Semióticos; Taxas de Variação; Ostensivos e Não-ostensivos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMOULOUD, S. A. Fundamentos da didática da matemática. Curitiba: Ed. UFPR, 2007.

BITTAR, M. KASPARY, D. Ostensivos como instrumento no estudo das operações de

Adição e de subtração dos números naturais. Actas del VII CIBEM. p. 1424 – 1434, 2013;

BOSH, M. CHEVALLARD,Y. La sensibilité de l’activeté mathématique aux ostensifs. Objet d’estude et problematique. Recherches em Didactique des Mathématiques. Grenoble:La Pensé Sauvage-Éditions, v.19, n°1, 1 - 37. 1999.

DUVAL, R. Ver e ensinar matemática de outra forma: entrar no modo matemático de pensar: os registros de representação semióticas. Tradução: Marlene Alves Dias. 1 ed. São Paulo: PROEM, 2011;

HENRIQUES, A. ALMOULOUD, S. A. Teoria dos registros de representação semiótica em pesquisas na Educação Matemática no Ensino Superior: uma análise de superfícies e funções de duas variáveis com intervenção do software Maple. Ciênc. Educ., Bauru, v. 22, n. 2, p. 465-487, 2016.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2019v21i5p485-497

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA