Probabilidade em uma Oficina de Matemática: uma análise à luz da aprendizagem situada e da teoria da atividade
Probability in a Mathematics Workshop: an analysis under the light of situated learning and activity theory

André Augusto Deodato, Maria Manuela David

Resumo


Com este artigo objetiva-se revelar as possibilidades que o espaço das oficinas oferece para a aprendizagem de matemática e mostrar como é possível articular referenciais da Aprendizagem Situada e da Teoria da Atividade para se fazer reconhecer momentos de ocorrência de aprendizagem de matemática. Apresenta-se uma oficina sobre probabilidade que fez parte do projeto de educação integral da Rede Municipal de Belo Horizonte. O material empírico se constituiu das transcrições de interações dos alunos, de 4° e 5° anos, produzidas a partir dos registros da observação e de gravações em áudio e vídeo. Destaca-se, como resultado, que a articulação teórica empreendida mostrou grande potencial para a análise facilitando reconhecer e iluminar indícios de aprendizagem(eqüiprobabilidade,evento,evento impossível) em salas de aula.


Palavras-chave


Teoria da Atividade; Aprendizagem Situada; Educação Integral

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, J. L.; KAWASAKI, T. F. (2013). Movimento e Rigidez de certo triângulo: um enfoque histórico-cultural em pesquisas em educação matemática. XI Encontro Nacional de Educação Matemática.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. (1994). Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 336p.

CARRAHER, T. N.; CARRAHER, D.W.; Schliemann, A. D. (1988). Na vida dez, na escola zero. São Paulo: Cortez.

DEODATO, A. A. Matemática no projeto escola integrada: distanciamentos e aproximações entre as práticas das oficinas e as práticas da sala de aula. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

ENGESTRÖM, Y. (2001). Expansive learning at work: Toward an activity theoretical reconceptualization. Journal of education and work, v. 14, n. 1, p. 133-156.

ENGESTRÖM, Y.; SANNINO, A. (2010). Studies of expansive learning: Foundations, findings and future challenges. Educational Research Review, v. 5, n. 1, p. 1-24.

FASHEH, M. (2004). Como erradicar o analfabetismo sem erradicar os analfabetos? Tradução de Timothy Ireland. Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós-Graduação em Educação. Revista Brasileira de Educação n. 26, p. 157-169.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. (2009). Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológico. Campinas, SP: Editora Autores Associados.

FIORENTINI, D.; MIORIM, M. A. (1990). Uma reflexão sobre o uso de materiais concretos e jogos no Ensino da Matemática. Boletim da SBEM-SP, n. 7, julho/agosto.

GOULART, M.I.M.; ROTH, W-M (2006). Margem/Center: toward a dialectic view of participation. Journal of Curriculum Studies, 38, 679-700.

LAVE, J. The practice of learning. (1993). In: LAVE, J. e CHAIKLIN, S. (Ed.). Understanding practice: Perspectives on activity and context. Cambridge University Press.

LAVE, J. e WENGER, E. (1991). Situated Learning: Legitimate Peripheral Participation. New York: Cambridge University Press.

LEONTIEV, A. N. (1992). Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: Vygotskyi, L. S.; Luria, A. R.; Leontiev, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone.

LIBÂNEO, J. C. (2004a). A aprendizagem escolar e a formação de professores na perspectiva da psicologia histórico-cultural e da teoria da atividade. Educar em Revista, n. 24, p. 113-147.

____________. (2004b). A didática e a aprendizagem do pensar e do aprender: a Teoria Histórico-cultural da Atividade e a contribuição de Vasili Davydov. . Educar em Revista, n. 24, p. 5-25.

ROTH, W. M. (2004). "Introduction:" Activity Theory and Education: An Introduction"." Mind, Culture, and Activity 11.1. p. 1-8.

SKOVSMOSE, O. (2000). Cenários para Investigação. Bolema. Ano 13. n.14, p.66-91.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA