Entendendo e discutindo as possibilidades do ensino de álgebra nos anos iniciais do Ensino Fundamental
Understanding and discussing the possibilities of algebra teaching in early years of Elementary School

Vanessa de Oliveira, Rosa Monteiro Paulo

Resumo


Neste texto expomos compreensões sobre o pensamento algébrico e as possibilidades do ensino de álgebra nos anos iniciais do Ensino Fundamental com base no que se evidencia nas pesquisas em Educação Matemática. O tema é foco de uma pesquisa de doutorado em desenvolvimento na qual se pretende analisar os modos de o professor compreender esse modo de pensar. Para a clareza do significado de pensamento algébrico recorremos às pesquisas em Educação Matemática. Vimos que, embora não haja consenso entre os autores sobre o que seja o pensamento algébrico, a perspectiva da História e da Filosofia da Matemática nos dá possibilidade de dizer que no contexto da sala de aula, esse pensar é possível ser trabalhado com base em ações que exploram o sentido numérico, as propriedades das operações e a regularidade em sequências.

In this text we expose understandings about algebraic thinking and the possibilities of algebra teaching in the early years of Elementary School based on which there is no evidence in research in Mathematical Education. The theme is the focus of a doctoral research in development in which we intend to analyze the ways the teacher understands this way of thinking. For the clarity of the meaning of algebraic thinking we resort to research in Mathematical Education. We have seen that, although there is no consensus among the authors about what algebraic thinking is, the perspective of History and Philosophy of Mathematics gives us the possibility to say that in the context of the classroom, this thinking is possible to be worked based on actions that explore numerical meaning, the properties of operations, and sequence regularity.

    


Palavras-chave


Ensino de Matemática; Fenomenologia; Pensamento Algébrico

Texto completo:

PDF

Referências


BICUDO, M. A. V. Filosofia da Educação Matemática segundo uma perspectiva fenomenoloógica. In: BICUDO, M. A. V. (Org.). Filosofia da Educação Matemática: fenomenologia, concepções, possibilidadess didático-pedagógicas. São Paulo: Editora da Unesp, 2010, p. 23-47.

BICUDO, M. A. V. Sobre história e historicidade em Edmund Husserl. Cadernos da EMARF, Fenomenologia e Direito, Rio de Janeiro, v.9, n.1, p.21-48, 2016. Disponível em:< http://www.mariabicudo.com.br/artigos-em-peri%C3%B3dicos.php> Acesso em: 11 fev. 2019.

BLANTON, M. L.; KAPUT, J. J. Characterizing a classroom practice that promotes algebraic reasoning. Journal for Research in Mathematics Education, v. 36, n. 5, 2005, p. 412-443. Disponível em:< http://mathed.byu.edu/kleatham/Classes/Fall2010/MthEd590Library.enlp/MthEd590Library.Data/PDF/BlantonKaput2005CharacterizingAClassroomPracticeThatPromotesAlgebraicReasoning-1974150144/BlantonKaput2005CharacterizingAClassroomPracticeThatPromotesAlgebraicReasoning.pdf>. Acesso em: 20 jan. 2018.

CANAVARRO, A. P. O pensamento algébrico na aprendizagem matemática nos primeiros anos. Revista Quadrante, v. 16, n. 2, p.1 – 81, 2007. Disponível em:< https://dspace.uevora.pt/rdpc/bitstream/10174/4301/1/_Quadrante_vol_XVI_2-2007-pp000_pdf081-118.pdf>. Acesso em: 11 out. 2018.

CAVALCANTE, J. L.; FREITAS, L. C. A.; RODRIGUES, I. G. Educação Algébrica nos Anos Iniciais: uma experiência com alunos do 2º ciclo do Ensino Fundamental. In: Encontro Paraibano de Educação Matemática, 8. 2014, Paraíba, Anais... Campina Grande, 2014, p.1-12 . Disponível em:< http://www.editorarealize.com.br/revistas/epbem/trabalhos/Modalidade_1datahora_23_10_2014_12_52_39_idinscrito_342_624bd30a2a41f1d177226c93e3453961.pdf>. Acesso em: 11 out. 2018.

CIFUENTES, J. C. Do conhecimento Matemático à Educação Matemática: uma “odisseia espiritual”. In: CLARETO, S. M.; DETONI, A. R.; PAULO, R. M. (Orgs.). Filosofia, Matemática e Educação Matemática. Juiz de Fora, MG: Editora da UFJF, 2010, p. 13-32.

EVES, H. Introdução à História da Matemática. Traduzido por Hygino. H. Domingues. São Paulo: Editora da UNICAMP, 1995. 843 p.

FERREIRA, M. C. N.; RIBEIRO, M.; RIBEIRO, A. L. Conhecimento matemático para ensinar Álgebra nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Revista Zetetiké, v.25, n.3, p.496-514, set-dez. 2017. Disponível em:< https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8648585>. Acesso em: 13 jan. 2018.

FUCHS, W. A Matemática Moderna. São Paulo: Ed. Polígono, 1970.

FURLAN, R.; BOCCHI, J. C. O corpo como expressão e linguagem em Merleau-Ponty. Estudos de Psicologia, Campinas, São Paulo. v. 8, n. 3, 2003. p. 445-450.

HURSSEL, E. A crise da humanidade europeia e filosofia. Tradução de Urbano Zilles. 2ª. ed. Porto Alegre: EDIPURCS, 2002, 96 p.

KAPUT, J. Teaching and learning a new algebra. In: FENNEMA, E. ROMBERG, T.A.(Orgs.), Mathematics classrooms that promote understanding. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum. 1999. Disponível em:< http://www.educ.fc.ul.pt/docentes/jponte/DA/DA-TEXTOS%5CKaput_99AlgUnd.pdf>. Acesso em: 08 nov. 2018.

KLUTH, V. S. Pesquisando a construção do conhecimento algébrico: um mergulho na História. In: V Seminário de História da Matemática, 2003, Rio Claro. Anais...Rio Claro, p. 453-464, 2003.

KLUTH, V. S. Uma visão filosófica do pensar algébrico. In: VII Encontro Nacional de Educação Matemática: Educação Matemática: um compromisso social, 2004, Pernambuco. Anais...Pernambuco, p. 1-14, 2004. Disponível em :< http://www.sbembrasil.org.br/files/viii/pdf/15/PA10.pdf>. Acesso em: 28 abr. 2017.

LINS, R. C.; GIMENEZ, J. Perspectivas em Aritmética e Álgebra para o século XXI. 5ª ed. Campinas: Papirus, 1997. 176p.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da Percepção. 2ª ed. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1994.

MESTRE, C.; OLIVEIRA, H. O pensamento algébrico e a capacidade de generalização de alunos do 3º ano de escolaridade do ensino básico. In: C. Guimarães & P. Reis (Orgs.) Professores e Infâncias: Estudos e experiências. São Paulo: Junqueira & Marin Editores, 2011, p. 201 -223. Disponível em:< http://ie.ulisboa.pt/pls/portal/docs/1/334683.PDF>. Acesso em: 11 out. 2018.

MILIES, C. P. Breve história da Álgebra Abstrata. Instituto de Matemática e Estatística. Universidade de São Paulo. 2013. Disponível em:< http://www.bienasbm.ufba.br/M18.pdf>. Acesso em: 05 out 2018.

MONDINI, F. A presença da álgebra na legislação brasileira. 2014. 433 p. Tese (Doutora em Educação Matemática) – Universidade Estadual Paulista – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro 2014. Disponível em:< https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/102139/mondini_f_dr_rcla.pdf?sequence=1>. Acesso em: 06 out 2018.

NACARATO, A. M.; CUSTÓDIO, I. A. O desenvolvimento do pensamento algébrico: algumas reflexões iniciais. In: NACARATO, A. M.; CUSTÓDIO, I. A. (Orgs.), O desenvolvimento do Pensamento Algébrico na Educação Básica: Compartilhando Propostas de Sala de Aula com o Professor que Ensina (Ensinará) Matemática. Brasília: Sociedade Brasileira de Educação Matemática, 2018, p. 13-23. Disponível em:< http://www.sbembrasil.org.br/files/ebook_desenv.pdf?fbclid=IwAR1E-EkmCiAVzgq-0zbYDtiXkEZ8K0mzki0wKDCyB4bgNT8rwv5CbuGqzpE>. Acesso em: 15 nov. 2018.

PONTE, J. P. Números e Álgebra no contexto escolar. In: VALE, I.; PIMENTEL, T.; BARBOSA, A.; FONSECA, L.; SANTOS, L. & CANAVARO, P. (Orgs.), Números a álgebra na aprendizagem matemática e na formações de professores. Lisboa: SEM-SPCE, 2006. p. 5 – 7.b Disponível em:< http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/4525/1/06-Ponte%28Caminha%29.pdf>. Acesso em: 11 out. 2018.

PONTE, J. P.; BRANCO, N.; MATOS, A. Álgebra no Ensino Básico. Lisboa: DGIDC. 2009. 181 p. Disponível em:< http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/7105/1/Ponte-Branco-Matos%20%28Brochura_Algebra%29%20Set%202009.pdf>. Acesso em: 11 out. 2018.

PRESTES, D. B. et al. Tarefas do Early Algebra realizadas por estudantes do Ensino Fundamental I. In: Encontro Paranaense de Educação Matemática, 12. 2014, Campo Mourão. Anais... Campo Mourão, 2014, p.1-12. disponível em :< http://sbemparana.com.br/arquivos/anais/epremxii/ARQUIVOS/RELATOS/autores/REA014.PDF >. acesso em: 27 set. 2017.

RADFORD, L. Algebraic thinking from a cultural semiotic perspective. Research in Mathematics Education, v. 12, n.1, p. 1-19, mar. 2010. Disponível em:. Acesso em : 16 nov. 2018.

RADFORD, L. On the development of early algebraic thinking. PNA, UK, v. 6, n. 4, p. 117-133, 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2018.

RADFORD, L. The progressive development of early embodied algebraic thinking. Mathematics Education Research Journal, Australia, n. 26, p. 257-277, 2014. Disponível em:. Acesso em: 15 nov. 2018.

SANTOS, C. C. S.; MOREIRA, K. G. O pensamento algébrico nos anos iniciais do ensino fundamental. In: Encontro Nacional de Educação Matemática, 12. 2016, São Paulo. Anais... São Paulo, 2016, p.1-7. disponível em :< http://www.sbembrasil.org.br/enem2016/anais/pdf/4980_2866_id.pdf>. acesso em: 27 set. 2017.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2019vol21i3p75-95

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 Educação Matemática Pesquisa : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática



INDEXADORES DA REVISTA
     
             Anti-Plágio