Organização do Ensino de Matemática: o papel do grupo de estudos na significação dos sujeitos<br>Mathematics teaching organization: the role of the study group in the meaning of the subjects

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/1983-3156.2020v22i2p390-424

Palavras-chave:

Educação Matemática Histórico-Cultural. Organização do ensino de Matemática. Grupos de Estudos. Processo de significação.

Resumo

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar o papel que assumiu um grupo de estudos e pesquisas no processo de significação dos seus sujeitos-participantes no que diz respeito à organização do ensino de Matemática na perspectiva lógico-histórica. A investigação é qualitativa, e se constituiu em um estudo de caso fundamentado na teoria histórico-cultural. Os resultados revelaram que a constituição de espaços coletivos de discussão sobre a organização do ensino de Matemática contribui tanto para superar a competência individual dos sujeitos quanto para pensar a formação dos professores e futuros professores como uma atividade compartilhada.

Palavras-chave: Educação matemática histórico-cultural, Organização do ensino de matemática, Grupos de estudos, Processo de significação.

Abstract

The purpose of this article is to present the role of a group of studies and research has assumed in the making-meaning process of its subject-participants concerning the organization of mathematics teaching in the logical-historical perspective. The investigation is qualitative and constituted a case study based on the cultural-historical theory. The results revealed that the constitution of collective spaces for discussion on the organization of the Mathematics teaching contributes both to overcome the individual competence of the subjects and to think about teachers' and future teachers' education as a shared activity.

Keywords: Cultural-historical mathematics education, Mathematics teaching organization, Study groups, Process of Signification.

Resumen

El propósito de este artículo es presentar el papel que un grupo de estudios e investigaciones ha asumido en el proceso de creación de significado de sus sujetos-participantes en la organización de la enseñanza de las matemáticas en la perspectiva lógico-histórica. La investigación es cualitativa y constituye un estudio de caso basado en la teoría histórico-cultural. Los resultados revelaron que la constitución de espacios colectivos de discusión sobre la organización de la enseñanza de la Matemática contribuye tanto a superar la competencia individual de las asignaturas como a pensar en la formación de docentes y futuros docentes como una actividad compartida.

Palabras clave: Educación matemática histórico-cultural, Organización de la enseñanza de la matemática, Grupos de estudio, Proceso de significación.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Everaldo Gomes Leandro, IFSP

Doutorando e Mestre em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Especialista em Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação no Ensino Básico pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Graduado em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) com período de intercâmbio na Universidad Nacional Del Sur (UNS - Argentina). Professor Efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) - Campus Registro. 

Maria do Carmo de Sousa, UFSCar

Licenciada em Matemática pela UNISO (1989). Especialista em Matemática pela UNICAMP (1993). Mestre em Educação pela UNICAMP (1999) e Doutora em Educação pela UNICAMP (2004), área de concentração em Educação Matemática. Pós-doutorado pela Faculdade de Educação da USP- FEUSP (2016). Exerce o cargo de professor associado na Universidade Federal de São Carlos (DME-UFSCar). Líder do Grupo de Pesquisa Formação Compartilhada de Professores Escola e Universidade (GPEFCom-UFSCar). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Atividade Pedagógica (GEPAPE-FEUSP). Vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação (PPGPE - UFSCar). Possui experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática. Desenvolve pesquisa nas seguintes temáticas: Formação de Professores, Educação Matemática, Educação Conceitual, História da Matemática e ensino de álgebra. Coordenou o Programa Residência Pedagógica (UFSCar), no período de agosto/2018 a janeiro/2020. Coordenou o Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação (PPGPE - UFSCar), nos períodos: 2012 a 2014 e 2017 a 2019; Coordenou o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID-UFSCar), no período de 2008 a 2014. Coordenou o Programa Observatório da Educação (OBEDUC-UFSCar), no período de 2009 a 2012. Atuou no cargo de professor assistente na UNESP - Presidente Prudente; como docente e supervisora de EAD - Cegesp (UNICAMP) e, na Educação Básica, em escolas públicas e particulares, da cidade de Salto/SP. Bolsista produtividade do CNPq, modalidade PQ, nível 2. 

José Antônio Araujo Andrade, UFLA

Atua como docente e pesquisador permanente dos Programas de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática e em Educação Científica e Ambiental, ambos na Universidade Federal de Lavras (UFLA). É líder do grupo de pesquisa Práticas Pedagógicas orientadas pela Teoria Histórico-Cultural (PPTHC - DGP/CNPq). Atuou como docente permanente do Mestrado Nacional em Ensino de Física (UFLA) e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFLA. Atuou como diretor de apoio e desenvolvimento pedagógico (2012-2016) e como diretor de Avaliação e Desenvolvimento do Ensino (2016-2017), ambos na Pró-Reitoria de Graduação da UFLA e foi membro e presidente da Comissão Própria de Avaliação da UFLA (2012-2014). Possui Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade São Francisco (2000), Mestrado em Educação pela Universidade São Francisco (2004) e Doutorado em Educação na Universidade Federal de São Carlos (2012). Tem experiência na área de Matemática e Educação Matemática, com ênfase no ensino de Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Teoria Histórico-Cultural da Atividade; Modelagem na Educação Matemática, História das Ciências, Educação Matemática Mediada por Tecnologias Digitais e Formação de Professores.

Referências

ABREU, R. F. Uma abordagem lógico-histórica da geometria em atividades orientadoras de ensino. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal de Lavras. Lavras, MG. 2013.

ABREU, R, P. Investigando os Conceitos de Limite e Continuidade a partir da perspectiva Lógico˗Histórica. Trabalho de Conclusão de Curso ˗ Universidade Federal de Lavras. Lavras, MG. 2010.

ANDRADE, J. A. A., et al. A Construção de Conceitos de Números Naturais Utilizando o Ábaco. Educação Matemática em Revista, 34, 44-51. 2011.

ARAUJO, E. S. Contribuições da teoria histórico-cultural à pesquisa em educação matemática: a Atividade Orientadora de Pesquisa. Horizontes, 31(1), 81-90. 2013.

BITTAR, M. & FERREIRA Jr., A. História, epistemologia marxista e pesquisa educacional brasileira. Educação & Sociedade (Impresso), 30, p. 489-511. 2009.

BOYER, C. B. História da Matemática. Trad: Elza F.Gomide. São Paulo, Edgard Blucher. 1974.

BARROS, J. D. Teoria da História, volume II: Os primeiros paradigmas: Positivismo e Historicismo. Petrópolis: Editora Vozes. 2011.

CARAÇA, B. J. Conceitos Fundamentais da Matemática. Lisboa, Portugual. 1951. Disponível em: http://www.im.ufrj.br/nedir/disciplinas-Pagina/Caraca_ConceitosFundamentais.pdf . Acesso em: 12 de set. 2016.

CHAUÍ, M. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática. 2002.

DAMAZIO, A. & ROSA, J. E. Educação matemática: possibilidades de uma tendência histórico-cultural. Espaço Pedagógico, 20, p.33-53. 2013.

DIAS, M. S. Formação da imagem conceitual da reta real: um estudo do desenvolvimento o conceito na perspectiva lógico-histórica. Tese (Doutorado em Educação – Programa de Pós-Graduação em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo – São Paulo. 2007.

DIAS, M. S. & SAITO, F. Interface entre história da matemática e ensino: uma aproximação entre historiografia e perspectiva lógico-histórica. IV Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática, Brasília. 2009.

DUARTE, N. A relação entre o lógico e o histórico no ensino de matemática elementar. Dissertação (Mestrado em Educação – Programa de Pós-Graduação em Educação) ˗ Universidade Federal de São Carlos. São Carlos. 1987.

FERRACIOLI, L. Mapas conceituais como instrumento de eliciação de conhecimento. Revista Didática Sistêmica, 5(jan.). 2007.

FERREIRA, F. E. Investigação do conceito de função em seu processo de constituição lógico-histórico: contribuições para orientação da prática docente.

Orientador: José Antônio Araújo Andrade. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal de Lavras. Lavras, MG. 2014.

FREITAS, M. T. & RAMOS, B. S. No fluxo dos enunciados, um convite à contrapalavra. FREITAS, M. T; RAMOS, B. S. Fazer pesquisa na abordagem histórico-cultural: metodologias em construção. Juiz de Fora: Ed. UFJF. 2010.

GÓES, M. C. R. & CRUZ, M. N. da. Sentido, significado e conceito: notas sobre as contribuições de Lev Vigotski. Pro-Posições (Unicamp), 17, p. 31-45. 2006.

KOPNIN, P. V. A dialética como lógica e teoria do conhecimento. 1 ed. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira S.A. 1978.

LEONTIEV, A. Actividad, Consciencia, Personalidad. Habana: Editora Pueblo y Educacíon. 1983.

MOÍSES, R. P. A resolução de problemas na perspectiva lógico/histórica: o problema em movimento. Dissertação (Mestrado em Educação - Programa de Pós-Graduação em Educação) ˗ Universidade de São Paulo, São Paulo. 1999.

MOL, R. S. Introdução à história da matemática / Rogério S. Mol. – Belo Horizonte: CAED-UFMG. 2013.

MOURA, M. O. A atividade de ensino como unidade formadora. Bolema, Ano II, 12, p. 29-43. 1996.

____________. Espaços de aprendizagem e formação compartilhada. Revista de Educação PUC-Campinas,18, p.91-97. 2005.

MOURA, M. O.; S.; SOUZA, F. D.; M.L; D. A Atividade Orientadora de Ensino como Unidade entre Ensino e Aprendizagem. In: Manoel Oriosvaldo de Moura. (Org.). A Atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. 2ed.Campinas: Autores Associados, 2016, v. 1, p. 93-126.

MORETTI, V. D. & MOURA, M. O. O sentido em movimento na formação de professores de matemática. Zetetiké, 18(34). 2010.

REZENDE, J. P. Nexos conceituais de números naturais como sustentação para o desenvolvimento de atividades de ensino. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal de Lavras. Lavras, MG. 2010.

SCHAFF, A. História e Verdade. 6ª Ed. São Paulo: Martins Fontes. 1995.

SOUSA, M. C. O ensino de álgebra numa perspectiva lógico-histórica: um estudo das elaborações correlatas de professores do Ensino Fundamental. Tese de Doutorado – Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). São Paulo: 2004. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=vtls000324284&fd=y. Acesso em: 05 de set. 2014.

SOUSA, N. M. M. & MOURA, M. O. Integração Escola-Universidade como Atividade de Formação Continuada de Professores na Perspectiva Histórico-Cultural. Perspectivas da Educação Matemática, 8(16). 2015.

TAVARES, R. Construindo mapas conceituais. Ciência e Cognição, 27(dez.). 2007.

VASCONCELOS, L. O. Conceitos Fundamentais da Matemática: Explorando o conceito de função. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Federal de Lavras. Lavras, MG. 2012.

VYGOTSKY, L. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes. 2001.

Downloads

Publicado

2020-08-27

Como Citar

LEANDRO, E. G.; SOUSA, M. do C. de; ANDRADE, J. A. A. Organização do Ensino de Matemática: o papel do grupo de estudos na significação dos sujeitos&lt;br&gt;Mathematics teaching organization: the role of the study group in the meaning of the subjects. Educação Matemática Pesquisa Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 390–424, 2020. DOI: 10.23925/1983-3156.2020v22i2p390-424. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/47919. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos