CULTURAS COTIDIANAS NA INTER-RELAÇÃO DA CIDADE COM A UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UERJ, À LUZ DO DOCUMENTÁRIO LIXO EXTRAORDINÁRIO

Mirian Maia do Amaral, Rosemary Santos, Edméa Santos

Resumo


Neste artigo, as autoras discutem as culturas cotidianas, na inter-relação da cidade com a Universidade, do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, em tempos de cibercultura e mobilidade ubíqua, percorrendo e cartografando saberes, fazeres e poderes, tecidos e compartilhados pelos praticantes culturais, nas redes educativas. Mediante a apresentação de atos de currículo, deixam em evidência o movimento #UerjResiste, de onde emergem formas narrativas em diferentes materialidades discursivas sobre a crise por que passa a Universidade. Esses discursos constituem o eco linguístico entre o poder e o saber, enquanto a fala, com seu caráter subjetivo, encarna e propaga uma prática de resistência à objetivação discursiva. Nesse contexto, procuram compreender as principais características dessas redes ao serem tecidas com outros tantos cotidianos em que vivem esses sujeitos, estabelecendo o diálogo com o filme “Lixo Extraordinário”, indicado ao Oscar como o melhor documentário brasileiro, que mostra o trabalho do artista plástico Vik Muniz, junto a catadores de materiais recicláveis, no lixão de Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro. 



Palavras-chave


Cidade e cotidianos escolares; Atos de currículo; Multirreferencialidade; Políticas de resistência; #UerjResiste.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Nilda. Decifrando o pergaminho: os cotidianos das escolas nas lógicas das redes cotidianas. In: OLIVEIRA, Inês. B.; ALVES, Nilda (Orgs). Pesquisa nos/dos/com os cotidianos das escolas. Petrópolis: DP et Alii, 2008. p. 15-38.

______. A compreensão das políticas nas pesquisas com os cotidianos: para além dos processos de regulação. Educação e Sociedade. Campinas, 2010, v. 31, nº 113, p. 1195-1212.

______; GARCIA, Regina Leite. A invenção da escola a cada dia. In: ALVES, Nilda; GARCIA, Regina Leite (Orgs.). A invenção da escola a cada dia. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

AMARAL, Mirian M. Redes educativas: o diálogo entre artes plásticas e meio ambiente – uma releitura da obra Lixo Extraordinário. In: Boletim Técnico do Senac. Rio de Janeiro, jan./abr. 2015, v. 41 nº 1.

ANDRADE, Nívea; CALDAS, Alessandra N.; ALVES, Nilda. Os movimentos necessários às pesquisas com os cotidianos – ‘após muitas conversas acerca deles’. Material didático da disciplina Questões teórico-epistemológicas das pesquisas nos/dos/com os cotidianos. PROPED/UERJ. 2018 (Livro no prelo).

ARDOINO, Jacques. Pesquisa multirreferencial (plural) das situações educativas e formativas. In: BARBOSA, Joaquim. G. (Coord.). Multirreferencialidade nas ciências sociais e na educação. São Carlos: UFScar, 1998, p. 24-41.

BARBIER, René. A pesquisa-ação. Brasília: Liberlivro, 2007.

BRASIL. Presidência da República. Decreto-lei 7404 de 23 de dezembro de 2010. Regulamenta a Lei no 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, cria o Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador para a Implantação dos Sistemas de Logística Reversa, e dá outras providências, Brasília, DF, 2010.

BORBA, Sérgio (2001). Multirreferencialidade na formação do professor-pesquisador: da conformidade à complexidade Maceió: EdUFAL, 2001.

CALVINO, Italo. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

CAMARGO, Ana M. Faccioli de; MARIGUELLA, Márcio. Cotidiano escolar. Piracicaba: Jacintha, 2007.

CERTEAU, Michael de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 2013.

CUNHA, Maria Isabel da. Trajetórias e lugares de formação da docência universitária - perspectiva individual. Junqueira & Marin, 2010.

DIDI-HUBERMAN. Georges. Sobrevivência dos vaga-lumes. Trad. Vera Casa Nova e Márcia Arbex. Belo Horizonte, MG: UFMG, 2011

FOUCAULT, Michel de. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1981.

FRANÇA, Vera. Sujeitos da comunicação, sujeitos em comunicação. In: GUIMARÃES, César; França, Vera. Na mídia, na rua: narrativas do cotidiano. Belo Horizonte: Autêntica, 2006. p. 72-6.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 26. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

____. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Unesp, 2000.

HABERMAS, Jürgen. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

FRESQUET, Adriana M. Cinema, infância e educação. Anais da 30ª REUNIÃO ANUAL DE ANPED. Caxambú, 2007.

______. Cinema e educação: reflexões e experiências com professores e estudantes de educação básica, dentro e “fora” da escola. Belo Horizonte: Autêntica (Coleção Alteridade e Criação), 2013.

MACEDO, Roberto Sidnei. Atos de currículo e autonomia pedagógica. Petrópolis: Vozes, 2013.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

SANTOS, Edméa. Docência na cibercultura: laboratórios de informática, computadores móveis e educação online. Projeto de Pesquisa. Rio de Janeiro: UERJ, 2007.

______. Pesquisa-formação na cibercultura. Santo Tirso, Portugal: Whitebooks, 2014. SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo. Razão e emoção. São Paulo: Edusp, 2006.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i2p592-615

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais