PROCESSOS AVALIATIVOS EM MATEMÁTICA: UM ESTUDO SOBRE AVALIAÇÕES EDUCACIONAIS

Vera Mônica Ribeiro, Nielce Meneguelo Lobo da Costa

Resumo


Este artigo provém de uma pesquisa de mestrado em Educação Matemática sobre um processo de formação continuada docente que teve como objeto de estudo a Avaliação da Aprendizagem em Processo – AAP, que é aplicada nas escolas estaduais paulistas. A metodologia da investigação foi a qualitativa, do tipo pesquisa-ação, conforme Thiollent. A investigação foi composta por: pesquisa documental; elaboração do processo formativo e dos instrumentos de coleta de dados e de pesquisa em campo. Neste artigo o cerne é a pesquisa documental, com um breve histórico da avaliação educacional e discussão sobre a AAP. O aporte teórico veio de estudos de Haydt, Luckesi, Hoffmann, Libâneo e Buriasco sobre avaliação. Foi realizada pesquisa nos documentos oficiais que normatizam e orientam a prática avaliativa do professor da Educação Básica, relativas à Matemática, principalmente para a Avaliação da Aprendizagem em Processo. Os resultados da pesquisa documental forneceram subsídios para compreensão sobre a proposta da AAP, sobre como ocorreu sua implantação, assim como a permanência e evolução até a presente data, além do entendimento sobre sua importância para avaliar a aprendizagem da Matemática nas escolas estaduais paulistas.


Palavras-chave


Avaliação diagnóstica; Avaliação educativa; Avaliação da aprendizagem em processo.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Base Nacional Comum Curricular – BNCC Brasília: MEC, 2017. Disponível em http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

BRASIL. LEI 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Acesso em: 06 set. 2016.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997. 126p.

_____. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1998. 174 p.

BRASIL. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC, 2002. 144 p

_____., Secretaria de Educação Básica. Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC, 2006. 135 p. (Orientações curriculares para o ensino médio; volume 2)

_____. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Matemática /Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC, 2000. Acesso em 15 fev. 2017.

_____. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais: Ensino Médio Parte 1 - Bases legais. Brasília: MEC /SEF, 2000. Acesso em 15 fev. 2017

BURIASCO, R. L. C. Algumas Considerações Sobre Avaliação Educacional. Estudos em Avaliação Educacional. Fundação Carlos Chagas, n.22, p. 155-177, jul.-dez., 2000.

HAYDT, R. C. C. Técnica e instrumentos de avaliação. In: Avaliação do processo ensino-aprendizagem. São Paulo: Ática. 1997

HOFFMANN, Jussara Maria Lerch. Avaliação: Mito e Desafio: uma perspectiva construtivista. Porto Alegre: Mediação, 2005.

_____. Pontos e contrapontos: do pensar ao agir em avaliação. Porto Alegre: Mediação, 1998.

LIBÂNEO, J.C. Didática. 22ª ed. São Paulo: Cortez, 1994? Coleção magistério. 2ºgrau. Série formação do professor. Organização e Gestão da Escola: Teoria e Prática, 5. ed. Goiânia, Alternativa, 2004.

_____. Pedagogia e pedagogos, para quê? São Paulo: Cortez, 2001.

LUCKESI, C. P. Avaliação da Aprendizagem componente do ato pedagógico. 1.ed. São Paulo – Cortez 2011.

_____. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. São Paulo: Cortez, 1995.180 p.

XXXXXXXXX, X.X. XXXXXXXXXXXXXXXXXX - dissertação (Mestrado em Educação Matemática) Programa de Pós-Graduação XXXXXXXXXXXXXXXX, 2017.

ROTHEN.J.C, SANTANA A.C.M. Avaliação da educação: referências para uma primeira conversa - São Carlos: EdUFSCar, 2018. 207 p.

SÃO PAULO, Diário Oficial [do] Estado de São Paulo, São Paulo, SP, 1º março. 2016. p. 54 • Poder Legislativo

SÃO PAULO (ESTADO) SECRETARIA DA EDUCAÇÃO. Currículo do Estado de São Paulo: Matemática e suas tecnologias /Secretaria da Educação; coordenação geral Maria Inês Fini; coordenação de área, Nilson José Machado. – 1 ed atual – São Paulo: SEE, 2012 a .

_____. Comentários e Recomendações Pedagógicas – Subsídios para o Professor – Matemática; Coordenadoria de Gestão da Educação Básica e Coordenadoria de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional- São Paulo: SEE, 2012 b

_____. Matrizes de referência para a avaliação Saresp: documento básico/Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini. – São Paulo: SEE, 2009 a. 174p. v.1.

_____. Saresp, 2008: Relatório Pedagógico: Matemática/Secretaria da Educação, coordenação geral, Maria Inês Fini. – São Paulo: SEE, 2009 b. v.2

THIOLLENT, M. Metodologia da Pesquisa-Ação. São Paulo: Cortez, 1985.(Coleção Temas básicos de pesquisa-ação).Matemática. Ano 17 nº 21, p. 81-140, 2004.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i2p970-993

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais