O estágio de observação e o desenvolvimento da identidade profissional docente de professores de matemática em formação inicial
Classes observations and the development of preservice mathematics teachers’ professional identity

Bruno Rodrigo Teixeira, Márcia Cristina de Costa Trindade Cyrino

Resumo


Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa qualitativa de cunho interpretativo cujo objetivo foi investigar a participação do Estágio de Observação no desenvolvimento da identidade profissional docente de futuros professores de Matemática, na ótica de graduandos de um curso de Licenciatura em Matemática. A partir da análise crítica da prática de outros professores, oportunizada pelo Estágio de Observação, os licenciandos revelaram intenção de incorporar ou não aspectos da prática pedagógica observados em outros professores, apropriação dos valores teórico e social da profissão docente, crenças sobre o ensino, visão a respeito de uma boa aula e do tipo de professor que querem ou não querem ser; elementos associados à identidade profissional docente que também permitiram aprendizagens da docência.

 

In this study we investigate the participation of the Classes Observations in the development of preservice mathematics teachers’ professional identity from the perspective of undergraduate Math students. We carried out a qualitative study from an interpretative point of view. Through a critical analysis of different teaching practice in Classes Observations, the prospective teachers revealed that they had the intention to either incorporate or not aspects of the pedagogical practice observed in other teachers, the appropriation of professional values such as social and theoretical, beliefs about teaching, a vision about a good lesson and the kind of teacher they want to become; learning opportunities about teaching directly related to development of their teachers’ professional identity.



Palavras-chave


Estágio de Observação; desenvolvimento profissional; identidade profissional docente.

Texto completo:

PDF

Referências


BARREIRO, I. M. F. B; GEBRAN, R. A. (2006). Prática de Ensino e Estágio Supervisionado na Formação de Professores. São Paulo: Avercamp.

BELINE, W. (2012). Formação de Professores de Matemática em Comunidades de Prática: um estudo sobre identidades. 184 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Centro de Ciências Exatas, Universidade Estadual de Londrina, Londrina.

BELO, E. S. V.; GONÇALVES, T. O. (2012) A identidade profissional do professor formador de professores de matemática. Educação Matemática Pesquisa, v.14, n.2, p. 299-315.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. (1994). Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Tradução de M. J. Alvarez, S. B. Santos e T. M. Baptista. Porto: Ed. Porto.

BRASIL. (1998). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF.

CARVALHO, A. N. P. (2012). Os Estágios nos Cursos de Licenciatura. São Paulo: Cengage Learning.

CARVALHO, M. L. A. (2004). Estágio supervisionado: espaço e tempo de aprendizagem da docência? 183f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas.

CATTLEY, G. (2007). Emergence of professional identity for the pre-service teacher. International Education Journal, Adelaide, South Australia, v. 8, n. 2, p. 337-347.

CYRINO, M. C. C. T.; PASSERINI, G. A. (2009). Reflexões sobre o estágio supervisionado do curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Londrina. In: CAINELLI; M.; FIORELI, I. (Org.). O estágio na licenciatura: a formação de professores e a experiência interdisciplinar na Universidade Estadual de Londrina. 1.ed. Londrina: UEL/Prodocencia/Midiograf. p.125-144.

CYRINO, M. C. C. T.; TEIXEIRA, B. R. (2011). O Estágio Supervisionado e o Relatório de Estágio como espaços de reflexão sobre a Resolução de Problemas. Perspectivas da Educação Matemática, v.4, n. Temático, p. 111-127.

GAMA, R. P.; FIORENTINI, D. (2008). Identidade de professores iniciantes de matemática que participam de grupos colaborativos. Horizontes, v. 26, n.2, p. 31-43.

GONDIM, S. M. G. (2010). Valores relacionados ao trabalho docente: em questão as novas tecnologias de informação e comunicação. Revista Ética e Filosofia Política, v. 1, n. 12.

JARAMILLO QUICENO, D. V. (2003). (Re)constituição do ideário de futuros professores de matemática num contexto de investigação sobre a prática pedagógica. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

LIBÂNEO, J.C. (1994). Didática. São Paulo: Cortez.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. (1986). Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.

MAGALHÃES, A. P. A. S. (2010). O Estágio Supervisionado dos cursos de formação de professores de Matemática da Universidade Estadual de Goiás: uma prática reflexiva? 232 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

MARCELO, C. (2009). A identidade docente: constantes e desafios. Formação Docente, v. 01, n. 01, p. 109-131.

MEDEIROS, C. M. (2010). Estágio supervisionado: uma influência na constituição dos saberes e do professor de Matemática na formação inicial. 103 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas). Universidade Federal do Pará. Belém.

MEWBORN, D. S. (2000). Learning to Teach Elementary Mathematics: Ecological Elements of a Field Experience. Journal of Mathematics Teacher Education, v. 3, n. 1, p. 27-46.

MIZUKAMI, M. G. N. (2006). Aprendizagem da docência: conhecimento específico, contextos e práticas pedagógicas. In: NACARATO, A. M.; PAIVA, M. A. V. (Org.). A formação do professor que ensina Matemática: perspectivas e pesquisas. Belo Horizonte: Autêntica, p. 213-231.

NAGY-SILVA, M. C.; PASSOS, M. M.; CYRINO, M. C. C. T. (2010). Matemática e boa aula de Matemática: algumas características na visão de futuros professores de Matemática das séries iniciais. In: X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática. Salvador. p. 1-11.

OLIVEIRA, H. (2004). Percursos de identidade do professor de Matemática em início de carreira: O contributo da formação inicial. Quadrante, v. 13, n. 1, p. 115-145.

OLIVEIRA, H.; CYRINO, M. C. C. T. (2011). A formação inicial de professores de Matemática em Portugal e no Brasil: narrativas de vulnerabilidade e agência. Interacções, v. 7, n. 18, p. 104 - 130.

PASSERINI, G. A. (2007). O estágio supervisionado na formação inicial do professor de Matemática na ótica de estudantes do curso de licenciatura em Matemática da UEL. 120 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Centro de Ciências Exatas, Universidade Estadual de Londrina, Londrina.

PONTE, J. P. et al. (1997). Didáctica da Matemática. DES do ME. Lisboa.

PONTE, J. P. (1998). Da formação ao desenvolvimento profissional. In: Actas do ProfMat98, Lisboa: APM, p. 27-44.

PONTE, J. P.; CHAPMAN, O. (2008). Preservice mathematics teachers' knowledge and development. In: LYN, D. English (Ed.). Handbook of international research in mathematics education. 2. ed. New York: Routledge. p. 225-263.

PONTE, J. P.; OLIVEIRA, H. (2002). Remar contra a maré: A construção do conhecimento e da identidade profissional na formação inicial. Revista de Educação, Campinas, v. 11, n. 2, p. 145-163.

SBEM - SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA. (2003). Subsídios para a discussão de propostas para os cursos de Licenciatura em Matemática: uma contribuição da Sociedade Brasileira de Educação Matemática. Disponível em:. Acesso em: 27 abr. 2011.

SCHERER, S. (2011). Estágio Supervisionado e a Atitude do orientador: planejando aulas de matemática para ambientes informatizados. Perspectivas da Educação Matemática, v.4, n. Temático, p. 167-180.

SOUSA, M. V.; FERNANDES, J. A. (2004). Dificuldades de professores estagiários de Matemática e sua relação com a formação inicial. Quadrante, v. 13, n. 1, p. 91-113.

TEIXEIRA, B. R. (2009). Registros escritos na formação inicial de professores de Matemática: uma análise sobre a elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado. 94 f.Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Centro de Ciências Exatas, Universidade Estadual de Londrina, Londrina.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA