Formação para a pesquisa científica: trajetórias híbridas, ativas e colaborativas em um Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática
Education for scientific research: hybrid, active and collaborative trajectories in a Postgraduate Program in Mathematics Education

Gerson Pastre Oliveira

Resumo


Resumo

O presente artigo descreve uma investigação que ocorreu no âmbito de um grupo de mestrandos em Educação Matemática que cursavam a disciplina “Metodologia da Pesquisa” do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática da PUC-SP. A estratégia aplicada no desenvolvimento das aulas foi criada a partir de um planejamento que previa o uso de metodologias ativas, ensino híbrido e que tinha, como referência para as atividades propostas, a Teoria das Situação Didáticas. O principal objetivo era o de criar um contexto de discussões e um espaço de trabalho com interações presenciais e virtuais de modo a fornecer elementos para que os alunos iniciassem suas trajetórias como pesquisadores e começassem a escrever as respectivas dissertações, movimento classificado por eles como de grande dificuldade. O texto detalha as intervenções, em regime colaborativo, que os estudantes construíram, as discussões realizadas, os progressos alcançados, além de detalhes relativos à estrutura da disciplina que foram criados para incentivar o processo de formação pretendido.

Palavras-chave: Colaboração, metodologias ativas, ensino híbrido, formação de pesquisadores, teoria das situações didáticas.

 

Abstract

This article describes an investigation that occurred within a group of masters´ degree students in Mathematics Education that studied the discipline "Methodology of Research" of the Program of Postgraduate Studies in Mathematical Education of PUC-SP. The strategy applied in the development of classes was created from a planning that predicted the use of active learning methodologies, hybrid teaching and that had, as a reference for the proposed activities, the Theory of Didactic Situations. The main objective was to create a context of discussions and a workspace with face-to-face and virtual interactions in order to provide elements for the students to begin their trajectories as researchers as well as to begin to write the respective dissertations, a movement classified by them as very difficult. The text details the collaborative interventions the students have built, the discussions held, the progress made, as well as details of the discipline structure that were created to encourage the intended education process.

Keywords: Collaboration, active learning methodologies, hybrid teaching, researchers’ education, didactical situations theory.

 

Resumen

Este artículo describe una investigación que se desarrolló en el ámbito de un grupo de estudiantes de maestría en Educación Matemática que cursaban la asignatura "Metodología de la Investigación" del Programa de Estudios de Postgrado en Educación Matemática de la PUC-SP. La estrategia aplicada en el desarrollo de las clases se creó a partir de una planificación que preveía el uso de metodologías activas, docencia híbrida y que tenía como referencia para las actividades propuestas, la Teoría de Situaciones Didácticas. El objetivo principal fue crear un contexto de discusiones y un espacio de trabajo con interacciones presenciales y virtuales con el fin de brindar elementos para que los estudiantes iniciasen sus trayectorias como investigadores y empezasen a escribir sus respectivas disertaciones, movimiento que calificaron como de gran dificultad. El texto detalla las intervenciones colaborativas que construyeron los estudiantes, las discusiones realizadas, los avances logrados, así como detalles relacionados con la estructura de la disciplina que se crearon para incentivar el proceso de formación pretendido.

Palabras clave: Colaboración, metodologías activas, docencia híbrida, formación de investigadores, teoría de situaciones didácticas.

Palavras-chave


Colaboração, metodologias ativas, ensino híbrido, formação de pesquisadores, teoria das situações didáticas

Texto completo:

PDF

Referências


Artigue, M (2014). Didactic engineering in mathematics education. In: LERMAN, S. (Ed.). Encyclopedia of mathematics education. New York: Springer, pp. 159–162. Disponível em: http://www.springerreference.com/docs/navigation.do?m=Encyclopedia+of+Mathematics+Education+(Humanities%2C+Social+Sciences+and+Law)-book188.

Bogdan, R. C., & Biklen, S. K. (1994). Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora.

Borba, M. C., & Villarreal, M. (2005). Humans-with-media and the reorganization of mathematical thinking: information and communication technologies, modelling, visualization and experimentation. 1. ed. New York: Springer.

Brousseau, G. (2002). Theory of didactical situations in mathematics: didactique dês mathématiques, 1970-1990. New York: Kluwer Academic Publishers.

Cortelazzo, I.B.C. (2006) Ambientes virtuais de aprendizagem: possibilidade de novas formas de avaliação. In: Silva, M., & Santos, E. Avaliação da aprendizagem em educação online. São Paulo: Loyola.

Driscoll, M.P., & Vergara, A. (1997). Nuevas Tecnologías y su impacto en la educación del futuro. Pensamiento Educativo, n. 21.

Erickson, F. (1989). Métodos cualitativos de investigación sobre la enseñanza. In: Wittrock, M.C. (Org.). La investigación de la enseñanza: métodos cualitativos y de observación. Barcelona: Ediciones Paidos.

Fiorentini, D., & Lorenzato, S. (2009). Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados.

Kenski, V. M. (2018). Ensino híbrido e metodologias ativas. Palestra proferida no Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da PUC-SP. Acesso restrito.

Kenski, V. M. (2003). Tecnologias e ensino presencial e a distância. Campinas: Papirus.

Lévy, P. (1993). As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora 34.

Morin, E. (2002). Os sete saberes necessários à educação do futuro. 5.ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO.

Oliveira, G. P. (2019). A elaboração do problema de pesquisa em Educação e Educação Matemática. In: Oliveira, G. P. (Org.). Pesquisa em Educação e Educação Matemática: um olhar sobre a metodologia. Curitiba: CRV.

Oliveira, G. P. (2018). Sobre tecnologias e Educação Matemática – fluência, convergência e o que isto tem a ver com aquilo. In: Oliveira, G. P. (Org.). Educação Matemática: epistemologia, didática e tecnologia. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Oliveira, G. P. (2015). Comunidades, comunidades virtuais, comunidades virtuais de aprendizagem: reflexões sobre a aprendizagem. Revista Eletrônica de Tecnologia e Cultura, n. 16, pp. 95 – 102.

Oliveira, G. P. (2007). Avaliação em cursos on-line colaborativos: uma abordagem multidimensional. 2007. 330 f. Tese de Doutorado em Educação. Universidade de São Paulo, 2007.

Paloff, R. M., & Pratt, K. (2002). Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço: estratégias eficientes para salas de aula online. Porto Alegre: Artmed.

Torres, P. L. (2003). Laboratório on-line de aprendizagem: uma proposta metodológica de aprendizagem colaborativa para a educação a distância. Anais da 26ª Reunião Anual da Anped. Caxambu, Disponível em http://www.anped.org.br/26/trabalhos/patricialupiontorres.rtf.

Wilson, B. G., Ludwig-Hardman, S. (2005). Bounded Community: Designing and Facilitating Learning Communities in Formal Courses. International Review of Research in Open and Distance Learning. Disponível em http://www.irrodl.org/content/v5.3/wilson.html.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2020v22i3p105-137

Direitos autorais 2021 Educação Matemática Pesquisa : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES DA REVISTA
     
             Anti-Plágio