Tecitura entre Modelagem Matemática e saberes da complexidade na temática ambientação no manguezal
Weaving between Mathematical Modeling and knowledge of complexity in the theme of mangrove environment

Neuma Teixeira dos Santos, Roberta Modesto Braga, Adilson Oliveira do Espírito Santo

Resumo


Resumo

É papel fundamental da universidade proporcionar aos seus graduandos em formação articulação entre os diversos saberes. Nesse aspecto, as relações, propostas na literatura entre a Modelagem Matemática e os sete saberes da complexidade de Edgar Morin, podem ser potencializadoras de aprendizagem em uma atividade de formação e ambientação no manguezal da reserva extrativista marinha de Tracuateua-PA para monitoramento da vegetação de mangue por ser uma responsabilidade de cogestão de toda a sociedade a conservação desses ambientes. Para alcançar o objetivo nessa pesquisa, qual seja o de discutir os resultados de uma atividade de Modelagem a partir dos sete saberes no contexto da temática ambientação no manguezal, foi realizado um minicurso envolvendo estudantes de diversas graduações, professores universitários e comunitários e, a partir da descrição da observação participante, diário de campo, dos relatórios e questionários produzidos pelos estudantes, foi possível perceber que todas as ações caminharam dialogando com o princípio do pensamento complexo e a Modelagem ocorreu de forma livre, mostrando que mesmo não sendo definida a priori, as etapas estiveram presentes em todo o processo. Diante do exposto, enfatiza-se que as atividades transdisciplinares devem ocorrer sem delimitações e as fronteiras tradicionais da estrutura universitária devem ser enfrentadas no processo de construção das aprendizagens necessárias para o enfrentamento dos desafios do século XXI.

Palavras-chave: Conservação, Monitoramento, Transdisciplinar, Universidade.

Abstract

The fundamental role of the university is to provide its undergraduate students with articulation among the different types of knowledge. And in this respect, the relationships proposed in the literature among Mathematical Modeling and the seven knowledge of Edgar Morin's complexity can be an enabler of learning in a formation and  ambiance activity in the mangrove to monitor mangrove vegetation because it is a responsibility of co-management of society the conservation of these environments. To achieve the objective of this research to discuss the results of a Modeling activity based on the seven knowledge in the context of the mangrove environment, a workshop was held involving students from different degrees, university and community professors and from the description of field observation, from the reports and questionnaires produced by the students, it was possible to notice that all actions walked in agreement with the principle of complex thinking and the Modeling occurred freely, showing that even if it was not defined a priori, the steps were present throughout the process. Given the above, it is emphasized that transdisciplinary activities must take place without boundaries and the traditional boundaries of the university structure must be faced in the process of building the learning necessary to face the challenges of the 21st century.

Keywords: Conservation, Monitoring, Transdisciplinary, University.

Resumen

Es papel fundamental de la universidad proporcionar a sus estudiantes de pregrado una articulación entre los diferentes tipos de conocimiento. Y en este sentido, las relaciones propuestas en la literatura entre el Modelaje Matemático y los siete conocimientos de la complejidad de Edgar Morin pueden ser un facilitador del aprendizaje en una actividad de capacitación y montaje en el manglar para monitorear la vegetación del manglar porque es una responsabilidad del co-manejo de la sociedad para la conservación de estos ambientes. Para lograr el objetivo de esta investigación para discutir los resultados de una actividad de modelación basada en los siete conocimientos en el contexto del escenario temático en el manglar, se realizó un mini-curso en que fueron envueltos los estudiantes de diferentes titulaciones, profesores universitarios y comunitarios y a partir de la descripción de la observación de campo, de los informes y cuestionarios elaborados por los estudiantes, se pudo percibir que todas las acciones caminaron en sintonía con el principio del pensamiento complejo y el Modelaje ocurrió libremente, mostrando que a pesar de no se haber definido a priori, los pasos estuvieron presentes en todo el proceso. En vista de lo anterior, se enfatiza que las actividades transdisciplinarias deben desarrollarse sin fronteras y las fronteras tradicionales de la estructura universitaria deben ser enfrentadas en el proceso de la construcción de los aprendizajes necesarios para enfrentar los desafíos del siglo XXI.

Palabras clave: Conservación, Monitoreo, Transdisciplinario, Universitario.

Palavras-chave


Conservação, Monitoramento, Transdisciplinar, Universidade

Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, M. M. de O., Mehlig, U., Nascimento, R. do E. S. A. do, & Menezes, M. P. M. de. (2006). Análise de composição florística e estrutura de um fragmento de bosque de terra firme e de um manguezal vizinhos na península de Ajuruteua, Bragança, Pará. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Ciências Naturais, 1 (3), p. 27-34.

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo. Tradução: Luís Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70.

Bassanezi, R. C. (2012). Temas e modelos. Campinas: Edição do autor UFABC.

Braga, R. M. (2015). Aprendizagem em modelagem matemática pelas interações dos elementos de um sistema de atividade na perspectiva da teoria da atividade de Engestrom. [Tese de doutorado em Educação em Ciências e Matemáticas, Universidade Federal do Pará]. http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/8523

Carmo, H., & Ferreira, Manuela. (2008). Metodologia da Investigação - Guia para Autoaprendizagem. 2a Edição, Universidade Aberta, Lisboa.

Chaves, M. I. de A., & Espírito Santo, A. O. do. (2008). Modelagem Matemática: uma concepção e várias possibilidades. Boletim de Educação Matemática, 21 (30), p. 149-161.

Enricone, D. (2007). Ações interdisciplinares: autoria e características. In: Audy, J. L. N., & Morosini, M. C. (orgs.) Innovation and interdisciplinarity in the university. (469 - 476). Porto Alegre, Brasil: EDIPUCRS, 526 p, 2007.

Fernandes, R. T. V. (2012). Recuperação de manguezais. Rio de Janeiro: Interciência.

Gressler, L. A. (2004). Introdução à pesquisa: projetos e relatórios. 2ª ed. rev. atual. São Paulo: Loyola.

Levy, L. F. (2018). O Cotidiano, o Científico e a Modelagem Matemática: Relações Complexas. Jornal Internacional de Estudos em Educação Matemática, 11 (2), p. 172-177. http://dx.doi.org/10.17921/2176-5634.2018v11n2p172-177

Levy, L. F., & Espírito Santo, A. O. do. (2010). Complexidade e Modelagem Matemática no processo de ensino-aprendizagem. Revista Traços, 2 (25), p. 131-148.

Levy, L. F., & Espírito Santo, A. O. do (2011). Modelagem matemática no ensino, complexidade e saberes necessários à educação do futuro. Zetetike, 19 (1), p. 165-177. https://doi.org/10.20396/zet.v19i35.8646649

Ministério do Meio Ambiente (MMA). (2019). Categorias. Brasília: MMA. http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/unidades-de-conservacao/categorias.html

Ministério do Meio Ambiente (MMA). (2019). Instrução Normativa nº 3/2017/GABIN/ICMBIO, DE 04 DE SETEMBRO DE 2017. Institui o Programa Nacional de Monitoramento da Biodiversidade do Instituto Chico Mendes. Brasília. http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/portarias/intrucao_normativa_03_2017.pdf.

Ministério do Meio Ambiente (MMA). (2019). Sítios Ramsar. Brasília: MMA. http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/instrumentos-de-gestao/s%C3%ADtios-ramsar.html

Morin, E. (2000). Os setes saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. Silva e Jeanne Sawaya. São Paulo: Cortez.

Morin, E. (2003). Da necessidade de um pensamento complexo. In: Martins, F. M.; & Silva, J. M. da (orgs.). Para navegar no século XXI: tecnologias do imaginário e cibercultura. (13-36). Porto Alegre: Sulina, 3ª. Ed.

Morin, E. (2005). Para além do Iluminismo. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, 26, p. 24-28. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2005.26.3299

Morin, E. (2009). Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. Maria da Conceição de Almeida, Edgard de Assis Carvalho. (orgs.) – 5ª ed. – São Paulo: Cortez.

Ribeiro, F. N. (2011). Edgar Morin, o Pensamento Complexo e a Educação. Pró-discente: Caderno de Produção Acadêmico-científica do Programa de Pós-graduação em Educação, 17 (2), p. 40-50.

Santos, A. (2010). Didática sob a ótica do pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2ªed.

Santos, I. R., Beltrão, N. E. S., & Trindade, A. R. (2019). Carbono" azul" nos manguezais amazônicos: conservação e valoração econômica. Revibec: revista de Iberoamericana de Economia Ecológica, 31, p. 0018-28.

Silva, B. P. L. (2013). A teoria da complexidade e o seu princípio educativo: as ideias educacionais de Edgar Morin. Revista Polyphonía, 22 (2), p. 241-254. https://doi.org/10.5216/rp.v22i2.26682

Souza, E. S. R. de, & Espírito Santo, A. O. do. (2017). Alfabetização científica em ambiente de modelagem matemática. REAMEC-Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, 5 (1), p. 5-23. 10.26571/2318-6674.a2017.v5.n1.p5-23.i5334

Tsuji, T., & Fernandes, M. E. B. (2008). Replantando os manguezais: técnicas de reflorestamento. 1. ed. Bragança-PA: Alves Gráfica e Editora.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2020v22i3p250-284

Direitos autorais 2021 Educação Matemática Pesquisa : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES DA REVISTA
     
             Anti-Plágio