O componente curricular “educação inclusiva” na formação inicial de professores

um estudo de caso em um curso de licenciatura em matemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/1983-3156.2024v26i1p339-359

Palavras-chave:

Educação inclusiva, Formação inicial, Aprendizagem docente

Resumo

O trabalho discute contribuições do componente curricular “Educação Inclusiva” na formação inicial do professor de matemática. Caracteriza-se como um estudo de caso, com abordagem qualitativa, cujos dados foram coletados junto a alunos e egressos de um curso de licenciatura em matemática do Instituto Federal do Ceará (IFCE), que cursaram o componente curricular nos semestres entre 2016 e 2019. Evidenciaram-se perspectivas relevantes na visão dos participantes quanto ao percurso na disciplina, destacando-se melhor compreensão sobre o conceito de deficiência, tipos, assim como sobre educação na ótica inclusiva, além de maior entendimento acerca da necessidade de formação inicial/continuada de professores, visando à promoção de inclusão, favorecendo adequações didático-pedagógicas necessárias à efetivação de aprendizagem de pessoas com deficiência. A ênfase à importância do componente curricular “Educação Inclusiva” permite inferir que a disciplina despertou interesse e instigou a busca por subsídios que favoreçam uma prática profissional capaz de promover aprendizagens na diversidade.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Damião Michael Rodrigues de Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE campus Cedro

Doutorado em Educação (UNIMEP). Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática (UFC). Especialização em Metodologias do Ensino Fundamental (UVA) e em Gestão Escolar (UDESC). Licenciaatura em Matemática (IFCE campus Cedro) e em Pedagogia (UVA). Professor do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) campus Cedro. Líder do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Ensino e Aprendizagem. 

Francisco José de Lima, IFCE campus Iguatu

Doutorando em Educação (UNIT - Sergipe); Mestre em Distúrbios do Desenvolvimento (UPM); Especialista em Ciências Ambientais (FIP); Especialista em Educação Especial e Inclusiva pela Faculdade Montenegro; Licenciado em Ciências Biológicas (UECE) e em Letras com Habi litação em Língua Brasileira de Sinais (UFSC). Professor EBTT do IFCE, campus Iguatu. Pesquisador do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Ensino e Aprendizagem do IFCE campus Cedro. E-mail: michael.lima@ifce.edu.br

Roberta da Silva, IFCE campus Cedro

Doutora em Psicologia (UNIFOR). Mestra em Gestão e Avaliação da Educação Pública (UFJF). Especialista no Ensino de Língua Portuguesa (URCA). Licenciada em Pedagogia e em Formação de Professores para as Séries Finais do Ensino Fundamental (UECE). Professora EBTT do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) campus Cedro. Vice-líder e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Ensino e Aprendizagem do IFCE campus Cedro. E-mail: robertasilva@ifce.edu.br

Referências

Araújo, Flávia Luciana Guimarães Marçal Pantoja; Maués, Antonio Gomes Moreira. (2013). O direito humano à educação. In: ARAÚJO, Flávia Luciana Guimarães Marçal Pantoja de (Org.) Direito Humano à educação na Amazônia: uma questão de justiça. Belém-Pará: Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos.

Bakhtin, Mikhail. (2010). Para uma filosofia do ato responsável. Trad. Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores.

Bardin, Laurence. (2009). Análise de Conteúdo. 4 ed. Lisboa: Edições 70.

Bogdan, Robert; Biklen, Sari. (1994). Investigação qualitativa em educação. Portugal: Porto.

Borges, Fábio; Viginheski, Virgínia Mamcasz; Silva, Carvalho Rutz.; Shimazaki, Elsa Midori. (2022). Processo de inclusão escolar de uma aluna cega em aulas de Matemática. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v.24, n. 1, p. 388-417. https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/54260/39453

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF. http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/constituicao/ constituicao.htm.

Brasil. (1996). Lei n. 9.394, de 20 de dez. de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm.

Brasil. (2008a) Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF, jan. 2008a. [Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela portaria n. 555/2007, prorrogada pela portaria n. 948/2007, entregue ao ministro da Educação em 7 de janeiro de 2008]: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.

Brasil. (2011). Decreto n. 7.611, de 17 de nov. de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF: http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm.

Brasil. (2019). Resolução CNE/CP nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília, DF: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file.

Brasil. (2015). Lei n. 13.146, de 6 de jul. de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm.

Camargo, Miriam Rosa Torres; San’ana; Izabella Mendes (2015). Formação e atuação de professores em salas de recursos multifuncionais. Revista Eletrônica Pesquiseduca, Santos, v. 07, n. 13, p. 198-218, jan.-jun: http://periodicos.unisantos.br/index.php/pesquiseduca/article/view/414/ pdf.

Carmo, Bruno Cleiton Macedo; Fumes, Neiza de Lourdes Frederico; Mercado, Elisangela Leal de Oliveira; Magalhães, Luciana de Oliveira Rocha (2019). Políticas públicas educacionais e formação de professores: convergências e distanciamentos na área de Educação Especial. Revista Educação Especial, Santa Maria, p.1-28 v. 32: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/ view/39223.

Caporale, Silvia Maria Medeiros ; Nacarato, Adair Mendes (2018). Sentir-se professor ou professora de matemática: percurso de (trans)formação. Perspectiva, Florianópolis, v. 36, n. 2, p. 5, 58-59, abr/jun: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2018v 36n2p558.

De Vitta, Fabiana Cristina Frigieri; De Vitta, Alberto; Monteiro, Alexandra dos Santos Rego. (2010). Percepção de professores de educação infantil sobre a inclusão da criança com deficiência. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v.16, n.3, p.415-428: https://doi.org/10.1590/S1413-6538201000030000.

Faria, Karla Tomaz; Teixeira, Maria Cristina Trigueiro Veloz; Carreiro, Luiz Renato Rodrigues; Amoroso, Victor; Paula, Cristiane Silvestre (2018). Atitudes e práticas pedagógicas de inclusão para o aluno com autismo. Revista Educação Especial, Santa Maria, p. 353-370, jun: https://periodicos.ufsm.br/ educacaoespecial/article/view/28701.

Favoretto, Natalia Caroline; Lamonica, Dionísia Aparecida Cusin (2014). Conhecimentos e necessidades dos professores em relação aos transtornos do espectro autístico. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 20, n. 1, p. 103-116, Mar: http://www. scielo.br/scielo.php? script=sci_arttext&pid =S1413-65382014000100008&lng=en&nrm=isso.

Ceará, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (2012). Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática. IFCE campus Cedro. Cedro.

Lima, Priscila Augusta (2006). Educação inclusiva e igualdade social. São Paulo: Avercamp.

Lima, Stéfanie Melo; Laplane, Adriana Lia Friszman (2016). Escolarização de Alunos com Autismo. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 22, n. 2, p. 269-284: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382016000200269 &lng=en& nrm=iso.

Mazzotta, Marcos José da Silveira (2011). Educação Especial no Brasil: História e políticas públicas. 6ª ed. São Paulo: Cortez.

Molon, Newton Duarte; Vianna, Rodolfo (2012). O Círculo de Bakhtin e a Linguística Aplicada. Bakhtiniana, São Paulo, 7 (2): 142-165, Jul./Dez: https://www.scielo.br/j/bak/a/SKstZ8JH7M66mxQ7RnncZ7j/?lang=pt&format=pdf.

Polak, Ymiracy Nascimento de Souza; Diniz, José Alves (2011). Conversando sobre pesquisa. In Polak, Y. S. Diniz, J. A.; Santana, J. R. et. al. [autores] Dialogando sobre Metodologia Científica. Fortaleza: UFC.

Rodrigues, Thiago Donda (2010). Educação matemática inclusiva. Interfaces da Educação, [S. l.], v. 1, n. 3, p. 84–92.: https://periodicos online.uems.br/index. php/ interfaces/article/view/ 620.

Siems, Maria Edith Romano (2010). Educação especial em tempos de educação inclusiva: identidade docente em questão. São Carlos: Pedro & João Editores. 194p.

Silva, Naiane Cristina; Carvalho, Beatriz Girão Enes (2017). Compreendendo o Processo de Inclusão Escolar no Brasil na Perspectiva dos Professores: uma Revisão Integrativa. Revista Brasileira de Educação Especial. v. 23, n. 02, p. 293-308: https://doi.org/10.1590/S1413-65382317000200010.

Silveira, Kelly Ambrosio; Enumo, Sônia Regina Fiorim; Rosa, Edinete Maria (2012). Concepções de professores sobre inclusão escolar e interações em ambiente inclusivo: uma revisão da literatura. Revista Brasileira de Educação Especial. v. 18, n. 4, pp. 695-708: https://doi.org/10.1590/S1413-65382012000400011.

Tavares, Lídia Mara Fernandes Lopes; Santos, Larissa Medeiros Marinho; Freitas, Maria Nivalda Carvalho (2016). A Educação Inclusiva: um Estudo sobre a Formação Docente. Revista Brasileira de Educação Especial. Bauru, v. 22, n. 4, p. 527-542: https://www. scielo.br/j/rbee/a/NPXMqY7W5L7j Rr6DwDCLZBw/abstract/?lang=pt.

Triviños, Augusto Nibaldo Silva (2010). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

Yin, Robert. (2001). Estudo de Caso: Planejamento e Método. Porto Alegre: Bookman.

Publicado

2024-04-30