ENGAJAMENTO DE DOCENTES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: IMPLEMENTANDO ENSINO HÍBRIDO

Ernandes Rodrigues do Nascimento, Isabel Pauline Lima de Brito, Maria Auxiliadora Soares Padilha

Resumo


O ambiente de ensino e aprendizagem vem sofrendo mudanças. Esse movimento social, e também profissional, impacta na atuação do docente, o qual passa a ter um papel diferenciado, tornando-se um curador de conteúdo e mediador do processo formativo, que, muitas vezes, desenvolve-se por meio de metodologias ativas, práticas pedagógicas que põem o estudante no centro do processo formativo, transformando-o em protagonista da sua aprendizagem. Dentre as diversas metodologias ativas existentes, encontramos o ensino híbrido, foco do presente estudo. Com todas essas mudanças nos processos de aprender e ensinar, o professor tem tido pouco tempo para pensar, se planejar, e compreender, muitas vezes, sobre seu próprio papel, o que termina influenciando no nível de engajamento desse docente em suas atividades. Assim, como os docentes se engajam perante a transição do ensino tradicional ao híbrido em um curso superior? A pesquisa buscou identificar o nível de engajamento docente ao vivenciar a implementação do ensino híbrido, da aprendizagem por projetos e por problema, em dois cursos superiores. Objetivou-se ainda: compreender como os docentes se engajam em uma mudança metodológica e descrever como os estudantes percebem esse engajamento. Os dados foram coletados por meio de um semanário de aprendizagem dos professores e da aplicação da escala de engajamento docente. Utilizamos a análise teórica e descritiva. Os resultados apresentaram que os docentes se engajaram positivamente no processo de transição metodológica, mas que 20% ainda percebem que eram mais felizes no modelo tradicional de ensino, demonstrando que uma parcela de professores se sente desconfortável nesse cenário.


Palavras-chave


Engajamento docente; Ensino híbrido; Metodologias ativas.

Texto completo:

PDF

Referências


ADAMS, Patricia. GRINGAS, Happy. Blended Learning & Flipped Classrooms: A Comprehensive Guide (Teaching & Learning in the Digital Age). The Part-Time Press, 2017.

BACICH, Lilian. MORAN, José. Metodologias Ativa para uma Educação Inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

BACICH, Lilian., NETO, Adolfo. Tanzi. TREVISANI, Fernando. de Melo. Ensino Híbrido: Personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

BARBOUR, Rosaline. Grupos Focais. Porto Alegre: Artmed, 2009.

BARKLEY, Elizabeth. F. Student engagement techniques: A handbook for college faculty. John Wiley & Sons, 2009.

BONAMINO, Alice Maria Catalano. OLIVEIRA, Lúcia. Helena Gazólis. Estudos longitudinais e pesquisa na educação básica. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.34, n.3, p. 527-544, set./dez, 2013.

BERGMANN, Jonathan. SAMS, Aaron. Sala de Aula Invertida - Uma Metodologia Ativa de Aprendizagem. São Paulo: LCT, 2015.

CAMARGO, Fausto. DAROS, Thuinie. A Sala de Aula Inovadora: estratégias pedagógicas para fomentar o aprendizado ativo. Porto Alegre: Penso, 2018.

CHRISTENSEN, Clayton M. HORN, Michael B. STAKER, Heather. Ensino Híbrido: uma inovação disruptiva? Uma introdução à teoria dos híbridos. Clayton Christensen Institute, 2013.

CRESWELL, John. W. Projeto de Pesquisa. Porto Alegre: Penso, 2010.

FILATRO, Andrea. CAVALCANTI, Carolina Costa. Metodologias Inov-ativas: na educação presencial, a distância e corporativa. São Paulo: Saraiva, 2018.

HORN, Michael. B. STAKER, Healther. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

KLASSEN, Robert Mark. YERDELEN, Sündüs. DURKSEN, Tracy. Lyn. Measuring Teacher Engagement: Development of the Engaged Teachers Scale (ETS). In: Frontline Learning Research, vol. 2. pp. 33-52, 2013. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2019

KAHN, WILLIAM A. “Psychological Conditions of Personal Engagement and Disengagement at Work.” Academy of Management Journal, vol. 33, no. 4, pp. 692–724, 1990.

LEAL, Edvalda Araújo. MIRANDA, Gilberto José. CASA NOVA, Silvia Pereira de Castro Revolucionando a Sala de Aula: como envolver o estudante aplicando as técnicas de metodologias ativas de aprendizagem. São Paulo: Atlas, 2018.

MARTINS, Letícia Martins de; RIBEIRO, José Luis Duarte. Engajamento do estudante no ensino superior como indicador de avaliação. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 22, n. 1, p. 223-247, 2017.

PORTO-MARTINS, Paulo Cesar. BASSO-MACHADO, Pedro Guilherme. BENEVIDES-PEREIRA, Ana Maria Tereza. “Engagement No Trabalho: Uma Discussão Teórica.” Fractal: Revista De Psicologia, vol. 25, no. 3, pp. 629–644, 2013.

REYES DE CÓZAR, Salvador. Fortalecer la implicación y el compromiso de los estudiantes con la universidad. Una visión multidimensional del engagement. (Tesis Doctoral) Universidad De Sevilla, 2016.

SCHAUFELI, Wilmar. B. BAKKER, Arnold. B. The conceptualization and measurement of work engagement. In Bakker, A. B. & Leiter, M. P. (2010) Work engagement: A handbook of essential theory and research, New York: Psychology Press, 2010.

Vieira, Sonia. Alpha de Crombach. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2019.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i2p951-969

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais