EDUCAÇÃO MAKER E COMPROMISSO ÉTICO NA SOCIEDADE DA CULTURA DIGITAL

Tatiana Sansone Soster, Fernando José de Almeida, Maria da Graça Moreira Silva

Resumo


Neste artigo, reflete-se sobre o diálogo entre as tecnologias, o currículo, a ética e o compromisso social. Para tanto, pesquisaram-se, nas produções bibliográficas levantadas em bases de dados digitais, teses e dissertações que analisam contextos educacionais e curriculares em que se desenvolvem características do movimento maker. A análise qualitativa dos textos levantados identificou que o movimento maker está em processo de implantação nas escolas e ganha força a partir de uma série de eventos vinculados à educação; além disso, a proposta diferenciada da produção de bens de consumo inspira agora o desenvolvimento de um modelo educacional mais voltado ao fazer dialógico, um refletir sobre a aprendizagem e o compartilhamento de problemas e soluções individuais e sociais, com o uso da tecnologia. Conclui-se que as potencialidades e o valor político-pedagógico dos ambientes maker trazem, para a educação, amplo espaço ao exercício do caráter ético que pode estar subjacente aos projetos. Evidenciou-se como tendência a perspectiva de propor um contínuo replanejamento dos objetivos da aprendizagem alinhando-os com as questões sociais mais amplas inclusive dos desafios de problemáticas sociais mundiais, dos territórios, dos grupos de alunos e da dimensão ética e da política das relações entre eles. O papel de um currículo crítico e da função socioeducativa do professor são fundamentais na montagem desta complexa e delicada equação: tecnologias, currículo, ética e compromisso social.


Palavras-chave


Currículo; Ética; TDIC; Educação maker.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio et al. A sopa de Wuhan: Pensamiento Contemporaneo en tiempos de pandemias. Buenos Aires: ASPO, 2020.

ALMEIDA, Maria das Neves de. Espaços Makers como potencializadores da criatividade, ludicidade e compartilhamento de ideias no contexto acadêmico. Orientadora: Salete de Fátima Noro Cordeiro. 2019. 190 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação: Currículo, Linguagens e Inovações Pedagógicas) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019.

DOI http://dx.doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i2p715-738

BEZERRA, Mário Cezar Augusto de Almeida. Possibilidades lúdicas com tecnologias digitais na formação docente: Uma proposta de espaço maker no IF Sertão-PE Campus Petrolina. Orientadora: Tatiana Polliana Pinto de Lima. 2019. 227 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019.

BLIKSTEIN, Paulo; WORSLEY, Marcelo Aaron Bonilha. Children are not hackers: Building a culture of powerful ideas, deep learning, and equity in the Maker Movement. In: PEPPLER, Kylie; HALVERSON, Erica; KAFAI, Yasmin, B. (Eds.). Makeology: Makerspaces as learning environments. v. 1. New York: Routledge, 2016. p. 64-79.

CAMPOS, Fabio; SOSTER; Tatiana; BLIKSTEIN, Paulo. Sorry, I was in teacher mode today: pivotal tensions and contradictory discourses in real-world implementations of school makerspaces. In: ANNUAL CONFERENCE ON CREATIVITY AND FABRICATION IN EDUCATION – FABLEARN, 8., 2019, New York. Proceedings […]. New York: Teachers College, Columbia University, 2019. p. 96-103.

CAVALLO, David et al. The city that we want: generative themes, constructionist technologies and school/social change. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON ADVANCED LEARNING TECHNOLOGIES – IEEE (ICALT), 4., 2004, Joensuu. Proceedings [...]. Joensuu: IEEE Computer Society, 2004. p. 1034-1038.

CRUZ JUNIOR, Nelson Rodrigues da. O uso das TIC na educação em Irecê /BA: ciclo de formação humana, ambientes de tecnologia e o “faça você mesmo”. Orientador: Nelson de Luca Pretto. 2018. 109 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação, Currículo, Linguagens e Inovações pedagógicas) -Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

LIPOVETSKY, Gilles. A sociedade da sedução: democracia e narcisismo na hiper-modernidade liberal. Barueri: Manole, 2019.

PAPERT, Seymour. A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática. Tradução de Sandra Costa. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

QUINQUIOLO, Natalia Carvalho Rosas. Aplicação de ferramentas pedagógicas para o ensino de ciências em estudantes de Pedagogia: aprendendo sobre energia e eletricidade. Orientador: Marco Aurélio Alvarenga Monteiro. 2019. 108 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Projetos Educacionais de Ciências) - Universidade de São Paulo, Lorena, 2019.

SERRES, Michel. O contrato natural. Lisboa: Instituto Piaget, 1960.

SERRES, Michel. O contrato social. Lisboa: Instituto Piaget, 1990.

SILVA, Akynara Aglae Rodrigues Santos da. Robótica e educação: uma possibilidade de inserção sócio-digital. Orientadora: Maria da Graça da Silva Coelho. 2010. 146 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2010.

SILVA, Cristiane Samária Gomes da. Imersão nas tecnologias digitais para educação: uma experiência pedagógica no curso de Pedagogia da PUC-SP. Orientadora: Ana Maria Di Grado Hessel. 2018. 156 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia da Inteligência e Design Digital) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.

SOSTER, Tatiana. Revelando as essências da Educação Maker: percepções das teorias e das práticas. Orientador: Fernando José de Almeida. 2018. 172 f. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018.

STROYMATE, Tatiana Luz. Currículo, tecnologias e alfabetização científica: uma análise da contribuição da robótica na formação de professores. Orientadora: Maria da Graça Moreira da Silva. 2015. 135 f. Dissertação (Mestrado em Educação: Currículo) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.

VALVERDE, Antônio. Hans Jonas e o princípio responsabilidade. Revista Dissertatio, Pelotas, v. 7, Dossiê Hans Jonas, p. 137-150, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/dissertatio/issue/view/529. Acesso em: 15 maio 2020.

VIEIRA PINTO, Álvaro. Ciência e existência. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1969.

VIEIRA PINTO, Álvaro. O conceito de tecnologia. v. I. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005.




DOI: https://doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i2p715-738

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista e-Curriculum                                   e-ISSN 1809-3876

Indexadores:

Nacionais

              

 

Internacionais