BALSA ESCOLA: EDUCAÇÃO DE TEMPO INTEGRAL EM UMA ESCOLA LOCALIZADA NO CAMPO EM HUMAITÁ NO ESTADO DO AMAZONAS

Zilda Gláucia Elias Franco, Eulina Maria Leite Nogueira, Saray Marques

Resumo


Este artigo discute as questões e as possibilidades trazidas pela proposta de tempo integral, no contexto de uma escola do campo da Rede Pública Municipal de Humaitá, município da região sul do Amazonas. A pesquisa teve como objetivo compreender como está organizado o tempo integral nessa unidade escolar e como foi construída a sua proposta curricular. Por meio da abordagem qualitativa, com o apoio da pesquisa de campo, foram aplicados, aos educadores e aos educandos, questionários semiestruturados contendo questões abertas e fechadas. Os resultados apontam que as dificuldades encontradas na escola pesquisada, desde o trajeto de suas casas até a escola, ao acesso aos recursos tecnológicos, dentre outras, são aspectos que interferem no andamento das atividades/do currículo escolar.


Palavras-chave


Educação do Campo; Escola de tempo integral; Educação Integral; Currículo.

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel Gonzáles. Ciclos de desenvolvimento humano e formação de educadores. Educação & Sociedade, Campinas, ano XX, n. 68, p. 143-162, dez. 1999.

ARROYO, Miguel Gonzáles. Currículo, território em disputa. Petrópolis: Vozes, 2011.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Decreto Nº 7.352, de 4 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária - PRONERA. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 212, p. 1-3, 5 nov. 2010a.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, [1996]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 20 abr. 2020.

BRASIL. Lei Nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 120-A, edição extra, p. 1-7, 26 jun. 2014a.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino. Planejando a próxima década: conhecendo as 20 metas do Plano Nacional de Educação. Brasília: MEC/ SASE, 2014b.

BRASIL. Resolução CNE/CEB Nº 1, de 3 de abril de 2002. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 67, p. 32, 9 abr. 2002.

BRASIL. Resolução Nº 4, de 13 de julho de 2010. Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 133, p. 824-828, 14 jul. 2010b.

BRUNO, Cristina R. C.; FORTUNATO, Sarita A. de Oliveira; MESQUIDA, Peri. O papel do pedagogo como mediador no processo ensino-aprendizagem: trabalho e crítica. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO - EDUCERE, 10., 2011, Curitiba. Anais eletrônicos [...]. Curitiba: PUC-PR, 2011. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/CD2011/pdf/5655_2867.pdf. Acesso em: 27 jun. 2020.

CALDART, Roseli Salete. Por uma educação do campo: traços de uma identidade em construção. In: KOLLING. Edgar Jorge; CERIOLI, Paulo Ricardo; CALDART, Roseli Salete (Orgs.). Educação do campo: identidade e políticas públicas. Brasília, DF: Articulação Nacional por uma educação do campo, 2002. p. 18-25.

CAVALIERE, Ana Maria. Em busca do tempo de aprender. Cadernos Cenpec, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 91-101, 2006. DOI: http://dx.doi.org/10.18676/cadernoscenpec.v1i2.130.

CAVALIERE, Ana Maria. Educação Integral: uma nova identidade para a escola brasileira? Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 247-270, dez. 2002.

CHIZZOTI, Antonio. Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

DUBET, François. O que é uma escola justa? A escola das oportunidades. São Paulo: Cortez, 2008.

FERRAZ, João Baptista Silva et al. Amazônia: características e potencialidades. In: HIGUCHI, Maria Inês Gasparetto; HIGUCHI, Niro. A Floresta Amazônica e suas múltiplas dimensões: uma proposta de educação ambiental. 2. ed. Manaus: [s.n.], 2012. p. 13-40.

FRANCO, Zilda Gláucia Elias. Um olhar sobre as escolas localizadas no campo do Município de Humaitá (Sul do Amazonas): em busca da justiça curricular. Orientadora: Branca Jurema Ponce. 2018. 205 f. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.

FREIRE, Paulo. A educação na cidade. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

GONÇALVES, Antonio Sérgio. Reflexões sobre educação integral e escola de tempo integral. Cadernos Cenpec, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 129-135, 2006. DOI: http://dx.doi.org/10.18676/cadernoscenpec.v1i2.136.

HUMAITÁ. Embarcação Base Educacional Irmã Angelica Tonetta. NB-Engenharia e Construtora LTDA-ME. Engenheiro naval responsável: Anderson Dantas. Porto Velho – RO, 2014.

HUMAITÁ. Lei Municipal Nº 679, de 12 de maio de 2015. Cria os polos-base de educação do Município de Humaitá-AM, e dá outras providências. Diário Oficial dos Municípios de Estado do Amazonas: Manaus, AM, ano VI, n. 1360, p. 8-9, 28 maio 2015.

HUMAITÁ. Programação Anual Balsa Escola. Humaitá: Secretaria Municipal de Educação, 2016.

HUMAITÁ. Regimento interno da Escola Osmarina Melo de Oliveira. Humaitá: Secretaria Municipal de Educação, 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estimativas de população. 2018. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/sociais/populacao/9103-estimativas-de-populacao.html?=&t=resultados. Acesso em: 5 mar. 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Amazonas: população. 2019. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/am/panorama. Acesso em: 20 abr. 2020.

OBSERVATÓRIO DO PNE. O Plano Nacional de Educação. 2018. Disponível em http://www.observatoriodopne.org.br/metas-pne/6-educacao-integral. Acesso em: 17 de fev. 2018.

MARQUES, Saray. Tempo escolar estendido: Análise do Programa Ensino Integral (PEI) da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo (SEE-SP) Gestão Geraldo Alckmin (2011 – 2017). Orientadora: Branca Jurema Ponce. 2017. 188 f. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação & Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, set./dez. 2004.

PIRES, Angela Monteiro. Educação do Campo como direito humano. São Paulo: Cortez, 2012.

PONCE, Branca Jurema; FRANCO, Zilda Gláucia Elias. Em busca de uma prática curricular inclusiva e mais justa: ampliando o olhar sobre os direitos. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO. Estado, políticas e gestão da educação: tensões e agendas em (des)construção, 28., 2017, João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba, 2017. p. 3131-3135.

TIRONI, Margarete; GOMES, Aurélia Lopes. Educação de Tempo Integral na Escola do Campo: questões curriculares e a perspectiva interdisciplinar. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO: EDUCERE, 11., 2013, Curitiba. Anais eletrônicos [...]. Curitiba: PUC-PR, 2013. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/CD2013/pdf/8804_4773.pdf. Acesso em: 7 abr. 2020.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em Educação. São Paulo: Atlas, 1987.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i4p2052-2073

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais