Professores e futuros professores dos anos iniciais e o estudo da estatística num contexto colaborativo
Teachers and future teachers of early years and statistical study in a collaborative context

Keli Cristina Conti

Resumo


Este artigo busca sistematizar algumas reflexões decorrentes de uma pesquisa de doutorado, cujo objetivo foi compreender o processo de desenvolvimento profissional na perspectiva do letramento estatístico em contextos colaborativos, buscado revisitar um dos encontros de um grupo de estudos formado por professores e futuros professores da Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental, que com o tempo, constituiu um contexto colaborativo. No encontro descrito, a ênfase foi para a introdução ao estudo da Estatística. Nesses momentos em que estudamos um texto, objetivávamos ampliar, aprofundar e reconstruir os saberes, buscando evidenciar, justamente, o que mudou, em consequência da participação num contexto colaborativo.


This article seeks to systematize some reflections arising from a doctoral research which aims to understand the process of professional development from the perspective of statistical literacy in collaborative contexts, revisiting one of the study group meetings made up of teachers and future teachers of Childhood Education and the early years of Elementary School, which constituted a collaborative context over time. At the meeting described the emphasis was to introduce the study of Statistics. The same was chosen because we consider important to highlight the knowledge, reflections, conflicts and learning from participants during the introduction to the study of statistics. During the study of a text, we aimed to broaden, deepen and reconstruct the knowledge, trying to clarify precisely what has changed as a result of participation in a collaborative context.



Palavras-chave


Letramento estatístico; contexto colaborativo; Formação de professores dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

Texto completo:

PDF

Referências


BATANERO, C. (2013). Sentido estadístico: componentes y desarrollo. In: CONTRERAS, J. M. et al. Actas de las 1.ª Jornadas Virtuales em Didáctica de la Estadística, Probabilidad y Combinatoria – SEIEM, Granada, ano I, v. 2, n. 1, p. 1-8.

BRASIL. (1997). Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de educação fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: matemática. Brasília: MEC/SEF.

CARVALHO, C.; SOLOMON, Y. (2012) Supporting statistical literacy: what do culturally relevant/realistic tasks show us about the nature of pupil engagemente with statistics? International Journal of Educational Research, n. 55, p. 57-65. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.ijer.2012.06.006 Acesso em: 09 out. 2012.

COCHRAN-SMITH, M.; LYTLE, S. L. (1999). Relationships of knowledge and practice: teacher learning in communities. Review of Research in Education, Washington, DC, n. 24, p. 249–305.

COELHO, M. A. (2010). Os saberes profissionais dos professores: a problematização das práticas pedagógicas em estatística mediadas pelas práticas colaborativas. Tese (Doutorado) – Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

DAY, C. (2001). Desenvolvimento profissional de professores: os desafios da aprendizagem permanente. Porto: Porto Editora, 2001.

FERREIRA, A. C. (2003). Metacognição e desenvolvimento profissional de professores de matemática: uma experiência de trabalho colaborativo. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Unicamp, Campinas-SP.

FIORENTINI, D. (2004). Pesquisar práticas colaborativas ou pesquisar colaborativamente? In: BORBA, M. C.; ARAÚJO, J. L. Pesquisa qualitativa em Educação Matemática. Belo Horizonte: Autêntica. p. 47-76.

FIORENTINI, D. (2009). Quando acadêmicos da universidade e professores da escola básica constituem uma comunidade de prática reflexiva e investigativa. In: FIORENTINI, D.; GRANDO, R. C.; MISKULIN, R. G. S. (Org.). Práticas de formação de pesquisas de professores que ensina matemática. Campinas: Mercado de Letras. p. 233-255.

FIORENTINI, D. (2010). Desenvolvimento profissional e comunidades investigativas. In: DALBEN, A. et al. (Org.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente: Educação ambiental – Educação em ciências – Educação em espaços não escolares – Educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica. p. 570-590.

FIORENTINI, D. (2011). et al. Interrelations between teacher development and curricular change: a research program. In: BEDNARZ, N., FIORENTINI, D.; HUANG, R. (Ed.). International Approaches to Professional Development for Mathematics Teachers: Explorations of innovative approaches to the professional development of math teachers from around the world. Ottawa, Ca: University of Ottawa Press. p. 213-222.

GAL, I. (2002). Adult’s statistical literacy: meanings, components, responsabilities. International Statistical Review, Netherlands, n. 70, p. 1-25.

JIMÉNEZ ESPINOSA, A. (2002). Quando professores de Matemática da escola e da universidade se encontram: re-significação e reciprocidade de saberes. 237p. Tese (Doutorado em Educação: Educação Matemática) — FE, Unicamp, Campinas (SP).

LOPES, C. A. E. (2011). A Estocástica no currículo de Matemática e a resolução de problemas. In: SEMINÁRIO EM RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS, 2., 2011, Rio Claro. Anais do II SERP. Rio Claro: UNESP. v. 1. p. 1-10.

LOPES, C. A. E.; MOURA, A. R. L. (Org.) (2002). Encontro das crianças com o acaso: as possibilidades, os gráficos e as tabelas. Campinas: Editora Graf. FE Unicamp; Cempem.

MIZUKAMI, M. G. N. (2004). Aprendizagem da docência: algumas contribuições de L. S. Shulman. Revista do Centro de Educação da UFSM, Viçosa, v. 29, n. 2. p. 01-13. Disponível em: . Acesso em: 22 set. 2014.

NACARATO, A. M.; GRANDO, R. C. (2013). As potencialidades do trabalho colaborativo para o ensino e a aprendizagem em estocástica. In: NACARATO, A. M.; GRANDO, R. C.(Org.). Estatística e probabilidade na educação básica: professores narrando suas experiências. Campinas-SP: Mercado de Letras.

NATIONAL COUNCIL OF TEACHERS OF MATHEMATICS. (2008). Princípios e normas para a matemática escolar. 2. ed. Tradução da Associação de Professores de Matemática. Lisboa: APM. Obra original publicada em 2000.

NÓVOA, A. (1992). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote.

PASSOS, C. L. B. et al.(2006). Desenvolvimento profissional do professor que ensina matemática: uma meta-análise dos estudos brasileiros. Quadrante, Lisboa, v. XV-1e2, p. 193-219.

PONTE, J. P. (1998). Da formação ao desenvolvimento profissional. Actas do ProfMat 98 Lisboa: APM. p. 27-44. Disponível em: http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/jponte/artigos-por-temas.htm. Acesso em: 12 jan. 2014.

PONTE, J. P.(2011). Preparing Teachers to Meet the Challenges of Statistics Education. In: C. BATANERO, G.; BURRILL, G.; READING, C. (Ed.). Teaching statistics in school mathematics- Challenges for teaching and teacher education: A Joint ICMI/IASE Study. New York, NY: Springer.

POWELL, A.; FRANCISCO, J.; MAHER, C.(2004). Uma abordagem à análise de dados de vídeo para investigar o desenvolvimento de ideias e raciocínios matemáticos de estudantes. Tradução de Antônio Olímpio Junior. Bolema: Boletim de Educação Matemática – UNESP, Rio Claro-SP, ano 17, n. 21, p. 81-140.

SHULMAN, L. S.(1987). Knowledge and teaching: foundations of the new reform. Harvard Educational Review, Cambridge, v. 57, n. 1, p. 1-22.

SOARES, M. (2003). Letramento e escolarização. In: RIBEIRO, Vera M. (Org.). Letramento no Brasil. São Paulo: Global; Ação Educativa Assessoria, Pesquisa e Informação, Instituto Paulo Montenegro. p. 89-113.

VAN DE WALLE, J. (2009). Matemática no ensino fundamental: formação de professores e aplicação em sala de aula. Tradução de Paulo Henrique Colonese. 6. ed. Porto Alegre: Artmed.

WATSON, J. M. (2006). Statistical literacy at school: Growth and goals. Mahwah-NJ: Lawrence Erlbaum.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2016



Ficha Catalográfica
 

Educação Matemática Pesquisa : revista do Programa
   de Estudos Pós-Graduados em Educação     Matemática. - São Paulo.
   Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Programa de Estudos
   Pós-Graduados em Educação Matemática .
-- v.1, n.1 (1999)- .

Quadrimestral
ISSN 1983-3156

https://revistas.pucsp.br/emp

1. Matemática - Estudo e ensino - 2.Matemática - Pesquisa.
I. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.
Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática

CDD 510.7
510.72

Bibliotecária:Carmen Prates Valls CRB 8a.-556

Indexadores da Revista

     
             Anti-Plágio