EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E CURRÍCULO: HIPERTEXTO COMO PERSPECTIVA DE FLEXIBILIDADE E DESIGN PEDAGÓGICO

Mary Valda Souza Sales, Emanuel do Rosário Santos Nonato

Resumo


Este estudo constitui uma construção teórica em torno da EaD seus tipos, metodologias e tecnologia, do currículo e suas diversas possibilidades de constituição experiencial, tendo o hipertexto como base para se pensar em perspectivas mais abertas e ampliadas para o desenvolvimento de práticas curriculares, principalmente, na EaD a partir da constituição de design pedagógico que possibilite o desenvolvimento da autonomia, da criatividade, da inventividade e, ao mesmo tempo, possam implicar os sujeitos no processo formativo. As discussões sobre o currículo propostas aqui não se circunscrevem apenas à EaD, pois a proposta de pensar o currículo sob a chave de análise da EaD e dos design pedagógicos que o conformam na ambiência on-line constitui um passo teórico importante no sentido de validar os caminhos próprios da EaD, demonstrando o quanto essa modalidade tem a contribuir para a Educação em termos de aportes teórico-metodológicos os quais podem ser integrados à educação presencial, seja pela via da importação, seja pela via da hibridização das modalidades na linha do blended learning. Portanto, este estudo é uma reflexão acerca das diversas possibilidades apresentadas pela EaD enquanto Educação mediada pelas tecnologias para um repensar das perspectivas de currículo e metodologia desenvolvidas no contexto da formação de maneira geral.


Palavras-chave


Educação a distância; Currículo; Design pedagógico; Hipertexto; Tecnologias.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail Mikhailovitch. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 11. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Tradução de Plínio Dentzein. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

______. A sociedade individualizada: vidas contadas e histórias vividas. Tradução de José Gradel. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

______. Entrevista sobre educação: desafios pedagógicos e modernidade líquida. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 137, p. 661-684, maio/ago. 2009. Entrevista concedida a Alba Porcheddu.

BRASIL. Decreto nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 20 dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

BRASIL. Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o art. 80 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 26 maio 20017. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2019.

CASTELLS, Manuel. The informational city: information technology, economic restructuring and the urban-regional process. Malden, Massachusetts: Blackwell, 2002.

______. A sociedade em rede. Tradução de Roneide Venâncio Majer. 8. ed. rev. e ampl. São Paulo: Paz e Terra, 2005. v. 1.

DOLL JR., William E. Currículo: uma perspectiva pós-moderna. Tradução de Maria Adriana Veríssimo Veronese. 2. reimp. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

HABERMAS, Jürgen. Agir comunicativo e razão descentralizada. Tradução de Lúcia Aragão. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2002.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia: entre facticidade e validade. Tradução de Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2011.

HABERMAS, Jürgen. Teoria do agir comunicativo: racionalidade da ação e racionalização social. Tradução de Paulo Astor Soethe. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012. v. 1.

LIMA JÚNIOR, Arnaud Soares de. Tecnologias inteligentes e educação: currículo hipertextual. Rio de Janeiro: Quartet, 2005.

MACEDO, Roberto Sidnei. Currículo: campo, conceito e pesquisa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

MACEDO, Roberto Sidnei; BARBOSA, Joaquim Gonçalves; BORBA, Sérgio. Multirreferencialoidade: o pensar de Jacques Ardoinio em perspectiva e a problemática da formação.In: MACEDO, Roberto Sidnei; BARBOSA, Joaquim Gonçalves; BORBA, Sérgio (Org.). Jacques Ardoino & a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2012. p. 35-61.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Tradução de Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dórea. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

MOORE, Michael; KEARSLEY, Greg. Educação a distância: uma visão integrada. Tradução de Roberto Galman. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

MORAN, José. Educação híbrida: um conceito chave para a educação, hoje. In: BACICH, Lilian; TANZI NETO, Adolfo; TREVISANI, Fernando de Mello (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015. p. 27-46.

NONATO, Emanuel do Rosário Santos. A formação do hiperleitor: características do processo de desenvolvimento da autonomia e emancipação crítica do aluno-hiperleitor. 2006. 196 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Departamento de Educação, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2006.

______. Hiperleitura e hipertexto: contribuições para uma teoria do hipertexto. 2013. 321 f. Tese (Doutorado Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Laboratório Nacional de Ciências da Computação (LNCC) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Salvador, 2013.

______; SALES, Mary Valda Souza. Currículo e hipertexto em EaD. In: CONGRESSO DE ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA - ESUD, 11., 2014, Florianópolis. Anais. Florianópolis: UFSC, 2014. p. 1931-1941. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

______. Educação superior pública a distância na Bahia: avanços e contradições. Revista da FAEEBA: Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 24, n. 44, p. 109-130, jul./dez. 2015.

NONATO, Emanuel do Rosário Santos; SALES, Mary Valda Souza. Hipertextualidade e ambientes virtuais de aprendizagem: encontros e desencontros de uma mudança paradigmática. Poiésis, Tubarão, v. 5, n. 9, p. 8-33, jan./jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

PACHECO, José Augusto. Currículo: teoria e práxis. Porto: Porto Ed., 2001.

PEDRA, José Alberto. Currículo, conhecimento e suas representações. 5. ed. Campinas, SP: Papirus, 2001.

SACRISTÁN, José Gimeno. O significa o currículo. In: SACRISTÁN, José Gimeno (Org.). Saberes e incertezas sobre currículo. Tradução de Alexandre Salvaterra. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 16-35.

SALES, Mary Valda Souza. Tessituras entre mediação e autora nas práticas de currículo na formação a distância: a construção do conhecimento no contexto universitário. 2013. 291 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013.

SALES, Mary Valda Souza; NONATO, Emanuel do Rosário Santos. EaD e material didático: reflexões sobre mediação pedagógica. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 2007, Curitiba. Anais eletrônicos... São Paulo: ABED, 2007. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i2p616-645

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais