Habitamos arcas voadoras ligadas com a Terra-arca?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/1983-3156.2022v24i2p384-403

Palavras-chave:

Filosofia, Astronomia, Mitologia, Pré-socráticos, Educação Matemática.

Resumo

Neste artigo são apresentadas reflexões de filósofos e de historiadores da ciência sobre os mitos dos gregos e dos povos indígenas brasileiros, o papel da astronomia nos primórdios da criação da ciência moderna europeia e alguns princípios pré-socráticos. Também estão expostos entendimentos de mundo de povos indígenas e a visão de mundo subjacente ao movimento de criação da ciência derivada das concepções da escola pitagórica. Para evidenciar a forte influência do pensamento pitagórico durante séculos, são destacadas concepções de Kepler (1571 - 1630). Neste artigo é enfatizada a visão husserliana denunciando o entendimento do mundo como constituído por coisas totalmente separadas e explicitando o sentido fenomenológico de universo por meio da metáfora de arcas voadoras: os lugares-lar juntos com a Terra-arca. Objetiva-se, por meio desta pesquisa bibliográfica, expor compreensões de pensadores para que o leitor medite sobre a fragmentação e a hierarquia de valores presentes no conhecimento científico e no ensino dos conteúdos curriculares no mundo da educação matemática escolar. Assumindo a atitude fenomenológica, o professor buscará organizar atividades pedagógicas que possibilitem ao estudante a atribuição de significados, estando sempre junto com seus estudantes, cuidadosamente atento e preocupado com o seu caminho, com o outro, com o mundo. Assim, poderá colaborar para a formação de pessoas que caminham harmoniosamente, indo além do entendimento de harmonia matematizada instaurado na escola pitagórica e habitando escolas-arca ligadas com a Terra-arca.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Tânia Baier, Universidade Regional de Blumenau

Doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005). 

Referências

Abbagnano, N. (2012). Dicionário de filosofia. WMF Martins Fontes.

Baier, T. & Bicudo, M. A. V. (2019). Educação matemática realizada junto aos estudantes e ao mundo-vida que habitam. In Brandão, C., Carvalho, J. L., Arellano, R., Baixinho, C. & Ribeiro, J. A prática na Investigação Qualitativa: exemplos de estudos - volume 3, p. 233-247. Ludomedia. https://iconline.ipleiria.pt/handle/10400.8/4887

Bicudo, M. A. V. (1998). O Papel do Educador. Nuances – Revista do Curso de Pedagogia, IV, p. 20-24.

Bornheim, G. A. (1998). Os filósofos pré-socráticos. Cultrix.

Brandão, J. de S. (1991). Dicionário mítico-etimológico da mitologia grega. Vozes.

Curd, P. (2014). A Presocratics Reader: Selected Fragments and Testimonia. Hackett Publishing Company.

Depraz, N. (2007). Compreender Husserl. Vozes.

Eves, H. (1997). Introdução à História da Matemática. Editora da UNICAMP.

Fabian, S. M. (2006). Astrônomos do cerrado. Scientific American – Etnoastronomia, 14, p.56-61.

Gingras, B. (2003). Johannes Kepler’s Harmonices mundi: A “Scientific” Version of the Harmony of the Spheres, Part II. Journal of the Royal Astronomical Society of Canada, 97 (6), p. 259-263. https://adsabs.harvard.edu/full/2003JRASC..97..259G

Gullberg, J. (1997). Mathematics: from the birth of numbers. W.W. Norton & Company.

Heidegger, M. (1988). Ser e Tempo. Vozes.

Husserl, E. (1989). La Terre ne se meut pas. Aux Editions de Minuit.

Krenak, A. (2020). A vida não é útil. Companhia das Letras.

Martins, J. & Bicudo, M. A. V. (2006). Estudos sobre existencialismo, fenomenologia e educação. Centauro.

Martins, J. (1992). Um enfoque fenomenológico do currículo: Educação como Poíesis. Cortez.

Omnès, R. (1996). Filosofia da Ciência Contemporânea. Editora da UNESP.

Poincaré, H. (1995). O valor da ciência. Contraponto.

Spinelli, M. (2002). A noção de arché no contexto da filosofia dos pré-socráticos. Hypnos, 7 (8), p. 72-92.

Tannery, P. (1995). Recherches sur l’histoire de l’astronomie ancienne. Éditions Jacques Gabay.

Vernant, J. P. (2002). As origens do pensamento grego. Difel.

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

BAIER, T. Habitamos arcas voadoras ligadas com a Terra-arca? . Educação Matemática Pesquisa Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, São Paulo, v. 24, n. 2, p. 384–403, 2022. DOI: 10.23925/1983-3156.2022v24i2p384-403. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/57399. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Finalizada - Número especial: Filosofia da Educação Matemática –2022