Como professores iniciantes percebem o que fazem na sala de aula de matemática
How beginner teachers understand what they do in the mathematics class

Daiana Estrela Ferreira Barbosa, Pedro Lúcio Barboza

Resumo


O presente artigo tem o objetivo de relatar como os professores de matemática em início de carreira percebem o seu fazer pedagógico na sala de aula. Com enfoque qualitativo, os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas com seis professores de matemática de escolas públicas, sendo todos iniciantes com até três anos de experiência. Os relatos dos participantes sugerem que muitos dos problemas que ocorrem no início da carreira se devem as lacunas existentes nos cursos de formação inicial. Os professores iniciantes sentem a necessidade em repensar o ensino e têm dificuldades na relação com professores mais experientes no magistério, às vezes, sendo desestimulados por estes, o que acaba por causar algumas percepções negativas quanto às condições para o exercício das suas atividades.


Palavras-chave


Formação do professor; Início da carreira docente; Fazer pedagógico

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, L. C.; GONTIJO, C. H. A complexidade da formação do professor de matemática e suas implicações para a prática docente. ESPAÇO PEDAGÓGICO, v. 20, n. 1, Passo Fundo, p. 76-87, jan./jun. 2013 | Disponível em www.upf.br/seer/index.php/rep.

BARBOZA, P. L.; FARIAS, A. L. P. Percepções de futuros professores acerca da matemática, seu ensino e aprendizagem e um caminho para uma pesquisa sobre concepções. VIDYA, v. 33, n. 2, p. 93-100, jul./dez., Santa Maria/RS, 2013.

BELMAR, C. C.; BRESSAN, S. J. Experiências vivenciadas por professores de matemática em início de carreira. Revista Saberes Docentes. Juína/MT. V. 1, n. 1, p. 1-19, 2016.

CRESCENTI, E. P. A formação inicial do professor de matemática: aprendizagem da geometria e atuação docente. Práxis Educativa, Ponta Grossa, PR, v. 3 , n. 1 , p. 81 - 94, jan.-jun. 2008.

CIRÍACO, K. T.; MORELATTI, M. R. M. Problemas experienciados por professoras iniciantes em aulas de matemática. Revista Eletrônica de Educação, v. 10, n. 3, p. 267-280, 2016.

CIRÍACO, K. T.; MORELATTI, M. R. M.; PONTE, J. P. Professoras iniciantes em grupo colaborativo: contributos da reflexão ao ensino de geometria. Zetetiké, Campinas, SP, v.24, n. 2, maio/ago. 2016, p. 249-268.

CONCEIÇÃO J.S.; NUNES C.M.F. Saberes docentes e professores iniciantes: dialogando sobre a formação de professores para o ensino superior. Rev. Docência Ens. Sup., v. 5, n. 1, p. 9-36, abr. 2015.

CUNHA, M. I. O bom professor e sua prática. Campinas, SP. 24ª ed. Papirus, 2011.

D’AMBRÓSIO, B. S.; LOPES, C. E. Insubordinação Criativa: um convite à reinvenção do educador. Revista Bolema. Rio Claro, SP. v. 29, n. 51, p. 1-17, abr. 2015.

MACENHAN, C.; TOZETTO S. S.; BRANDT, C. F. Formação de professores e prática pedagógica: uma análise sobre a natureza dos saberes docentes. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 11, n. 2, p. 505-525, maio/ago. 2016.

MOREIRA, M. A.; MASSONI, N. T. Interfaces entre teorias de aprendizagem e ensino de ciências/física. Porto Alegre, Instituto de Física/UFRGS, v. 26, n.6, 2015.

NASCIMENTO, F. J.; CASTRO, E. R.; LIMA, I. P. Desenvolvimento profissional de professores de matemática iniciantes: contribuição do PIBID. Revista Eletrônica de Educação, v.11, n.2, p. 487-504, jun./ago., 2017

NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e a sua formação. 2 ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

OLIVEIRA, H. M. A. P. A construção da identidade profissional de professores de matemática em início de carreira. Tese de Doutorado em Educação (Didática da Matemática). Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. 570f, 2004.

OLIVEIRA, I.; SERRAZINA, L. A reflexão e o professor como investigador. In: GTI (Ed.). Refletir e investigar sobre a prática profissional. Lisboa: APM, 2002. p. 29-42.

PERRENOUD, P. A prática reflexiva no ofício do professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2002.

PAQUAY, L. et al. (Orgs.). Formando professores profissionais: Quais estratégias? Quais competências? Trad. Fátima Murad e Eunice Gruman. 2.ed. rev. Porto Alegre: Artmed, 2001.

PILZ, C.; PINTO, N. B. Um novo olhar sobre a iniciação profissional de professores de matemática. Revista Intersaberes, Curitiba, a.6, n.12, p. 109-123, 2011.

SERIANI, R.; SILVA, D. A.; ROSA, C. A. S. Professores de matemática no início da carreira docente: implicações à formação inicial. Revista Iberoamericana de Educación Matemática. Número 49. Página 181-199, abril 2017

SOUTO, R. M. A. Egressos da licenciatura em matemática abandonam o magistério: reflexões sobre profissão e condição docente. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 4, p. 1077-1092, out. /dez., 2016.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópoles, RJ. Editora Vozes, 2002.

VIEIRA, G. A.; ZAIDAN, S. Estratégias de ensino de matemática para turmas heterogêneas. Revista em Teia. Pernambuco. v. 7, n.3, p. 1-19, 2016.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2018v21i2p335-352

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA