PRINCÍPIOS EDUCATIVOS COMUNS E TRANSCENDENTES EM MOVIMENTOS SOCIAIS DE TRABALHADORES: OWENISTAS, CARTISTAS BRITÂNICOS E MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA

Cláudio Rodrigues da Silva, Neusa Maria Dal Ri

Resumo


Neste texto apresentam-se resultados de pesquisa documental e bibliográfica cuja finalidade foi a de analisar os projetos educativos dos owenistas, dos cartistas britânicos e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) do Brasil. O principal objetivo do estudo foi verificar se há proposições educacionais transcendentes e comuns entre esses movimentos sociais. Verificou-se que há princípios comuns, tais como: a) elaboração e implantação de um projeto próprio de educação; b) crítica e/ou negação do ensino oficial estatal; c) implementação da gestão democrática nas associações e escolas dos movimentos; d) formação dos próprios educadores; e) articulação entre ensino e trabalho produtivo. Os princípios integram os projetos educacionais dos movimentos estudados, contribuem para a formação técnico-científica dos seus membros e para veiculação de uma concepção de mundo concernente à classe trabalhadora.


Palavras-chave


Educação e movimentos sociais; Educação e trabalho; MST; Cartismo; Owenismo.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUER, Carlos. Educação, terra e liberdade: princípios educacionais do MST em perspectiva histórica. São Paulo: Pulsar; Xamã, 2009.

BRASIL. Lei n° 9.394, de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 1996. Disponível em: . Acesso em: 20 abr.2016.

BRAVERMAN, Harry. Trabalho e capital monopolista. A degradação do trabalho no Século XX. Rio de Janeiro: Zahar, 1974.

CALDART, Roseli Salete. Educação em movimento: formação de educadoras e educadores no MST. Petrópolis: Vozes, 1997.

______. Pedagogia do Movimento Sem Terra. 3. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

CHRISTOFFOLI, Pedro Ivan. Cooperação agrícola. In: CALDART, Roseli Salete et al (Org.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio; Expressão Popular, 2012. p. 159-165.

CIAVATTA, Maria; LOBO, Roberta. Pedagogia socialista. In: CALDART, Roseli Salete et al (Org.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio; Expressão Popular, 2012. p. 563-571.

DAL RI, Neusa Maria. Educação democrática e trabalho associado no contexto político-econômico do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. 2004. 315 f. Tese (Livre-Docência) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília. Disponível em: . Acesso em: 23 jan. 2012.

DAL RI, Neusa Maria. Movimentos sociais e educação democrática: antecedentes da pedagogia do trabalho associado. In: ELISALDE, Roberto; DAL RI, Neusa Maria; AMPUDIA, Marina; FALERO, Alfredo; PEREYRA, Kelly (Org.). Movimientos sociales, educación popular y trabajo autogestionado en el Cono Sur. Buenos Aires: Buenos Libros, 2013, v. 1, p. 97-132.

______; VIEITEZ, Candido Giraldez. Educação democrática e trabalho associado no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e nas fábricas de autogestão. São Paulo: Ícone: FAPESP, 2008.

ENGELS, Friedrich. Do socialismo utópico ao socialismo científico. 2. ed. Lisboa: Estampa, 1974.

______. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2008.

FERNÁNDEZ ENGUITA, Mariano. A face oculta da escola: educação e trabalho no capitalismo. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

FORTUNATO, Marinice da Silva. Uma experiência educacional de autogestão: a escola moderna nº 1 na sua gênese. 1992. 337 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

HOBSBAWM, Eric John. A era das revoluções – Europa 1789-1848. 8. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

______. Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. 2. ed. São Paulo: Companhias das Letras, 1995.

LOMBARDI, José Claudinei. Educação e ensino na obra de Marx e Engels. Campinas: Alínea, 2011.

LOVETT, William; COLLINS, John. Chartism: a new organization of the people, education and improvement of the people politically and socially. London, 1840. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2013.

MANACORDA, Mario Alighiero . História da educação : da antigüidade aos nossos dias. São Paulo: Cortez, 1992.

MARTINS, Fernando José. Gestão democrática e ocupação da escola: o MST e a educação. Porto Alegre: EST, 2004.

MARX, Karl. O capital. São Paulo: Abril Cultural, 1984. Livro I, volume 1.

MORTON, Arthur Leslie; TATE, George. O movimento operário britânico. Lisboa: Seara Nova, 1968.

MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA (MST). Princípios da educação no MST. Porto Alegre: MST, 1996.

______. Como fazemos a escola de educação fundamental. Caderno de Educação. MST, s. l., n. 9, 1999.

______. Pedagogia do Movimento Sem Terra – Acompanhamento às escolas. Boletim da Educação. Porto Alegre, n. 8, jun., 2001.

______. MST – Lutas e conquistas. São Paulo: MST, 2010.

______. A reunião das crianças. Revista das crianças Sem Terrinha. São Paulo, n. 5, out. 2012. p. 2-13.

______. MST Nossos frutos: educação. São Paulo. 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2016.

OWEN, Robert. The life of Robert Owen – written by himself. With selections from his writings and correspondence. New York: Augustus M. Kelley Publishers, 1967a. v. I

______. A supplementary appendix to the first volume of The life of Robert Owen. New York: Augustus M. Kelley Publishers, 1967b. v. II

PAZ RODRIGUES, José. Robert Owen, promotor da educação infantil e reformador social. Ponte Vedra, 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2016.

PONCE, Anibal. Educação e luta de classes. 2. ed. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1981.

SOUZA, Rosa Fátima. Alicerces da pátria: história da escola primária no Estado de São Paulo (1890-1976). Campinas: Mercado das Letras, 2009.

THOMPSON, Edward Palmer. A formação da classe operária inglesa: a árvore da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987a. v. 1

______. A formação da classe operária inglesa: a força dos trabalhadores. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987b. v. 3

______. A formação da classe operária inglesa: a maldição de Adão. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987c. v. 2.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2019v17i2p699-725

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais