Conhecimentos e Crenças de uma Formadora de Professores

Análise de sua Prática Letiva ao Ensinar Álgebra na Licenciatura em Pedagogia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/1983-3156.2023v25i1p249-282

Palavras-chave:

Formadores de Professores, Licenciatura em Pedagogia, Pensamento Algébrico, Conhecimentos Profissionais, Crenças

Resumo

O presente artigo tem como objetivo identificar e mapear as crenças sobre a matemática, seu ensino e aprendizagem, e compreender o papel delas no desenvolvimento de conhecimentos profissionais de uma formadora de professores em sua prática letiva em um curso de Licenciatura em Pedagogia. O estudo é fruto de uma pesquisa qualitativa-interpretativa, do tipo estudo de caso, em que foram recolhidos dados de três naturezas distintas: documentos, entrevista e observação. Os resultados apontam para a incidência das crenças da formadora sobre a matemática instrumentalista, seu ensino e aprendizagem constituídas durante sua trajetória acadêmica e para uma reorganização dessas crenças a partir do envolvimento em um trabalho colaborativo voltado à sua prática letiva. Por fim, aponta-se para as contribuições da reorganização dessas crenças no desenvolvimento, mobilização e ampliação dos seus conhecimentos profissionais para ensinar Álgebra na Licenciatura em Pedagogia, em especial no domínio do conhecimento pedagógico do conteúdo.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Eduardo Goedert Doná, Universidade Federal do ABC

Mestrado Profissional em Educação

Alessandro Jacques Ribeiro, Universidade Federal do ABC

Doutorado em Educação Matemática

Referências

Almeida, M. V. R. de, & Ribeiro, M. (2020). Conhecimento Especializado de um formador de professores de Matemática ao ensinar o Teorema do Algoritmo da Divisão Euclidiana: um foco nos exemplos e explicações. TANGRAM - Revista De Educação Matemática, 3(4), 24–56. DOI: https://doi.org/10.30612/tangram.v3i4.12716.

Ball, D. L., Ben-Peretz, M., & Cohen, R. B. (2014). Records of practice and the development of collective professional knowledge. British Journal of Educational Studies, v. 62, n. 3, p. 317-335. DOI: https://doi.org/10.1080/00071005.2014.959466.

Ball, D., Thames, M. H., & Phelps, G. (2008). Content knowledge for teaching: what makes it special? Journal of Teacher Education, v. 59, n. 5, p. 389-407. DOI: https://doi.org/10.1177/0022487108324554.

Barboza, L. C. S. (2019). Conhecimento dos professores dos anos iniciais e o sinal de igualdade: Uma investigação com tarefas de aprendizagem profissional. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do ABC, Brasil.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo, 1 ed. São Paulo: Edições 70.

Beswick, K. (2012). Teachers' beliefs about school mathematics and mathematicians' mathematics and their relationship to practice. Educational Studies in Mathematics, v. 79, n. 1, p. 127-147. DOI: https://doi.org/10.1007/s10649-011-9333-2.

Beswick, K., & Goos, M. (2018) Mathematics teacher educator knowledge: What do we know and where to from here?. Journal of Mathematics Teacher Education, v. 21, n. 5, p. 417-427. DOI: https://doi.org/10.1007/s10857-018-9416-4.

Blanton, M. L., & Kaput, J. J. (2005) Characterizing a classroom practice that promotes algebraic reasoning. Journal for Research in Mathematics Education, v.36, n.5, p.412-446. DOI: https://doi.org/10.2307/30034944.

Bogdan, R., & Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora.

Boni, V., & Quaresma, S. J. (2005). Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Em Tese: Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC, Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 3, p. 68-80, jan./jul. DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Borko, H., Jacobs, J., Seago, N., & Mangram, C. (2014). Facilitating video-based professional development: Planning and orchestrating productive discussions. In Transforming mathematics instruction (pp. 259-281). Springer, Cham. DOI: 10.1007/978-3-319-04993-9_16.

Bortolete, J., Guaranha, M. F., & de Oliveira, V. (2022). O Pensamento Algébrico na Base Nacional Comum Curricular: reflexões e alternativas. Educação Matemática Pesquisa: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, 24(2), 325-352. DOI: http://dx.doi.org/10.23925/1983-3156.2022v24i2p325-352.

Brasil. Ministério da Educação. (2017). Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília, DF.

Carrillo, J., Montes, M., Codes, M., Contreras, R. C., & Climent, N. (2019). El conocimiento didáctico del contenido del formador de profesores de matemáticas: su construcción a partir del análisis del conocimiento especializado pretendido en el futuro profesor. In: I. Fortunato. Formação permanente de professores: experiências ibero-americanas (org.). São Paulo: Edições Hipótese. 554p.

Carrillo, J., Montes, M., Contreras, L.C., & Climent, N. (2018). El conocimiento del profesor desde una perspectiva basada em su especialización: MTSK. Annales de Didactique et the sciences cognitives, v. 22, p.185-205. DOI: https://doi.org/10.4000/adsc.756.

Castro, F. C, & Fiorentini, D. (2021). Formação Docente em Matemática para os Primeiros Anos da Escolarização: Estudo Comparativo Brasil-Portugal. RIESup,7, e021030. DOI: https://doi.org/10.20396/riesup.v7i0.8658542.

Chimoni, M., Pitta-Pantazi, D., & Christou, C. (2021). The impact of two different types of instructional tasks on students’ development of early algebraic thinking. Journal for the Study of Education and Development, v. 44, n. 3, p. 503-552. DOI: https://doi.org/10.1080/02103702.2020.1778280.

Coura, F. C. F., & Passos, C. L. B. (2021). Conhecimento do formador de professores de matemática que é investigador da docência. Zetetiké, Campinas, SP, v. 29, n. 00, p. e021007. DOI: https://doi.org/10.20396/zet.v29i00.8661842

Coura, F. C. F., & Passos, C. L. B. (2017). Estado do conhecimento sobre o formador de professores de Matemática no Brasil. Zetetiké, Campinas, SP, v. 25, n. 1, p. 7–26. DOI: https://doi.org/10.20396/zet.v25i1.8647556.

Doná, E. G., & Ribeiro, A. J. (2022). Conhecimento Matemático para Ensinar Álgebra: uma análise curricular na Licenciatura em Pedagogia. Zetetiké, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e022019, 2022. DOI: https://doi.org/10.20396/zet.v30i00.8668443.

Ferreti, F., Martignone, F., & Rodriguez-Muñiz, L. J. (2021). Modelo de conhecimento especializado para Formadores de Professores de Matemática. Zetetiké, Campinas, SP, v. 29, n. 00, p. e021001. DOI: https://doi.org/10.20396/zet.v29i00.8661966.

Gatti, B. A., Barreto, E. S. de S., André, M. E. D. A. de, & Almeida, P. C. A. de. (2019). Professores do Brasil: novos cenários de formação. Brasília: UNESCO, 351 p. ISBN: 978-85-7652-239-3.

Goodwin, A. L, & Kosnik, C. (2013). Quality Teacher Educators = Quality Teachers? Conceptualizing essential domains of knowledge for those who teach teachers. Teacher Development, 17(3), 334-346. DOI: https://doi.org/10.1080/13664530.2013.813766.

Jaworski, B. (2008). Development of the mathematics teacher educator and its relation to teaching development. In: International Handbook of Mathematics Teacher Education: Volume 4. Brill Sense. p. 333-361.

Jungbluth, A., Silveira, E., & Grando, R. C. (2022). A Álgebra no Currículo de Matemática dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental: a Voz dos Professores. Educação Matemática Pesquisa: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, 24(1), 250-288. DOI: http://dx.doi.org/10.23925/1983-3156.2022v24i1p250-288.

Kaput, J. J. (2008). What Is Algebra? What Is Algebraic Reasoning?. In: Algebra in the early grades. Routledge. p. 5-18.

Marshman, M. (2021). Learning to teach mathematics: How secondary prospective teachers describe the different beliefs and practices of their mathematics teacher educators. In: The learning and development of mathematics teacher educators. Springer, Cham, p. 123-144. DOI: https://doi.org/ 10.1007/978-3-030-62408-8_7.

Moraes, R. (2018). Da noite ao dia: tomada de consciência de pressupostos assumidos dentro das pesquisas sociais. In: Caminhos da pesquisa qualitativa no campo da Educação em Ciências-Porto Alegre: EDIPUCRS, p. 19-55.

Nacarato, A. M., Passos, C. L. B., Cristovão, E. M., Megid, M. A. B. A., & Coelho, M. A. V. M. P. (2016). Tendências das pesquisas brasileiras que têm o professor que ensina matemática como campo de estudo: uma síntese dos mapeamentos regionais. In: D. Fiorentini, C. L. Passos, & R. C. R. Lima. Mapeamento da pesquisa acadêmica brasileira sobre o professor que ensina Matemática: período 2001 – 2012. FE-Unicamp: Campinas. ISBN-13 (15): 978-85-7713-198-3.

Ping, C., Schellings, G., & Beijaard, D. (2018). Teacher educators' professional learning: A literature review. In: Teaching and teacher education, v. 75, p. 93-104. DOI: https://doi.org/10.1016/j.tate.2018.06.003.

Ponte, J. P. (1994). O estudo de caso na investigação em educação matemática. Quadrante, 3(1), 3-18. DOI: https://doi.org/10.48489/quadrante.22652.

Ponte, J. P., M. L., Branco, N., & Matos, A. (2009). A Álgebra no ensino básico. Portugal: Ministério da Educação, Direção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular - DGIDC, Lisboa.

Ribeiro, A. J., Aguiar, M., & Trevisan, A. L. (2020). Oportunidades de aprendizagem vivenciadas por professores ao discutir coletivamente uma aula sobre padrões e regularidades. Quadrante, 29(1), 52–73. DOI: https://doi.org/10.48489/quadrante.23010.

Ribeiro, A. J., & Ponte, J. P. da. (2020). Um modelo teórico para organizar e compreender as oportunidades de aprendizagem de professores para ensinar matemática. Zetetiké, Campinas, SP, v. 28, p. e020027. DOI: https://doi.org/10.20396/zet.v28i0.8659072.

Rodriguez, M. C., Tatto, M. T., Palma, J., Nickodem, K. (2018). A comparative international study of differences in beliefs between future teachers and their educators. In: Exploring the Mathematical Education of Teachers Using TEDS-M Data. Springer, Cham. p. 165-192. DOI: https://doi.org/ 10.1007/978-3-319-92144-0_6.

Saviani, D. (2009). Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira da Educação, 14(40),143-155. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782009000100012.

Schön, D. A. (2000). Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem: Artes Médicas Sul, Porto Alegre.

Shulman, L. S. (1986). Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, v. 15, n. 4, p. 4-14. DOI: https://doi.org/10.3102/0013189X015002004.

Superfine, A. C., & Li, W. (2014). Developing mathematical knowledge for teaching teachers: A model for the professional development of teacher educators. Issues in Teacher Education, v. 23, n. 1, p. 113-132.

Superfine, A. C., & Pitvorec, K. (2021). Using community artifacts to support novice math teacher educators in teaching prospective teachers. International Journal of Science and Mathematics Education, v. 19, n. 1, p. 59-75. DOI: https://doi.org/10.1007/s10763-021-10152-7.

Trivilin, L. R., & Ribeiro, A. J. (2015). Conhecimento Matemático para o Ensino de Diferentes Significados do Sinal de Igualdade: um estudo desenvolvido com professores dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Bolema: Boletim de Educação Matemática, v. 29, p. 38-59. DOI: https://doi.org/10.1590/1980-4415v29n51a03.

Zopf, D. (2010) Mathematical knowledge for teaching teachers: The mathematical work of and knowledge entailed by teacher education (Unpublished doctoral dissertation). University of Michigan, Ann Arbor.

Publicado

2023-04-29

Como Citar

DONÁ, E. G. .; RIBEIRO, A. J. Conhecimentos e Crenças de uma Formadora de Professores: Análise de sua Prática Letiva ao Ensinar Álgebra na Licenciatura em Pedagogia. Educação Matemática Pesquisa Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 249–282, 2023. DOI: 10.23925/1983-3156.2023v25i1p249-282. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/60019. Acesso em: 16 jul. 2024.