O Diálogo com estudantes com deficiência visual (Dv’s ) como Instrumento Formativo para um Ensino de Matemática Inclusivo<br>The dialogue with visually impaired students as a formative tool for an inclusive mathematics teaching

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/1983-3156.2020v22i2p281-311

Palavras-chave:

Deficiência Visual, Ensino de Matemática Inclusivo, Narrativas de estudantes.

Resumo

Resumo

Neste trabalho discutimos alguns aspectos apresentados por estudantes com deficiência visual quanto às suas respectivas escolarizações inclusivas enfocando a disciplina de matemática. Foram entrevistados quatro sujeitos, atuais acadêmicos no ensino superior, por meio de entrevistas semiestruturadas, que foram norteadas por um roteiro de perguntas construído com subsídios de uma revisão bibliográfica anterior. Na análise, empregamos os pressupostos da análise de conteúdo, e para expormos nossos resultados, utilizamos categorias elencadas por meio das convergências existentes nas falas dos entrevistados. As categorias identificadas foram: a diferenciação docente de conteúdos e atividades escolares entre estudantes com deficiência visual e videntes; o desconhecimento docente das necessidades educativas do aluno com deficiência visual; negligências/omissões docentes no ensino de estudantes com deficiência visual, incluso quanto aos seus aprendizados; tentativas isoladas de apoio docente como reflexo da falta de um trabalho coletivo escolar mais amplo.

Palavras-chave: Deficiência visual, Ensino de matemática inclusivo, Narrativas de estudantes.

Abstract

In this paper, we discuss some aspects presented by visually impaired students about their inclusive schooling focusing on mathematics. Four subjects, current higher education students, answered semi-structured interviews we prepared guided by a script of questions constructed with subsidies from a previous bibliographic review. In the analysis, we used the assumptions of content analysis, and to expose our results, we used categories listed through the convergences existing in the statements of the respondents. The categories identified were: the teaching differentiation of school content and activities between visually impaired and sighted students; the teachers' lack of knowledge of the educational needs of the visually impaired student; negligence/omissions in teaching visually impaired students, including their learning; isolated attempts at teaching support as a reflection of the lack of broader collective school work.

Keywords: Visual impairment, Teaching of inclusive mathematics, Narratives of students.

Resumen

En este artículo se discuten algunos aspectos presentados por estudiantes con discapacidad visual sobre su escolarización inclusiva con enfoque en matemáticas. Cuatro sujetos, estudiantes actuales de educación superior, respondieron entrevistas semiestructuradas que preparamos basados en un guión de preguntas construido con subsidios de una revisión bibliográfica previa. En el análisis, usamos los supuestos del análisis de contenido, y para exponer nuestros resultados, usamos categorías listadas a través de las convergencias existentes en las declaraciones de los encuestados. Las categorías identificadas fueron: la diferenciación docente del contenido y las actividades escolares entre estudiantes con discapacidad visual y con videntes; el desconocimiento de los profesores sobre las necesidades educativas del alumno con discapacidad visual; negligencia / omisiones en la enseñanza de estudiantes con discapacidad visual, incluido su aprendizaje; intentos aislados de apoyo a la enseñanza como reflejo de la falta de un trabajo escolar colectivo más amplio.

Palabras clave: Discapacidad visual, Enseñanza inclusiva de las matemáticas, narrativas de estudiantes.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Tiago Pereira, UNESP - Rio Claro

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática - UNESP.

Fábio Alexandre Borges, UNESPAR - Campo Mourão

Doutor pelo Programa de Pós-graduação em Educação para a Ciência e a Matemática - UEM.  Pós-doutor pelo Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática - UEL.

Referências

ARAÚJO, U.; ARANTES, V.A.; KLEIN, A.M.; PEREIRA, E. C. Programa Ética e Cidadania: construindo valores na escola e na sociedade: inclusão e exclusão social. Fundação de Apoio à Faculdade de Educação (USP). Brasília: MEC/SEB, 2007.

BORGES, F. A. A educação inclusiva para surdos: uma análise do saber matemático intermediado pelo Intérprete de Libras. 2006. Dissertação (Mestrado), Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e o Ensino de Matemática, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2006.

BORGES, F. A.; NOGUEIRA, C. M. I.; Saberes docentes e o ensino de matemática para surdos: desencadeando discussões. In: Rosa, F. M. C.; BARALDI, I. M. Educação Matemática Inclusiva: estudos e percepções. Campinas, SP: Mercado das letras, 2018. cap. 2, p.37-62.

BRASIL. Ministério da Educação. Transtornos Globais do Desenvolvimento. Brasília, 2010.

BURKE, T. J. O professor revolucionário: da pré-escola à universidade. 2º ed. Editora Vozes, 2003.

CARLOS, D. L.; TONON, S.; VILARONGA, C. A. R. Adaptações para o aluno com NEE: colaboração entre especialista e professores da sala comum In: Congresso Brasileiro de Educação Especial, V., 2012, Universidade Federal de São Carlos. Anais eletrônicos... São Carlos: UFSCar, 2012. p. 2233-2245.

COLL, C.; MARCHESI, A.; PALACIOS, J. e COLS. Desenvolvimento psicológico e educação: transtornos de desenvolvimento e necessidades educativas especiais. v. 3. 2ª ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2004.

COSTA, L. G.; NEVES, M. C. D.; BARONE, D. A. C. O ensino de física para deficientes visuais a partir de uma perspectiva fenomenológica. Revista Ciência & Educação, v. 12, n. 2, p. 143-153, 2006.

D`AMBROSIO, U. Sociedade, cultura, Matemática e seu ensino. Educação e Pesquisa. São Paulo, v.31, n.1, p.99-120, jan./abr. 2005.

FABRÍCIO, N. M. C.; SOUZA, V. C. B.; GOMES, E. E. A. S. Perfil do professor inclusivo.

Revista Psicopedagogia. v. 24, n. 74, p.117-125, 2007.

FERREIRA, F. M. R.; SILVA, E. L. O estudo de caso, a observação e a entrevista nas pesquisas em educação. Anais Colóquio Internacional Educação, Cidadania e Excluso: didática e avalição. V. 1, 2015.

MARCHI, M. I.; SILVA, T. N.C. Formação continuada de professores: buscando melhorar e facilitar o ensino para deficientes visuais por meio de tecnologias assistivas. Revista Educação Especial. Rio Grande do Sul, v. 29, n. 55, p. 457-470, 2016.

MARCONE, R.; Desconstruindo narrativas normalizadoras. In: Rosa, F. M. C.; BARALDI, I. M. Educação Matemática Inclusiva: estudos e percepções. Campinas, SP: Mercado das letras, 2018. cap.1, p.17-36.

MELLO, E.M. O professor, alunos cegos e a linguagem matemática. Revista Paranaense de Educação Matemática. Campo Mourão, v.2, n.2, p.132-143, jan./jun. 2013.

MANTOAN, M. T. E. Caminhos pedagógicos da inclusão. 2008. Disponível em: . Acesso em: 05 ago. 2018.

MIRANDA, E. T. J.; BARALDI, I. M. Desafios na inclusão escolar do aluno com deficiência visual nas aulas de matemática. In: Rosa, F. M. C.; BARALDI, I. M. Educação Matemática Inclusiva: estudos e percepções. Campinas, SP: Mercado das letras, 2018. cap. 4, p.81-98.

MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Revista Ciência & Educação. v.9, n.2, dezembro 2003.

NOZI, G. S.; VITALIANO, C. R. Saberes necessários aos professores para promover a inclusão de alunos com necessidades Educacionais Especiais. Revista Educação Especial. Santa Maria, v. 25, n. 43, p. 333-348, maio/ago. 2012

ROSA, F.M.C.; BARALDI, I.M. O uso de narrativas (auto)biográficas como uma possibilidade de pesquisa da prática de professores acerca da Educação (Matemática) Inclusiva. Boletim de Educação Matemática. Rio Claro (SP), v. 29, n. 53, p. 936-954, 2015.

ROSA, F. M. C. Histórias de vida de alunos com deficiência visual e de suas mães: um estudo Educação Matemática. Tese de Doutorado em Educação Matemática. Rio Claro: Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 2017.

SARMENTO, A. K. C. A Utilização dos Materiais Manipulativos nas aulas de Matemática. Universidade Federal do Piauí. 2010. Disponível em: <http://www.ufpi.br//subsiteFiles/ppged/arquivos/files/IV.encontro.2010/GT_02_18_2010.pdf>. Acesso em 27/09/2018.

Downloads

Publicado

2020-08-27

Como Citar

PEREIRA, T.; BORGES, F. A. O Diálogo com estudantes com deficiência visual (Dv’s ) como Instrumento Formativo para um Ensino de Matemática Inclusivo&lt;br&gt;The dialogue with visually impaired students as a formative tool for an inclusive mathematics teaching. Educação Matemática Pesquisa Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 281–311, 2020. DOI: 10.23925/1983-3156.2020v22i2p281-311. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/47378. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos