(F)JOGOS DA LINGUAGEM PARA UM POVO DO CAMPO: POR UMA ERRÂNCIA DA AGROECOLOGIA E DA EDUCAÇÃO DO CAMPO

Oscar Emerson Zúñiga Mosquera

Resumo


Trata-se de uma reflexão ético-político que problematiza a forma em que a noção de povo é trabalhada ao interior de dois campos que se articulam epistemológica e politicamente como são a Agroecologia e a Educação do Campo. O deslocamento para o campo dos estudos culturais leva-nos a extrair possíveis consequências para os processos de (trans)formação humana na educação do/no campo e na agroecopedagogia. De tal forma, enveredamos por uma problematização transversal de povo, que constitui a superficialidade e as camadas dos movimento mencionados. Para tal fim, fazemos uso de categorias desenvolvidas pelo pensador argentino Ernesto Laclau. Nossa arguição é uma tentativa de estabelecer um dialogo entre a epistemologia da educação popular conetada com a dimensão ontológica para desnaturalizar as identidades e os limites transformadores que são outorgadas às identidades emancipatórias. Assim, ao privilegiar uma ontologia política da estrutura social como constituída por relações de poder, podemos enviesar a questão da contra-hegemonia tanto para a Agroecologia e a Educação do Campo por dois caminhos, um da produção e outro da não-produção recuperando assim o pensamento utópico do ostracismo ao qual foi condenando; igualmente pensamos que esta discussão sobre o vazio da realidade, da totalidade, das demandas e do sujeito possibilitam uma educação contra-hegemônica não necessariamente vinculada a uma emancipação imanente seja do sujeito ou do meio, mas pela constituição dos discursos atrelados a um cuidado de si, no qual uma formação transdisciplinar sustentada nas inquietações espirituais são uma demanda para a formação nos cursos de Agroecologia e de Educação do Campo.


Palavras-chave


Currículo; Estudos Culturais; Formação Docente; Interdisciplinaridade.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. Educación para la emancipación Conferencias y conversaciones con Hellmut Becker (1959-1969). Madrid: EDICIONES MORATA, 1998.

AGUIAR, Maria Virgínia de Almeida et al. I Seminário Nacional de Formação em Agroecologia. Construindo princípios e diretrizes. Recife, 2013.

CALDART, Roseli Salete. Educação do Campo: notas para análise de percurso. In: Educação do Campo: Semiárido, Agroecologia, Trabalho e Projeto Político Pedagógico. Prefeitura Municipal de Santa Maria da Boa Vista – PE Secretaria Municipal de Educação Coordenação da Educação do Campo. p. 15-40.

CAPORAL, Francisco Roberto. Agroecologia: uma nova ciência para apoiar a transição a agriculturas mais sustentáveis. In: CAPORAL, R. F. (org.) Agroecologia: uma ciência do campo da complexidade. Brasília: 2009. p. 9-64.

CAPORAL, Francisco Roberto; COSTABEBER, José Antônio; PAULUS, Gervásio. Agroecologia: uma ciência do campo da complexidade. Brasília: 2009.

COMISSÃO INTERMINISTERIAL DE EDUCAÇÃO EM AGROECOLOGIA E SISTEMAS ORGÂNICOS DE PRODUÇÃO. I Fórum de Educação em Agroecologia e Sistemas Orgânicos de Produção 30 de setembro e 01 de outubro de 2007 Guarapari, ES.

DUBEUX, Ana; MEDEIROS, Alzira J. S. A construção de conhecimento em Agroecologia no Semiárido brasileiro: interculturalidade e diálogo de saberes na sistematização de experiências. In: DUBEUX, Ana; MEDEIROS, Alzira J. S.; AGUIAR, Maria Virgínia de Almeida (Orgs.). Agroecologia na convivência com o semiárido: experiências vividas, sentidas, aprendidas. Recife: Ed. dos Organizadores, 2015. p. 23-52.

FERREIRA, Ana Marta Chacon. A agroecologia para a aldeia Sapukaí em Angra dos Reis –RJ através da Escola Karaí Kuery Renda. 80 F. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola). Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. 2014.

FERREIRA, Janice Wallau. Estudo de caso dos alunos do curso técnico em agroecologia do Instituto Federal Farroupilha, Campus Alegrete, envolvidos em projetos orientados à luz da teoria de Ausubel. 34 f. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola). Universidade Federal Rural do Rio De Janeiro. 2013.

GILSON, Gustavo Oliveira; OLIVEIRA, Anna Luiza; MESQUITA, Rui Gomes de Mattos de. A Teoria do Discurso de Laclau e Mouffe e a Pesquisa em Educação. Educação & Realidade [en linea] 2013, 38 (Octubre-Diciembre): Disponível em:. ISSN 0100-3143. Acesso em: 11 jun. 2018.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 22, nº 2, p. 15-46, 1997, jul./dez. Disponível em: Acesso em: 11 jun. 2018.

JACOB, Luciana Buainain et al. A agroecologia nos cursos de engenharia agronômica: para além de desafios e dilemas curriculares. Avaliação, Campinas; Sorocaba, v. 21, n. 1, p. 173-198, 2016.

KHATOUNIAN, Carlos Armênio. A reconstrução ecológica da agricultura. Botucatu: Agroecológica, 2001.

LACLAU, Ernesto. O retorno do “povo”: razão populista, antagonismo e identidades coletivas. política & trabalho. Revista de ciências sociais, no. 23, 2005a. p. 09-34.

______. La razón populista. México: Fondo de Cultura Económica, 2005b.

LUZZI, NILSA. O debate agroecológico no Brasil: uma construção a partir de diferentes atores sociais. Tese (doutorado). Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Ciências Humanas e Sociais. 182 f. 2007.

MACHADO, Luiz Carlos Pinheiro; MACHADO FILHO, Luiz Carlos Pinheiro. A dialética da agroecologia: contribuição para um mundo com alimentos sem veneno. São Paulo: Expressão Popular, 2014.

MESQUITA, Rui Gomes de Mattos de. Educação popular e sujeitos contra-hegemônicos: parâmetros histórico-sociológicos para um diálogo entre Paulo Freire e Ernesto Laclau. Fronteiras da Educação, Recife, v. 2, n. 1, p. 28, fev. 2013. ISSN 2237-9703. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2018.

MOLINA, Mônica Castagna et al. (Org.). Práticas contra-hegemônicas na formação dos profissionais das Ciências Agrárias: reflexões sobre Agroecologia e Educação do Campo nos cursos do Pronera. Brasília: MDA, 2014. 292 p. (Série NEAD Debate; 22).

NIEDERLE, Paulo André; ALMEIDA, Luciano de; VEZZAN, Fabiane Machado. Agroecologia: práticas, mercados e políticas para uma nova agricultura. Curitiba: Kairós, 2013.

PETERS, Michael. Pós-estruturalismo e filosofia da diferença. Belo Horizonte: Editorial Autêntica, 2000.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. 12. ed. Rio de Janeiro: Record, 2008.

SCHULZ, Luciane. Pedagogia Ecovivencial: por uma Educação Ambiental Emancipatória. 2014. 243 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2014.

SILIPRANDI, Emma. Mulheres e agroecologia: transformando o campo, as florestas e as pessoas. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2015.

SILVA, Carmelinda da. Turismo agroecológico ou de agroecologia: um estudo de caso. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola). Universidade Federal Rural do Rio De Janeiro. 2015.

SILVA, Iranilde de Oliveira. Juventude e Agroecologia: caminhos que se encontram na Escola Agrotécnica Federal de Castanhal do Pará. 88 f. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola). Universidade Federal Rural Do Rio De Janeiro. 2014.

VEIGA-NETO, Alfredo. Cultura, culturas e educação. Revista Brasileira de Educação, Campinas: Autores Associados; Rio de Janeiro: ANPEd, n. 23, p. 5-15, maio/ago. 2003.

VIEIRA, Tatiana da Rocha; MACHADO, Vinícius Azevedo. Escola Família Agrícola Paulo Freire: iniciativas para vivenciar a Agroecologia na formação dos jovens. In: PETERSEN, P.; DIAS, A. Caderno do II Encontro Nacional de Agroecologia. Construção do Conhecimento Agroecológico. Novos Papéis, Novas Identidades. Gráfica Popular, 2007, p. 268-279.

VIGLIZZO, Ernesto. La Trampa de Malthus: Agricultura, Competitividad y Medio Ambiente en el Siglo 21. Buenos Aires: Editorial EUDEBA, 2001.

ZÚÑIGA, Óscar Emerson Mosquera. Virada ecológica e ecogovernamentalidade: uma analítica foucaultiana do sujeito ecológico na agroecopedagogia pernambucana. 212 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Pernambuco, Programa de Pós-graduação em Educação, 2018.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i2p319-343

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais