Rotação por estações no trabalho com equações do 2º grau: uma experiência na perspectiva do ensino híbrido
Rotation for stages at work with equations of 2nd level: an experience in the perspective of hybrid education

Débora Sudatti Guimarães, Sônia Maria da Silva Junqueira

Resumo


Esse artigo apresenta os resultados de uma experiência realizada na perspectiva do Ensino Híbrido, na modalidade Rotação por estações, com o objetivo de verificar sua viabilidade no âmbito de uma aula matemática no Ensino Fundamental, além das relações que envolvem autonomia e protagonismos dos estudantes. A metodologia se constituiu em uma abordagem qualitativa, em uma pesquisa intervenção pedagógica. Os resultados da análise permitiram concluir que o Ensino Híbrido, na modalidade Rotação por estações, pode ser uma alternativa com alto potencial para a construção do conhecimento autônomo, colaborativo e crítico, pois permite um leque de possibilidades de inovação na sala de aula, além de exigir do professor um planejamento criativo e eficiente e a mudança de seu papel no processo educativo.

This article presents the results of an experience carried out from the perspective of Hybrid Teaching, in the Rotation by Stations modality, with the objective of verifying its viability in the framework of a mathematical class in Elementary School, besides the relations that involve autonomy and protagonist of students. The methodology was constituted in a qualitative approach, in a research pedagogical intervention, whose data were subjected to a discursive textual analysis. The results of the analysis allowed to conclude that Hybrid Teaching, in the Rotation by Stations modality,  has high potential for the construction of autonomous, collaborative and critical knowledge, since it allows a range of possibilities of innovation in classroom, besides require of the teacher a creative and efficient planning and the change of its role in the educative process.


Palavras-chave


Ensino Híbrido, Rotação por estações, Metodologia Ativa, Avaliação Ativa.

Texto completo:

PDF

Referências


BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. D. M. Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. 1ª. ed. Porto Alegre: Penso, 2015. 270 p.

BICUDO, M. A. V. Pesquisa em Educação Matemática: Concepções e Perspectivas. São Paulo: UNESP, 1999.

BROOKHART, S. How to create and use rubrics for formative assessment and grading. Alexandria, Virginia (USA): ASCD, 2013.

BROUSSEAU, G. Fondements et methods de la didactique des mathématiques. Recherches en Didactique des Mathématiques, 7, (2), p. 33-115, 1986.

CARBONELL, J. A aventura de inovar: a mudança na escola. Tradução de Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002. 120 p.

D'AMBROSIO, B. S. Como ensinar matemática hoje? Temas e Debates. Brasília, SBEM, v. 2, n. II, p. 15-19, 1989.

D'AMBROSIO, U. Etnomatemática: Elo entre as tradições e a modernidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

DAMIANI, M. Sobre pesquisas do tipo intervenção. XVI ENDIPE - Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino, Campinas, Anais... Campinas: Junqueira&Marin Editores, 2012, p. 2882-2890.

DANTAS FILHO, J. V. Baixo rendimento na disciplina de matemática. Educa Revista Multidisciplinar em Educação, Porto Velho, v. 4, n. 9, p. 98-113, set/dez. 2017.

FINO, C. N. Inovação pedagógica: significado e campo (de investigação). In Alice Mendonça & António V. Bento (Org). Educação em tempo de mudança. Funchal: Grafimadeira, p. 277-287, 2008.

FLORA, M. Para que serve a fórmula de Bháskara? vídeo (07min08seg) Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2018.

FROTA, M. C.R.; BORGES, O. Perfis de entendimento sobre o uso de tecnologias na educação matemática. In: Anais da 27ª reunião anual da Anped. Caxambu, nov. 2004.

HOWELL, R. Grading rubrics: hoopla or help? Innovations in Education and Teaching International, v. 51, n.5. p. 400-410, 2014.

HORN, M. B.; STAKER, H. Blended: usando a inovação disruptiva para aprimorar a educação. Tradução: Maria Cristina Gularte Monteiro. Porto Alegre: Penso, 2015. 292 p.

IMENES, L. M.; JAKUBO, J.; LELLIS, M. C. Equação do 2º grau. In: Coleção Pra que Serve a Matemática? São Paulo: Atual, p. 12-14, 1992.

LÜDKE, H. A. L. M. O Trabalho com Projetos e a Avaliação na Educação Básica. In: ESTEBAN, M.T.; HOFFMANN, J.; SILVA, J.F. (Orgs). Práticas Avaliativas e Aprendizagens Significativas. Porto Alegre: Mediação, 2003, p.67-80.

MORAN, J. Metodologias ativas e modelos híbridos na educação. In: YAEGASHI, S. at. al (Orgs). Novas Tecnologias Digitais: Reflexões sobre mediação, aprendizagem e desenvolvimento. Curitiba: CRV, 2017, p.23-35. Disponível em: < http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2018/03/Metodologias_Ativas.pdf>. Acesso em: 19 nov. 2018.

______. Mudando a educação com metodologias ativas. In: SOUZA, C.A.; MORALES, O.E.T. (Orgs.). Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Coleção Mídias Contemporâneas, v. II. Ponta Grossa: Foca Foto-PROEX/UEPG, 2015, p. 15-33, 2015. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

MOREIRA, M. A. Abandono da narrativa, ensino centrado no aluno e aprender a aprender criticamente. Ensino, Saúde e Ambiente, Niterói, Rio de Janeiro, v.4, n.1, 2011.

SKOVSMOSE, O. Desafios da reflexão em Educação Matemática Crítica. Tradução de Orlando de Andrade Figueiredo e Jonei Cerqueira Barbosa. 1. ed. Campinas, São Paulo: Papirus, 2008. 138 p.

______ . Educação Matemática Crítica: a questão da democracia. 1. ed. Campinas, São Paulo: Papirus, 2001.

______. Cenários para investigação. Bolema, Rio Claro, ano 13. n. 14, p. 66-91, 2000.

_____ . A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. tradução Eloá Jacobina. 8. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003, 128 p.

ZACARIAS, S. M. Z. A Matemática e o Fracasso Escolar: Medo, Mito ou Dificuldade. 2008. 112 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação de Mestrado em Educação, Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente-SP, 2008.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2020v22i1p708-730

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 Educação Matemática Pesquisa : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática



INDEXADORES DA REVISTA
     
             Anti-Plágio