PROFESSORALIDADE: PERSPECTIVAS EM FABULAÇÃO

Rosane Meire Vieira de Jesus, Maria Inez Carvalho

Resumo


Este artigo apresenta um estudo sobre o termo professoralidade, parte do léxico de dois grupos baianos de pesquisa em Educação. Tal termo é investigado com a intenção de se compreender como o mesmo tem sido operado conceitualmente nos trabalhos produzidos nos programas de pós-graduação stricto sensu no Brasil. A revisão sistemática utiliza, como banco de dados, o Catálogo de Teses e Dissertações da CAPES, no espaço temporal de 2010 a 2019. O critério de inclusão do corpus do estudo são dissertações, Trabalhos Finais de Conclusão de Curso (TFCC) e teses de doutoramento que têm o descritor “professoralidade(s)” no título, resumo e/ou palavras-chave.  Assim, são encontrados vinte e dois trabalhos: 12 dissertações, 6 TFCC e 4 teses. Com a revisão sistemática de literatura, são cartografadas as desconstruções presentes nas perspectivas de professoralidade fabuladas pelos diversos autores.

Palavras-chave


Professoralidade; Fabulação; Desconstrução.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria Goretti Ramos. Currículo, professoralidades e sexualidades. Orientadora: Rosane Meire Vieira de Jesus. 2019. 120 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação e Diversidade) – Universidade do Estado da Bahia, Conceição do Coité, 2019.

ALVES, Luana Leal. O papel da formação e das crenças no desenvolvimento da professoralidade de professoras polivalentes para o ensino de Matemática. Orientador: Antônio Maurício Medeiros Alves. 2019. 112 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2019.

BOLZAN, Doris Pires Vargas. Formação de professores: construindo e compartilhando conhecimento. Porto Alegre: Mediação, 2002.

BOLZAN, Doris Pires Vargas; ISAIA, Silvia Maria de Aguiar. Aprendizagem docente na educação superior: construções e tessituras da professoralidade. Educação, Porto Alegre, v. 1, n. 3, p. 489-501, 2006. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/viewFile/489/358. Acesso em: ago. 2020.

BONDÍA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n19/n19a02.pdf. Acesso em: ago. 2020.

BUTLER, Judith. Relatar a si mesmo: crítica da violência ética. Tradução Rogério Bettoni. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

BUTLER, Judith. A vida psíquica do poder: teorias da sujeição. Tradução Rogério Bettoni. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

D’ANDREA, Crystina Di Santo. Fazendo a diferença. Histórias de professoras alfabetizadoras participantes do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa – PNAIC: tecendo a vida em (trans)formação: o diário de bordo em escrituras de si e do outro. Orientadora: Helenise Sangois Antunes. 2016. 122 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, 2016.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. O que é a filosofia?. Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Tradução Suely Rolnik. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2012.

DERRIDA, Jacques. Gramatologia. Tradução Mirian Schnaiderman e Renato Janini Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 1973.

DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2014.

DOURADO, Leidiane Santos. O memorial de formação como gênero do discurso: marcas da professoralidade docente. Orientadora: Ester Maria de Figueiredo Souza. 2015. 102 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia, 2015.

FERNANDES, Maria Emérita Jaqueira. Movimentos de professoralização: enlaces com a experiência estética. Orientadora: Jussara Almeida M. Silva. 2015. 152 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia, 2015.

FERREIRA, Angelita da Rocha Oliveira. Os professores da educação profissional: sujeitos (re)inventados pela docência. Orientador: Juan José M. Mosquera. 2010. 140 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegra, RS, 2010.

FONSECA, Lúcia Lima da. A escuta em equipe na escola: um estudo sobre linguagem e produção de professoralidades. Orientador: Gabriel de Andrade Junqueira Filho. 2011. 105 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

FREZZARIN, Luiz Antonio. A construção das práticas docentes do professor iniciante. Orientadora: Renata Sieiro Fernandes. 2017. 167 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro Universitário Salesiano de São Paulo, Americana, SP, 2017.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método I: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Tradução Flávio Paulo Meurer. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

GADAMER, Hans-Georg. Para introdução. In: MOOSBURGER, Laura de Borba. “A origem da obra de arte” de Martin Heidegger: tradução, comentário e notas. Orientador: André de Macedo Duarte. 2007. 149 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007. p. 66-80.

KATO, Marly Nunes de Castro. O professor agrônomo e a construção da professoralidade. Orientadora: Geovane Ferreira Melo. 2015. 103 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, 2015.

NETTO, Raul Sardinha. Escrita em dois tempos: o vivido e o refletido por um professor iniciante. Orientadora: Maria Antônia Ramos de Azevedo. 2017. 100 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, SP, 2017.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Ecce homo. São Paulo: Martin Claret, 2005.

OLIVEIRA, Grasiela Lima de. O ser e o tornar-se docente em alternância: memórias do presente, passado e futuro. Orientadora: Alessadra Alexandre Freixo. 2018. 119 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, Bahia, 2018.

PASSEGGI, Maria da; SOUZA, Elizeu Clementino de; VICENTINI, Paula. Entre a vida e a formação: pesquisa (auto)biográfica, docência e profissionalização. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 27, n. 1, p. 369-386, abr. 2011. Disponível em:

www.scielo.br/pdf/edur. Acesso em: 23 ago. 2016.

PEDROSO JUNIOR, Neurivaldo Campos. Jacques Derrida e a desconstrução: uma introdução. Revista Encontros de Vista, São Paulo, v. 5, p. 9-20, 2020. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4323407/mod_resource/content/1/Derrida_e_a_Desconstrucao_Uma_introducao%20%281%29.pdf. Acesso em: 15 jul. 2020.

PEREIRA, Marcos Villela. Estética da professoralidade: um estudo interdisciplinar sobre a subjetividade do professor. Orientadora: Ivani Catarina Arantes Fazenda. 1996. 295 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo 1996.

PEREIRA, Marcos Villela. Estética da professoralidade: um estudo crítico sobre a formação do professor. Santa Maria: UFSM, 2016.

PIMENTEL, Mariana Rodrigues. Fabulação: a memória do futuro. Orientador: Karl Erik Schollhammer. 2010. 234f. Tese (Doutorado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

PINTO, Ana Cristina Medina. Constituição da docência no curso de licenciatura em matemática a distância da Universidade Aberta do Brasil (UAB): um itinerário formativo. Orientadora: Denise Nascimento Silveira. 2018. 181 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, 2018.

PORTELLI, Alessandro. Ensaios de história oral. São Paulo: Letra & Voz, 2010.

PORTELLI, Alessandro. História oral como arte da escuta. São Paulo: Letra & Voz, 2016.

POWACZUK, Ana Carla Hollweg. Movimentos da professoralidade: a tessitura da docência universitária. Orientadora: Doris Pires Vargas Bolzan. 2012. 219 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, 2012.

ROLNIK, Suely. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. São Paulo: Editora Estação Liberdade, 1989.

ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. São Paulo: Global, 2019. Edição Kindle.

SANTANA, Anthony Fábio Torres. Um olhar acerca do sentido da experiência na formação de professores. Orientador: Marcos Villela Pereira. 2017. 100 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2017.

SANTIAGO, Jonatas Silva Santiago. Educação emocional, mal-estar e identidade docente: discutindo sobre a docência em uma escola pública em tempo integral. Orientadora: Úrsula Cunha Anacleto. 2019. 106 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação e Diversidade) – Universidade do Estado da Bahia, Conceição do Coité, Bahia, 2019.

SANTOS, Eliene Maria Sales. Formação continuada docente: a diversidade como princípio educativo no IFBA de Jacobina – Bahia. Orientadora: Emanuela Oliveira Carvalho Dourado. 2018. 235 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação e Diversidade) – Universidade do Estado da Bahia, Jacobina, BA, 2018.

SCOTT, J. Experiência. In: SILVA, Alcione Leite da; RAMOS, Tânia Regina Oliveira; LAGO, Mara Coelho de Souza (Orgs.). Falas de gênero. Santa Catarina: Editora Mulheres, 1999. p. 21-55.

SILVA, Clara Lisandra de Lima. Sobre o mal-estar docente: constituindo percepções a partir de um grupo de professores da rede pública estadual de ensino do RS. Orientadora: Carla Gonçalves Rodrigues. 2014. 105 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Pelotas, RS, 2014.

SILVA, Cris Elena Padilha. Memórias da professoralidade: trajetórias de professores de Matemática da cidade de Pelotas. Orientador: Diogo Franco Rios. 2018. 122 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto de Física e Matemática, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, RS, 2018.

SILVA, João Paulo dos Santos. Cartografia docente: alinhavos entre imagens, experiências e naturezas na formação de professores de ciências e biologia. Orientadora: Alessandra Alexandre Freixo. 2019. 120 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, Bahia, 2019.

SILVA, Kelsen Arcângelo Ferreira e. Constituição da professoralidade no ensino superior: percursos de professores bacharéis em administração. Orientadora: Bárbara Maria Macedo Mendes. 2017. 213 f. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal do Piauí, Teresina, PI, 2017.

SILVA, Luiz Eduardo das Neves. A constituição da professoralidade do docente bacharel: o aprender a ensinar na educação superior. Orientadora: Maria da Glória Soares Barbosa Lima. 2016. 107 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, PI, 2016.

XAVIER, Marlene Moreira. Tessituras dos currículos formação e a constituição da professoralidade. Orientadora: Esther Maria de Figueiredo Souza. 2017.187f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, BA, 2017.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i4p1691-1711

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais