METODOLOGIAS ATIVAS DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: ASPECTOS HISTÓRICOS, PRINCÍPIOS E PROPOSTAS DE IMPLEMENTAÇÃO

Thais de Souza Schlichting, Marcia Regina Selpa Heinzle

Resumo


Transformações tecnológicas e reflexos da globalização são agentes que modificam dinâmicas sociais e profissionais, (inter)agir em sociedade, especialmente, no mundo do trabalho são atuações reconstruídas ao longo do tempo. Aparecem, assim, novas demandas por perfis profissiográficos que respondam às transformações ocorridas. Reflete-se sobre o papel da educação superior e das perspectivas curriculares na formação desses futuros profissionais de distintas áreas. Ganham espaço nessa discussão, as metodologias ativas de aprendizagem que consideram o estudante o centro do processo de ensino e aprendizagem aproximando suas formações acadêmica e profissional. Inserido nesse contexto, este artigo objetiva compreender aspectos históricos e princípios de dois formatos de metodologias ativas de aprendizagem e sua implementação em contextos curriculares de educação superior no Brasil. Para tanto, são resgatados movimentos históricos de teorias e pressupostos que ajudaram na sistematização das seguintes metodologias ativas de aprendizagem: PBL (Problem Based Learning) e PLE (Project Led Education). São discutidos, à luz do que definem as Diretrizes Curriculares Nacionais, princípios e orientações dessas metodologias e analisados perfis e habilidades profissionais requeridas em Projetos Curriculares de Curso de dois contextos de educação superior brasileiros, cursos de Medicina e Engenharia, consideradas pioneiras na implementação da aprendizagem ativa. Os resultados sinalizam que movimentos históricos e princípios de metodologias ativas orientam novas propostas de desenhos curriculares na educação superior. Ambas instituições analisadas propõem inserir os estudantes na cultura de solução de problemas, enfatizando aspectos de autonomia diante de situações reais de sua profissão, formação técnico-científica com atitudes ético-humanísticas e a capacidade de trabalhar em equipes multidisciplinares.


Palavras-chave


Metodologias ativas; PBL; PLE; Educação superior.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, Marise Nancy.; MOURA, Dácio Guimarães. Origem da metodologia de projetos, seu significado, trajetória e contribuições nos processos educativos. In: IV SENEPT – Seminário nacional de educação profissional e tecnológica. Belo Horizonte, 2010.

BARBOSA, Eduardo Fernandes.; MOURA, Dácio Guimarães. de. Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. B. Tec. Senac, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 48-67, mai./ago., 2013.

BENDER, William N. Aprendizagem baseada em Projetos: educação diferenciada para o século XXI. Porto Alegre: Penso, 2014.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Interface comun saúde educ, v. 2, n. 2, p. 139-154, 1998.

BRANDA, Luís A. A aprendizagem baseada em problemas – o resplendor tão brilhante de outros tempos. In: ARAÚJO, U. F.; SASTRE, G. (Orgs.) Aprendizagem baseada em problemas no ensino superior. São Paulo: Summus, 2009. p. 205-236.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CES nº 116/2014, aprovado em 3 de abril de 2014 - Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CES nº 1/2019, aprovado em 23 de janeiro de 2019 - Diretrizes Curriculares

Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia.

CAMPOS, Bárbara Cristina Oliveira de. A aprendizagem baseada em problemas no processo de formação docente do curso de Engenharia biomédica da PUC-SP. 2011. Orientadora: Neide de Aquino Noffs. Dissertação (Mestrado em Educação). São Paulo: PUC, 2011.

CELLARD, André. A análise documental. In: POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 295-316.

DE CARVALHO BORGES, Marcos. et al. Aprendizado baseado em problemas. Medicina (Ribeirão Preto. Online), v. 47, n. 3, p. 301-307, 2014.

DEWEY, John. A escola e a sociedade a criança e o currículo. Lisboa: Relógio D’ Água Editores, 2002.

DEWEY, John. Experiência e educação. Petrópolis, R.J.: Vozes, 2011.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HALL, Stuart. A identidade cultura na pós-modernidade. 10. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

HEINZLE, Márcia Regina Selpa. Recontextualização do currículo integrado nos cursos de medicina da UFSC e UNOCHAPECÓ. 2012. Orientadora: Maria Helena Salgado Bagnato. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2012.

HEINIG, Otilia Lizete de Oçiveira Martins.; FRANZEN, Bruna Alexandra. A leitura e a escrita na engenharia: construindo intersecções entre o mundo do trabalho e a academia. Revista de Ensino de Engenharia, v. 32, n. 2, p. 9-18, 2013. HEINZLE, Márcia Regina Selpa.; BAGNATO, Maria Helena Salgado. Recontextualização do currículo integrado na formação médica. Pró-Posições. v.26, n.3, p. 225 - 238, 2015.

LIMA, Rui et al. Formas de implementação de processos de ensino-aprendizagem baseados em projetos interdisciplinares (PBL). In:

OLIVEIRA, V. F.; CAVENAGHI, V.; MÁSCULO, F. S. (Orgs.). Tópicos emergentes e desafios metodológicos em Engenharia de Produção: casos, experiências e proposições. Rio de Janeiro: ABEPRO, 2011. p. 294-305.

MASETTO, Marcos T. Inovação curricular no ensino superior: organização, gestão e formação de professores. In: MASETTO, Marcos T. (Org.) Inovação no ensino superior. São Paulo: Edições Loyola, 2012. p. 15-36.

MASETTO, Marcos T. Inovação na educação superior. Interface – comunicação, saúde, educação, v. 8, n. 14, set. 2003-fev. 2004.

MASSON, Terezinha Jocelen. et al. Metodologia de ensino: aprendizagem baseada em projetos. In: COBENGE 2012. Belém do Pará, 2012.

MORAIS, Maria de Fátima. A utilização de métodos participativos no ensino de engenharia de produção: o caso do curso de engenharia de produção agroindustrial da FECILCAM. In: IV EPCT Encontro de produção científica e tecnológica, 2009.

MOREIRA, Francisco et al. Engineering education for Sustainability. Workshop ministrado no Sixth International Symposium on Project Approach in Engineering Education (PAEE, 2014). Medellín, 2014.

MOREIRA, Antonio Flavio B.; MACEDO, Elizabeth. Currículo, identidade e diferença. In: MOREIRA, Antonio Flavio B.; MACEDO, Elizabeth (Orgs.). Currículo, práticas pedagógicas e identidades. Porto: Porto, 2002. p. 11-33.

PASSOS, Frederico José Vieira. Aprendizado baseado em projetos (PBL – problem-based learning). Artigo de Revisão. 2003.

PEREIRA, Elizabete Monteiro de Aguiar. Currículo Universitário: o que pensam os docentes? In: 33ª Reunião Nacional da ANPED, 2010.

POWELL, Peter C.; WEENK, Wim. Project-led engineering education. Utrecht: Lemma, 2003.

RIBEIRO, Luís Roberto de Camargo. Aprendizagem baseada em problemas (ABP): uma experiência no Ensino Superior. São Carlos: EdUFSCAR, 2010.

SCHLICHTING, Thais de Souza. Letramentos em contexto de aprendizagem ativa nas engenharias: "construindo o edifício das palavras para nele ser inquilino". 2016. Orientadora: Otilia Lizete de Oliveira Martins Heinig. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Educação – Universidade Regional de Blumenau. Blumenau: FURB, 2016.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

SILVA, Leandro Palis.; CECÍLIO, Sálua. A mudança no modelo de ensino e de formação na engenharia. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 45, 61-80, jun. 2007.

TAVARES, Samuel Ribeiro.; CAMPOS, Luiz Carlos de. An analysis on the theoretical foundations and practical applications of the PBL and PLE methodologies in Engineering Education. In: Proceedings of Sixth International Symposium on Project Approach in Engineering Education (PAEE, 2014). Medellín, 2014.

ZANOLLI, Maurício Braz. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na área clínica. In: MARINS, João J. N. et al. (Orgs.) Educação médica em transformação: instrumentos para a construção de novas realidades. São Paulo: Hucitec, 2004. p. 40-61.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i1p10-39

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais