“I’M GONNA LEAVE YOU WITH THE BACKLASH BLUES”: UMA ANÁLISE ACERCA DA CONCEPÇÃO DO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR SOB O VIÉS DA PEDAGOGIA CRÍTICA

Priscila Fabiane Farias, Leonardo da Silva

Resumo


Considerando a importância de reconhecer o aspecto político-ideológico inerente ao ensino-aprendizagem de inglês, este estudo busca investigar de que forma a língua inglesa é concebida na Base Nacional Comum Curricular - BNCC (BRASIL, 2017). Mais especificamente, pretende-se analisar se o ensino da língua inglesa preconizado na BNCC objetiva promover a conscientização crítica (FREIRE, 1970) de forma a contribuir com a formação de cidadãos que possam agir em seus contextos tendo em vista a justiça social, conforme postulado pela Pedagogia Crítica (FREIRE, 1970; CROOKES, 2013) e conforme enfatizado pelos documentos educacionais anteriores. Para tanto, analisa-se o documento da BNCC finalizado no ano de 2017 e, mais especificamente, as seções que dizem respeito à língua inglesa no Ensino Fundamental. Trata-se, portanto, de uma pesquisa de ordem qualitativa, baseada na análise documental, a luz da teoria da Pedagogia Crítica (FREIRE, 1970; GIROUX, 1983; SHOR, 1992) e do Ensino de Inglês Crítico (CROOKES, 2013; PESSOA, 2014). A análise empreendida aponta que o documento da Base parece sugerir uma visão crítica com relação ao papel da língua inglesa (ao enfatizar seu status como língua franca, sua pluralidade e a valorização de seus diferentes registros), mas não verdadeiramente problematiza (ou discute como fazê-lo) de um viés crítico. Ainda, falha em apresentar definições claras para tais conceitos, explorando ideais de cidadania, tais como equidade e igualdade, de forma limitada e insuficiente. No que tange a questões político-sociais mais amplas, identifica-se um apagamento dos problemas sociais, que não são apresentados enquanto objeto de estudo da unidade curricular.


Palavras-chave


Base Nacional Comum Curricular; Ensino de Inglês Crítico; Pedagogia Crítica.

Texto completo:

PDF

Referências


BERNSTEIN, Katie A. et al. Introduction to special issue: critical perspectives on neoliberalism in second/foreign language education. L2 Journal, v. 7, n. 3, p. 3-14, 2015.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: 3o e 4o ciclos do ensino fundamental: Língua Estrangeira. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEF, 2006.

BRASIL. Decreto Nº 6.755, de 29 de janeiro de 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, disciplina a atuação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior -CAPES no fomento a programas de formação inicial e continuada, e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 21, p. 1-2, 30 jan. 2009.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEF, 2017.

CANALE, Michael; SWAIN, Merrill. Theoretical bases of communicative approaches to second language teaching and testing. Applied Linguistics, v. 1, p. 1-47, 1980.

CROOKES, Graham. Radical language teaching. In: DOUGHTY, Catherine J.; LONG, Michael H. (Eds.). A handbook of second and foreign language teaching. [S.L.]: Blackwell, 2010. p. 595-609.

CROOKES, Graham. V. Critical ELT in action: foundations, promises, praxis. New York: Routledge, 2013.

EDELSKY, Carole; JOHNSON, Katharine. Critical whole language practice in time and place. Critical Inquiry in Language Studies, v. 1, n. 4, p. 121-141, 2004.

FERREIRA, Windyz Brazão. O conceito de diversidade no BNCC: Relações de poder e interesses oculto. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p. 299-319, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogy of the oppressed. New York: The Continuum International Publishing Group Inc., 1970.

FREIRE, Paulo. Education for critical consciousness. New York: The Seabury Press, 1973.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Escola “Sem” Partido. Rio de Janeiro: Laboratório de Políticas Públicas UERJ, 2017.

GIROUX, Henry A. Theory and Resistance in Education. New York: Bergin and Garvey, 1983.

GIROUX, Henry A. Pedagogia crítica, Paulo Freire, e a coragem para ser político. Revista e-Curriculum, v. 14, n. 1, p. 296-306, 2016.

HOOKS, bell. Teaching to transgress: Education as the practice of freedom. New York: Routledge, 1994.

LEFFA, Vilson José. Metodologia do ensino de línguas. In: BOHN, Hilário; VANDRESEN, Paulino. Tópicos em linguística aplicada: o ensino de línguas estrangeiras. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1988. p. 211-236.

MARSIGLIA, Ana Carolina Galvão et al. A Base Nacional Comum Curricular: Um novo episódio de esvaziamento da escola no Brasil. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 9, n. 1, p. 107-121, 2017.

MOITA LOPES, Luiz Paulo. Oficina de linguística aplicada. Campinas: Mercado de Letras, 1996.

PENNYCOOK, Alastair. Introduction: critical approaches to TESOL. TESOL Quarterly, v. 33, n. 3, p. 329-348, 1999.

PENNYCOOK, Alastair. Politics, power relationships and ELT. In: HALL, Graham (Ed.). The Routledge Handbook of English Language Teaching. London and New York: Routledge, 2016. p. 26-37.

PESSOA, Rosane Rocha. A critical approach to the teaching of English: pedagogical and identity engagement. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 353-372, 2014.

PESSOA, Rosane Rocha; ANDRADE, Maria Eugênia Seba Ferreira; FERREIRA, Edilson Pimenta. A critical teacher education experience in the state of Goiás, Brazil. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 18, n. 2, p. 339-366, 2018.

PESSOA, Rosane Rocha; URZÊDA-FREITAS, Marco Túlio. Challenges in critical language teaching. TESOL Quarterly, v. 46, n. 4, p. 753-776, 2012.

RAMOS, Flávia Regina Oliveira; HEINSFELD, Bruna Damiana de Sá Solon. Reforma do Ensino Médio de 2017 (Lei no 13.415/2017): um estímulo à visão utilitarista do conhecimento. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO - EDUCERE, 13., 2017, Curitiba. Anais eletrônicos [...]. Curitiba: PUCPR, 2017. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/24107_11975.pdf. Acesso em: 4 fev. 2020.

SHOR, Ira. Empowering education: critical teaching for social change. Chicago: University of Chicago Press, 1992.

SILVA, Leonardo da; FARIAS, Priscila; D’ELY, Raquel Carolina Souza Ferraz. Doing critical English language teaching: designing critical tasks to promote critical media literacy. Revista A Cor das Letras, Feira de Santana, v. 18, número especial, p. 99-121, 2017.

SILVA, Leonardo da; SILVA, Marimar da; ROCHA, Nara Vieira da. “Let’s not forget we are language teachers!”: investigating critical teaching and critical reflection in the practicum of an English Undergraduate Program. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 14, n. 1, p. 1866-1879, 2017.

SILVA, Mônica Ribeiro. Currículo, ensino médio e BNCC: um cenário de disputas. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p. 367-379, 2015.

SIQUEIRA, Sávio. English as a lingua franca: for a Critical Intercultural Pedagogy. Roma: Tre-Press, 2016.

SOUZA, Lynn Mario T. Menezes; MONTE MÓR, Walkyria. Afterword still critique?. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 18, n. 2, p. 445-450, 2018.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i1p137-157

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais