Conhecimento da matemática e da química incorporadas a materiais curriculares integradores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/1983-3156.2024v26i1p059-085

Palavras-chave:

Materiais curriculares, Integração curricular, Trabalho com projetos

Resumo

O artigo estrutura-se a partir do objetivo de conhecer a Matemática e a Química incorporadas a materiais curriculares integradores da área de Ciências da Natureza avaliados e aprovados no âmbito do PNLD 2021. Trata-se de uma pesquisa documental para a qual foi selecionado o manual do professor de um material caracterizado como Projeto Integrador. Feita a leitura dos textos de apresentação, na parte introdutória, e de orientação para o desenvolvimento de dois projetos do referido material, a análise foi orientada pelas discussões de integração curricular, trabalho com projetos e do conhecimento da Matemática e da Química incorporadas ao currículo (KCEMC). Os resultados indicam que, tanto na parte introdutória quanto no desenvolvimento dos dois projetos analisados, há ausência de transparência da conceitualização de integração curricular, trabalho com projetos e organização dos conteúdos, o que pode restringir o conhecimento profissional docente e implicar práticas de ensino que podem divergir dos propósitos do material curricular.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jackelany de Souza França Durães Machado, Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

Gilberto Januario, Universidade Estadual de Montes Claros

Doutor em Educação Matemática

Referências

Aires, J. A. (2011). Integração e Interdisciplinaridade: sinônimos? Educação & Realidade, 36(1), 215-230.

Ball, D. L.; Thames, M. H. & Phelps, G. (2008) Content knowledge for teaching: what makes it special? Journal of Teacher Education, 59(5), 389-407.

Beane, J. A. (2003). Integração curricular: a essência de uma escola democrática. Currículo sem Fronteiras, 3(2), 91-110.

Bensaude-Vincent, B. (2009). Les vertiges de la technoscience : façonner le monde atome par atome. Paris: La Découverte.

Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. (2018). Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília, DF: MEC/SEB.

Collopy, R. (2003). Curriculum materials as a professional development tool: how a Mathematics textbook affected two teachers' learning. The Elementary School Journal, 103(3), 287-311.

Davis, E. & Krajcik, J. (2005). Designing educative curriculum materials to promote teacher learning. Educational Researcher, 34(3), 3-14.

Fiorentini, D. & Lorenzato, S. (2006) Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas, SP: Autores Associados.

Januario, G. (2022). Desenvolvimento curricular em Matemática a partir de projetos integradores: estudo com professoras em formação inicial. Boletim online de Educação Matemática, 10(19), 44-62.

Machado, J. S. F. D. (2023). Relação professor-materiais curriculares: estudo na perspectiva da integração Matemática e Química. 94f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Montes Claros. Montes Claros, MG.

Maldaner, O. A. (2008). A pós-graduação e formação do educador químico. In: M. I. P. Rosa & A. V. Rossi. (Org.). Educação Química no Brasil: memórias, políticas e tendências (pp. 269-288). Campinas, SP: Átomo.

Martins, J. E. A.; Carbo, L. & Soares, S. T. C. (2021). Conhecimento Especializado de Professores de Química — CTSK: uma análise de prática docente no ensino de hidrocarbonetos. Revista Prática Docente, 6(1), 1-23.

Moran, J. (2018). Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. In: L. Bacich & J. Moran. (Org.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática (pp. 2-25). Porto Alegre, RS: Penso.

Oliveira, S. A,; Rezende, D. P. L.; Reis, A. R. G. & Carneiro, R. F. (2021). Vivências de professoras dos Anos Iniciais no trabalho com a resolução de problemas em uma formação continuada. Educação Matemática Debate, 5(11), 1-27.

Penalva, M. C. & Llinares, S. (2011). Tareas matemáticas en la Educación Secundaria. In: J. M. Goñi. (Coord). Didáctica de las Matemáticas (pp. 27-51). Barcelona: Graó.

Remillard, J. T. & Kim, O. (2017). Knowledge of curriculum embedded mathematics: exploring a critical domain of teaching. Educational Studies in Mathematics, 96, 65-81.

Rezende, A. A. & Silva-Salse, A. R. (2021). Utilização da aprendizagem baseada em problemas (ABP) para o desenvolvimento do pensamento crítico (PC) em Matemática: uma revisão teórica. Educação Matemática Debate, 5(11), 1-21.

Sacristán, J. G. (2013). O que significa o currículo? In: J. G. Sacristán. (Org.). Saberes e incertezas sobre o currículo. Tradução de A. Salvaterra. Porto Alegre, RS: Penso.

Santos, M. L. (2009). Projetos didáticos: interdisciplinares e temáticos. In: A. M. A. Caldeira & E. S. N. N. Araújo. (Org.). Introdução à didática da Biologia (pp. 206-220). São Paulo, SP: Escrituras.

Stein, M. K. & Smith, M. S. (2009). Tarefas matemáticas como quadro para a reflexão: da investigação à prática. Educação e Matemática, 105, 22-28.

Zabala, A. (2002). Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para o currículo escolar. Tradução de E. F. F. Rosa. Porto Alegre, RS: Artmed.

Publicado

2024-04-30

Como Citar

MACHADO, J. de S. F. D. .; JANUARIO, G. Conhecimento da matemática e da química incorporadas a materiais curriculares integradores. Educação Matemática Pesquisa Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 059–085, 2024. DOI: 10.23925/1983-3156.2024v26i1p059-085. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/62831. Acesso em: 14 jul. 2024.