CURRÍCULO E CONHECIMENTO ESCOLAR COMO MEDIADORES EPISTEMOLÓGICOS DO PROJETO DE NAÇÃO E DE CIDADANIA.

Fernando José de ALMEIDA, Maria da Graça Moreira da Silva

Resumo


Este artigo tece o diálogo entre currículo e conhecimento escolar, frente às crescentes demandas e responsabilidades educacionais, não tipicamente escolares, originadas nas últimas décadas do século XX.  Reconhece e nomeia as tensões inerentes ao contexto educacional contemporâneo e suas variáveis e, para fomentar o diálogo, revisita brevemente as raízes da educação integral escolanovistas, bem como os marcos da construção das políticas educacionais brasileiras culminando com a Base Curricular Comum Curricular (BNCC). Versa sobre a centralidade epistemológica do conhecimento escolar que cabe à finalidade da escola e à sua coerente competência como agência social de formação do conhecimento de gerações. O artigo contribui com o diálogo apontando caminhos para a construção de um desenho curricular que aproxime o conhecimento social com o conhecimento cultural, linguístico, científico e histórico, para consolidar um trabalho escolar de formação de competências cognitivas dos estudantes na participação da vida e de um digno viver coletivo. Conclui, provisória e preocupadamente, que as variáveis culturais e políticas que marcaram o cenário onde debate curricular ocorreu, se organizam em torno da carência que o pensamento estratégico sobre currículo acontece, sobre a pouca clareza do que seja o conhecimento escolar como espaço epistemológico de desenvolvimento do pensamento de um país, e de uma indefinição da função do estado enquanto instituição social que cuida da educação como direito de todos e como bem público.


Palavras-chave


Currículo; Conhecimento escolar; Cultura; Educação integral

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Fernando José de. Paulo Freire, Folha Explica. São Paulo: Publifolha, 2009.

BOTELHO, Isaura. Dimensões da cultura. São Paulo: SESC, 2016.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Lei Nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Poder Legislativo, Brasília,DF, 27 dez. 1961, Seção 1. p. 11.429.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Seção 1, n. 248, p. 27833-27841.

BRASIL. Lei Nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 26 jun. 2014. Seção 1, n. 120-A, edição extra, p. 1-7.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP Nº 15/2017. Base Nacional Comum Curricular. 2017. Disponível em:

. Acesso em: 20 jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Conselho Nacional da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB,DICEI, 2013.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em 3 artigos que se completam. 42. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

HARARI, Yuval Noah. Sapiens: uma breve história da humanidade. 15. ed. São Paulo: Cia das Letras, 2016.

HUGO, Victor. Os miseráveis. São Paulo: Cia. das Letras, 2014.

LOURENÇO FILHO, Manuel. Introdução ao estudo da Escola Nova. São Paulo: Melhoramentos, 1978.

MATURANA, Humberto. Cognição, ciência e vida cotidiana. Belo Horizonte: UFMG,2001.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes. 2005.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2018v16i3p594-620

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais