ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA RELAÇÃO POSSÍVEL?

Ana Lara Casagrande, Kátia Morosov Alonso

Resumo


Este texto aborda a Educação a Distância (EaD) como estratégia de ensino a ser adotada parcialmente no Ensino Médio, conforme as novas Diretrizes Curriculares Nacionais voltadas a essa etapa (até 20% no período diurno e 30% no noturno). O Novo Ensino Médio foi proposto com a Lei nº 13.415/2017, que alterou a Lei de Diretrizes e Bases, estabelecendo uma mudança em arquitetura: ampliação do tempo mínimo do estudante na escola para 1.000 horas anuais (até o ano de 2022) e nova organização curricular, a que se denomina flexível, que contempla a Base Nacional Comum Curricular e a oferta de diferentes itinerários formativos, com foco nas áreas de conhecimento e na formação técnica e profissional. Objetivamos, então, problematizar a relação entre a etapa final da Educação Básica e a EaD. Concluímos que não é viável para este momento a adoção da EaD no Ensino Médio, pois coaduna mais com um modo de precarização da Educação, dado que a justificativa central parece assentar-se nos custos, além de desprezar o percurso ainda a ser consolidado da modalidade na expansão do acesso à educação superior em nosso país, visto que sua institucionalização ainda não é considerada um processo acabado.


Palavras-chave


Novo Ensino Médio; Educação a Distância; Política educacional.

Texto completo:

PDF

Referências


BOLSONARO, Jair Messias. Proposta de plano de governo. O caminho da prosperidade: proposta de plano de governo. Disponível em: https://docs.wixstatic.com/ugd/b628dd_f16f8088c3f24471a43c52a93e25e743.pdf. Acesso em: 13 dez. 2019.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Tradução Reynaldo Bairão. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves Editora, 1975.

BRASIL. Lei n.º 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Brasília, 25 de junho de 2014.

BRASIL. Lei n.º 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Brasília, 16 de fevereiro de 2017.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. O que é o Sistema UAB e sua legislação. 2019. Disponível em: https://www.capes.gov.br/uab/o-que-e-uab. Acesso em: 23 mar. 2020.

CORREA, Thiago Moreira. Vivências presenciais e a distância: uma visão tensiva da educação. Anais... Congresso Nacional Universidade, EAD e Software Livre, v. 2, n.10, p. 1-6, 2019.

CORRÊA, Laura Henrique. A violência sistêmica e autoexplorativa do empresário de si: o paradoxo da liberdade no ethos neoliberal e o adoecimento psíquico na sociedade do cansaço. Rev. Sociologias Plurais, v. 5, n. 1, p. 125-146, jul. 2019.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

FERNANDES, Talita. Bolsonaro propõe ensino a distância para combater marxismo e reduzir custos. Folha de S. Paulo [on-line], Seção Poder, 8 ago. 2018. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/08/bolsonaro-propoe-ensino-a-distancia-para-combater-marxismo-e-reduzir-custos.shtml. Acesso em: 3 dez. 2019.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Concepções e mudanças no mundo do trabalho e o ensino médio. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (Orgs.). Ensino médio integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005. p. 57-82.

GENTILI, Pablo Antonio Amadeo; SILVA, Tomaz Tadeu da. Neoliberalismo, qualidade total e educação: visões críticas. 12. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

GRABOWSKI, Gabriel. Proposta pedagógica: Ensino Médio integrado à Educação Profissional. In: GRABOWSKI, Gabriel. Ensino Médio Integrado à Educação Profissional. Salto para o futuro. Brasília: Ministério da Educação, 2006. p. 5-15.

KUENZER, Acácia Zeneida. Trabalho e escola: a flexibilização do Ensino Médio no contexto do regime de acumulação flexível. Educação e Sociedade, Campinas, n. 139, v. 38, p. 331-354, abr./jun. 2017.

LIMA, Daniela da Costa Britto Pereira; FARIA, Juliana Guimarães. Expansão e institucionalização da Educação a Distância no Brasil: reflexões referentes ao seu processo. In: MACIEL, Cristiano; ALONSO, Kátia Morosov; PEIXOTO, Joana (Orgs.). Educação a Distância: experiências, vivências e realidades. Cuiabá: EdUFMT, 2016. p. 22-44.

LOPES, Anderson. Avaliação em Educação Matemática a Distância: uma experiência de geometria no Ensino Médio. Orientadora: Ana Paula Jahn. 2004. 114 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Programa de Estudos Pós-graduados em Educação Matemática, São Paulo, 2004.

MACEDO, Jussara Marques de. Reconhecimento do notório saber e a inclusão excludente do professor na educação básica: qual o lugar da universidade na formação? RPGE– Revista on line de Política e Gestão Educacional, v.21, n. esp.2, p. 1239-1259, nov. 2017.

MEC. Governo lança Novo Ensino Médio, com Escolas em Tempo Integral e nova proposta curricular. Ministério da Educação, 2019a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/39691-novo-ensino-medio. Acesso em: 31 jan. 2020.

MEC. Novo Ensino Médio: perguntas e respostas. Ministério da Educação, 2019b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=40361. Acesso em: 28 jan. 2020.

MEZOMO, João Catarin. Educação e qualidade total: a escola volta às aulas. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

MORAN, José Manuel. Ensino e aprendizagem inovadores com apoio de tecnologias. In: MORAN, José Manuel; MASETTO, Marcos T.; BEHRENS, Marilda Aparecida (Orgs.). Novas tecnologias e mediação pedagógica. 21. ed. Campinas: Papirus, 2013. p. 11-72.

OBSERVATÓRIO DO PNE. Ensino Médio. 2019. Disponível em: https://www.observatoriodopne.org.br/indicadores/metas/3-ensino-medio/indicadores. Acesso em: 28 jan. 2020.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. As políticas de formação e a crise da profissionalização docente: por onde passa a valorização. Revista Educação em Questão, v. 46, n. 32, p. 51-74, maio/ago. 2013.

PETTER, Rosemery Celeste. Percurso e processo de institucionalização da Educação a Distância na Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Cristiano Maciel. 2019. 338 f . Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Cuiabá, 2019.

PINTO, José Marcelino de Rezende; AMARAL, Nelson Cardoso; CASTRO, Jorge Abrahão de. O financiamento do Ensino Médio no Brasil: de uma escola boa para poucos à massificação barata da rede pública. Educação e Sociedade, Campinas, v. 32, n. 116, p. 639-665, jul./set. 2011.

PRETI, Oreste. Educação a Distância: fundamentos e práticas. Cuiabá: EdUFMT, 2009.

RAMOS, Marise Nogueira. Ensino Médio Integrado: lutas históricas e resistências em tempos de regressão. In: ARAÚJO, Adilson Cesar; SILVA, Cláudio Nei Nascimento da (Orgs.). Ensino Médio Integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: IFB, 2017. p. 20-43.

SOUZA, Solange Flores de. O Ensino Médio Integrado à Educação Profissional em Mato Grosso. Orientadora: Eglen Silvia Pipi Rodrigues. 2015. 111 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Curso de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Rondonópolis, 2015.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i3p1447-1465

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais