Currículo de Matemática da Educação de Jovens e Adultos: análise de prescrições na perspectiva cultural da Matemática

Gilberto Januário dos Santos

Resumo


Nosso estudo investiga currículo de Matemática prescrito para a Educação de Jovens e Adultos. Selecionamos a Proposta Curricular para a EJA, segundo segmento do Ensino Fundamental, como exemplar de currículo prescrito, elegendo o Volume I (Introdução) e Volume 3 (Matemática) para responder às questões: Que características são apresentadas na Proposta Curricular para a Educação de Jovens e Adultos que possibilitam a aproximação da cultura formal da cultura informal da Matemática? Que características enculturadoras têm esse currículo? Que critérios apresentam em relação à organização dos conteúdos? Que opções apresentam para a escolha de contextos? Desenvolvemos uma pesquisa na abordagem qualitativa, do tipo análise documental. O referencial teórico deste estudo reporta-se a autores como Pacheco e Sacristán na retomada de episódios do aparecimento e desenvolvimento e multiplicidade de significados atribuídos ao termo Currículo; também de trabalhos acerca do Currículo de Matemática, da perspectiva cultural da Matemática e do currículo enculturador, tendo como referência teórica Bishop e D’Ambrosio; e estudos de Pires e Skovsmose a respeito da organização curricular e de critérios para a escolha dos contextos de ambientes de aprendizagem matemática. A análise da Proposta Curricular para a EJA, norteada por categorias que emergiram dos referenciais teóricos, explicitou haver recomendações favoráveis e potencialmente promotoras da aproximação da cultura formal da cultura informal da Matemática, por meio de sugestões e orientações como as que consideram os conhecimentos advindos das relações sociais de jovens e adultos como ponto de partida para a aprendizagem; que os conteúdos sejam propostos de modo a promover uma rede de relações entre si e saberes de outras áreas, possibilitando uma pluralidade de significados dos conceitos e das atividades; que se dê ênfase ao trabalho com projetos e investigações para que o aluno possa desvendar as ideias matemáticas; que os conteúdos enfatizem diferentes aplicações da Matemática e que preparem o aluno para construírem ideias cada vez mais complexas, partindo de situações simples; que os ambientes de aprendizagem sejam concebidos nos paradigmas de exercícios e investigação, havendo equilíbrio entre os ambientes, e entre exercícios e investigação; e que sejam utilizadas diferentes estratégias de resolução, incentivando o jovem e o adulto a explicitar, por meio de diferentes registros, como mobiliza seus saberes e tendo o professor como mediador da ação de aprendizagem.

Palavras-chave: Currículo de Matemática; Educação de Jovens e Adultos; Currículo Enculturador; Perspectiva cultural da Matemática.

ABSTRACT

Our study investigates Mathematics Curriculum prescribed for Youth and Adult Education. We selected the Proposed Curriculum for the EJA, second segment of the Elementary School, as an example of curriculum prescribed by electing Volume I (Introduction) and Volume 3 (Mathematics) to answer the questions: What characteristics are presented in the Proposed Curriculum for the Education of Young and Adults that allow the approach of the formal culture of the informal culture of mathematics? What characteristics enculturators this curriculum? What criteria have on the organization of  content? What options have the choice of contexts? We develop a qualitative research approach, type documentary analysis. The theoretical framework of this study refers to authors such as Pacheco and Sacristán the resumption of episodes, appearance, development and multiplicity of meanings attributed to the term curriculum; also work on the mathematics curriculum, the cultural perspective of mathematics and curriculum enculturator, with reference to theoretical Bishop and D’Ambrosio; and studies Pires and Skovsmose about the curriculum and criteria for the choice of the contexts of mathematics learning environments. Analysis of the Proposed Curriculum for the EJA, guided by categories that emerged from theoretical frameworks, there are explicit recommendations for and potentially promoting the alignment of formal culture of informal culture of mathematics, through suggestions and guidelines such as those that consider the knowledge acquired from social relations of youth and adults as a starting point for learning, that content is proposed to promote a network of relations and knowledge of other areas, enabling a plurality of meanings of the concepts and activities, which emphasize to work with projects and investigations for the student to solve the mathematical ideas; the contents emphasize different applications of mathematics and to prepare the student to build increasingly complex ideas, from simple situations, the learning environments are designed in paradigms and research exercises, there is balance between the environment, and between exercises and research and are used different coping strategies, and encouraging young adults to clarify, by means of different records, such as mobilizing their knowledge and with the teacher asmediates the action of learning.

Keywords: Mathematics Curriculum, Youth and Adult Education, Curriculum enculturator; Cultural perspective of Mathematics.

http://www.pucsp.br/pos/edmat/ma/dissertacao/gilberto_januario.pdf


Texto completo:

HTML

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA